Dinamarca, Islândia, Espanha e Suécia: vamos concluir a nossa análise do estado do BIM na Europa

Com este artigo de aprofundamento vamos concluir a nossa análise do estado do BIM na Europa graças ao trabalho de Ignasi Perèz Arnal, diretor de BIM academy e organizador do European BIM Summit.

No nosso primeiro artigo de aprofundamento apresentámos o nível de adoção do BIM na França, Alemanha e Irlanda.

No segundo artigo, ainda, focámos na situação da Itália, Finlândia e Reino Unido.

Neste último artigo, em vez disso, trataremos de:

  • Dinamarca
  • Islândia
  • Espanha
  • Suécia

BIM na Europa: Dinamarca

bim-dinamarca

 

 

 

O primeiro País do mundo a introduzir o BIM, em 2007, foi a Dinamarca, uma das nações mais desenvolvidas no campo da digitalização da construção.

Por mais de uma década, a Dinamarca solicitou a todos os órgãos estatais (de ministérios às universidades) que adotassem a metodologia BIM, tanto em novos projetos de construção como na reforma de grandes edifícios existentes.

Desde 2011, o País tornou o BIM obrigatório também para:

  • todos os projetos locais e regionais com custo superior a 2,7 milhões de euros;
  • intervenções em edifícios estatais, mesmo pequenos (ou seja, até 677.000 euros).
Dinamarca

BIM na Europa: Dinamarca

Entre os projetos mais importantes que preveem o uso do BIM na Dinamarca, devem ser mencionados:

  • o New Hospital Bisperbjerg, na cidade de Copenhague. A nova estrutura, surgindo da fusão entre o hospital Frederiksberg e o hospital Bisperbjerg, abrirá as portas em 2023, mas prevê-se que os dois hospitais continuarão a funcionar normalmente até as obras acabarem.
  • A linha ferroviária Ringsted-Fehmarn, promovida pela Dinamarca e pela Alemanha a fim de garantir mobilidade ferroviária em todo o Fehmarnbelt até 2021.

BIM na Islândia

bim-islândia

 

 

 

O maior desafio que a Islândia enfrentou durante o processo de digitalização da construção foi adaptar as estratégias BIM a pequenas, médias e grandes empresas.

Em 2008, a Agência Governamental da Construção (Government Construction Contracting Agency – GCCA) assinou a “Declaração de intenções para o apoio ao Building Information Modelling através de padrões abertos”. O Ministro das Finanças estabeleceu que ministérios e agências governamentais atendessem a essas diretrizes obrigatórias desde 2011.

Posteriormente, foi fundado o “BIM Iceland”, comitê composto por instituições públicas, criado para desenvolver uma estratégia comum e atualizar as diretrizes para o avanço do BIM no setor público.

BIM European Summit - Islândia

European BIM summit 2019

Alguns projetos de infraestruturas e grandes obras públicas influenciaram fortemente as estratégias BIM islandesas, incluindo o Hospital Universitário Nacional e a usina hidrelétrica “Burfell II”.

O Novo Hospital Universitário Nacional (The new National University Hospital), realizado entre 2013 e 2015, foi concebido em 2010 através de um concurso internacional. A obra consiste em 4 edifícios:

  • uma casa de hóspedes, de 4258 m², para os familiares de pacientes;
  • o prédio principal do hospital, de 65.476 m²;
  • um prédio para pesquisa e laboratórios, de 15.550 m²;
  • um prédio para escritórios com estacionamento, de 21.259 m².

Burfell II é uma usina hidrelétrica subterrânea, no valor de 212 milhões de euros, resultante da extensão de 100 MW da usina existente de Burfell. Foi um dos primeiros projetos de infraestrutura islandesa concebidos e realizados usando o BIM.

Para a realização do projeto foram previstos 42 modelos BIM, criados também graças a 4 grandes nuvens de pontos.

BIM na Espanha

bim-espanha

 

 

 

A Espanha foi um dos países que, nos últimos anos, alcançou rapidamente um alto nível de adoção do BIM entre estudos técnicos e construtoras.

A estratégia nacional BIM na Espanha, chamada de esBIM, prevê a inclusão do Building Information Modelling no setor da construção a partir de 2019, assim implementando a Agenda Digital das Administrações Públicas.

Lembramos que, recentemente, na Espanha também foi criada uma comissão interministerial de BIM, visando otimizar e acelerar o processo de inovação no setor.

Espanha

BIM na Europa: Espanha

Entre as principais obras realizadas com o BIM na Espanha é importante destacar:

  • o BBVA City, uma torre de 114.000 m², 19 andares e 93 metros de altura, projetada por Herzog & De Meuron, com métodos BIM e certificação ambiental LEED gold e ISP 14001.
  • o estádio do Barça, um projeto do Barcelona Football Club visando reformar o Camp Nou e as instalações vizinhas. A intervenção, que se desenvolve numa área de 40.000 m², teve um custo total de 600 milhões de euros.

BIM na Suécia

bim-suécia

 

 

 

Com projetos de infraestruturas muito complexos (como o anel rodoviário E4 de Estocolmo) e alguns dos maiores projetos públicos (incluindo o maior projeto de hospital público/privado do mundo), a Suécia mostra muitas semelhanças com o modelo finlandês de implementação do BIM.

Mesmo sem uma clara política nacional unificada, mas com base no forte vínculo com todas as administrações públicas, as construtoras conseguiram tornar a Suécia num dos países mais avançados tecnologicamente no setor da construção.

Suécia

BIM na Europa: Suécia

Um projeto muito importante foi o New Karolinska Solna Hospital (NKS), maior parceria público-privada no setor hospitalar do mundo, que envolveu um investimento total de 3 bilhões de dólares.

O contrato, incluindo o uso do BIM, foi muito complexo porque:

  • o projeto foi extremamente vasto;
  • houve prazos rígidos a fim de garantir o funcionamento da estrutura;
  • a implementação do BIM foi planejada para todo o ciclo de vida do edifício;
  • foi usada uma plataforma de dados única na qual projetistas, construtoras e gerentes de instalações pudessem trabalhar de forma colaborativa.

Esse projeto demonstrou como o modelo BIM e a pré-fabricação podem aumentar a velocidade e a qualidade das obras, bem como a sustentabilidade ambiental.