Como muda a maneira de desenhar com a evolução tecnológica? Descubramos as características da realidade virtual e da realidade aumentada, bem como a conexão com o setor da construção

De acordo com as previsões da Digi-Capital, realidade aumentada (AR) e realidade virtual (VR) irão constituir a “quarta onda de crescimento tecnológico” que irá subverter a maneira como operamos.

As primeiras três ondas foram a invenção do Personal Computer, a difusão da Internet, a difusão de smart device.

Onda tecnológica de acordo com Digi-Capital

Onda tecnológica de acordo com Digi-Capital

Estamos, portanto, no início de um ponto de viragem. Aqui realidade virtual e realidade aumentada irão mostrar as vantagens reais de serem usadas em vários setores, tais como o da construção.

Vamos tentar assumir qual poderia ser o impacto no trabalho dos profissionais do mundo da construção.

Realidade aumentada e realidade virtual: características e diferencias

Realidade aumentada

A expressão realidade aumentada, nascida em 1992, foi inventada pelo pesquisador Thomas Preston Caudell da Boeing. Refere-se ao enriquecimento da nossa perceção sensorial através de vários níveis de informação que não seriam percetíveis com os cinco sentidos.

Desenvolvida primariamente no setor militar (guia assistida), tais como outras inovações tecnológicas, a realidade aumentada foi adotada no setor do marketing e da publicidade. Em seguida, conquistou o setor dos videojogos e do turismo.

As informações que aumentam a realidade percebida podem ser adicionadas usando marcadores específicos (Tag). Os software, capazes de reconhecer estes marcadores (AR Tag), sobrepõem imediatamente à imagem real conteúdos adicionais, tais como vídeo, áudio, objetos 3D e assim por diante.

Smart device e realidade aumentada

Smart device e realidade aumentada

A realidade aumentada é particolarmente útil no caso de aplicações de interior design. Essa, na verdade, permite mostrar o mobiliário virtual de um determinado quarto.

Realidade virtual

A realidade virtual nasce, em vez, da intenção de “replicar” a realidade num mundo não real. Essa reproduz as características da realidade do ponto de vista sensorial (visual, auditivo, tátil e olfativo também). Desta forma permite que sejam realizadas ações no espaço virtual superando limites físicos, econômicos e de segurança. Na realidade virtual, as informações são adicionadas ou subtraídas de forma eletrónica. Os dados são em seguida elaborados por um computador e tornam-se preponderantes, até enganar os sentidos, com a sensação de estar “imersos” numa nova situação ‘virtual’.

A realidade virtual é bem adequada para reproduzir modelos tridimensionais de um projeto (aplicação típica da metodologia BIM).

Em geral, podemos afirmar que a realidade aumentada se baseia no potenciamento dos sentidos. A realidade virtual, ao contrário, baseia-se na alteração dos sentidos.

Detalhe com realidade aumentada

Detalhe com realidade aumentada

Há ainda a realidade imersiva, que poderia ser considerada a evolução da realidade virtual: vestindo um visualizador especial, acaba-se por ficar “imersos” numa nova realidade.

O resultado é a ilusão de estar completamente imersos noutro lugar.

A realidade virtual/imersiva tem muitos usos. Por exemplo, permite viver as experiências de visitar uma cidade ou um museu sem ter de chegar fisicamente para aí.

Realidade virtual e arquitetura

Realidade virtual e arquitetura

 

BIM e realidade virtual

O BIM (Building Information Modelling, ou seja modelo de informações de um edifício) é definido como a “representação digital das características físicas e funcionais de um objeto”.  Pode ser concebido como um modelo de:

  • programação
  • projeto
  • realização
  • manutenção

de um edifício que utiliza um modelo informativo, ou seja um modelo que contém todas as informações relativas ao próprio inteiro ciclo de vida, a partir do projeto à edificação, até a demolição e o desmantelamento.

É fácil então perceber como a realidade virtual é um conceito intimamente ligado ao BIM.
O BIM permite, na verdade, obter o modelo virtual 3D de um edifício, que por definição é um modelo de realidade virtual.

Obviamente é mais simples reconstruir um ambiente virtual se já foram definidas muitas características: se o projeto for redigido com um software BIM, o modelo já conterá uma série de informações de tipo geométrico, espacial, sobre os materiais, as cores, etc.

No próximo artigo iremos descobrir as principais vantagens da utilização da realidade virtual e da realidade aumentada para a realização de projetos BIM.