O que são e como funcionam nos processos de validação de dados Clash Detection e Code Checking? Quais processos e que tipo de análise executam no contexto da metodologia BIM?

A “Clash Detection” é a pesquisa de possíveis interferências entre os objetos do modelo.

É preciso, na verdade, salientar como este tipo de controle pode e deve ser executado quer no modelo relacionado a cada disciplina quer no modelo integrado, o assim chamado Merged Model.

Contudo, uma verificação de interferência entre objetos pode oferecer uma multiplicidade de casos, sobretudo se executada em modelos integrados. Dois critérios podem, então, ajudar a tornar a “Clash Detection” realmente útil: a severidade da interferência e a tolerância.

Por exemplo, é evidente como a interferência entre uma canalização do sistema de ar condicionado e um preenchimento terá uma relevância diferente se comparada à interferência entre a mesma canalização e um elemento da estrutura do edifício (um viga, um pilar, etc.). Portanto, ter uma hierarquia baseada na relevância entre os diferentes tipos de interferências irá tornar a verificação em questão mais eficaz.

Exemplo de Clash Detection num software BIM

Exemplo de Clash Detection num software BIM

Igualmente importante é o princípio da tolerância. Não é suficiente, por exemplo, verificar a ausência de colisões entre uma esquadria e um pilar se eles estiverem em aderência. O mesmo critério pode ser usado de maneira oposta. Na verdade, tolerando contatos entre objetos ou superficiais interferências a fim de reduzir o número de alertas, serão consideradas apenas as alertas mais significativas.

A última etapa do Model Checking: o “Code Checking”

O modelo virtual de um edifício, como sabemos, é um modelo constituído por objetos paramétricos, ou seja objetos que representam entidades reais, cujas características são “traduzidas” num certo número de parâmetros.

Analogamente, “traduzir” em parâmetros referências normativas, requisitos dos clientes ou indicações resultantes de boas práticas de desenho permitiria uma comparação dos parâmetros em questão com os homólogos presentes no modelo virtual da construção.

A criação de bancos de dados de normas para verificar é a primeira etapa em direção à implementação do Code Checking.

Algumas aplicações conhecidas deste procedimento abrangem prescrições geométricas (verificação de superfícies mínimas, volumes, respeito das distâncias) ou funcionais (verificação das rotas de fuga, acessibilidade para pessoas com deficiência motora). Contudo, é evidente que as áreas de investigação são múltiplas.

A oportunidade de desenvolvimento metodológico é então muito interessante.

Num processo de desenho de tipo tradicional qualquer verificação só pode ser executada por amostragem. A possibilidade de implementar de forma automática as verificações dos requisitos, em vez, permite executar uma verificação muito mais ampla. Isso abre o caminho para uma grande mudança de mentalidade.

A criação de banco de dados de normas, testados e seguros, relacionados à prescrições normativas permite adicionar a característica da repetibilidade e objetividade à verificação para executar. Desta forma isso poderá ser aplicado, por exemplo, num concurso para a atribuição de um projeto de obras públicas.

A possibilidade de executar verificações e controles de forma automática ou semiautomática no modelo virtual do edifício oferece então novas oportunidades de eficiência e qualidade. Isso mostra como a metodologia e a tecnologia BIM esteja cada vez mais a abrir o caminho para uma nova maneira de entender o setor da construção.

Clica aqui para conheceres e testares grátis Edificius, o software BIM para o desenho arquitetônico