Quais são as características de projeto comuns nos vários tipos de casas geminadas? Vamos aprofundar este assunto visualizando online o modelo 3D BIM do famoso projeto das Water Villas, com a possibilidade de baixar os desenhos em DWG e o modelo 3D BIM

Vamos continuar com os nossos artigos da sessão Aprofundamento Arquitetura analisando as características dos vários tipos de casas geminadas.
Nos primeiros artigos vimos como definir as casas geminadas e quais são os elementos para avaliar ao conceber a instalação das mesmas. Além disso, apresentámos alguns projetos de arquitetos famosos, disponibilizando para o download os DWG de todos os elaborados.

Nos artigos anteriores:

Este artigo de aprofundamento é dedicado a um dos mais representativos projetos de casas geminadas: as Water Villas em Almere, realizado pelo studio UNStudio.

Iremos analisar esta obra, obviamente disponibilizando para o download os arquivos DWG de plantas, axonometrias, elevações e cortes do projeto. Além disso, poderemos ‘mergulhar’ nos modelos 3D BIM do próprio projeto graças a BIM Voyager, uma valiosíssima ferramenta de visualização online que, entre outras coisas, não requer a instalação de nenhum software.

Neste artigo:

Render das Water Villas realizado com Edificius

Render das Water Villas realizado com Edificius

Baixa o modelo 3D BIM (arquivo .edf) das casas geminadas inspirado no projeto das Water Villas

 

Tamanho das fachadas

O tamanho da fachada é definido em função do esquema do tecido urbano e das condições de densidade e acesso.

  • Fachada estreita

É entre 3 e 5,40 m com um esquema de distribuição interna com quatro ambientes (quarto/banheiro/escada/quarto) se a fachada for menor de 4,5 m, ou com três ambientes (quarto/banheiro+escada/quarto) se for maior disso.

 

Casas geminadas: tamanho das fachadas. Um exemplo de fachada estreita do projeto do bairro Borneo-Sporenburg em Amesterdão

Casas geminadas: tamanho das fachadas. Um exemplo de fachada estreita do projeto do bairro Borneo-Sporenburg em Amesterdão

Quando a habitação é muito comprida e a largura da frente é entre 3 e 5 metros, a necessidade de usar as paredes externas requer ter duas varandas e concentrar as áreas destinadas a atividades de serviço (banheiros, corredores, escadas, armários e às vezes cozinhas) na área interna. Nasce assim um tipo de casa com ambientes desenvolvidos em profundidade e quase sem divisórias internas perpendiculares à fachada, com um jardim de largura limitada.

Se a largura da fachada é menor de 4 metros, é necessário ter a escada e a casa de banho colocados lado a lado na área interna, adotando escadas de tipo envolvente (em L ou helicoidais). A área destinada ao almoço deve ser ligada à cozinha (mais raramente à sala de estar), pois o tamanho da fachada não permite que ela seja equipada com uma varanda independente.

A área de dormir é ligada a uma única solução: um quarto de casal e um quarto com duas camas divisível com divisórias semipermanentes.

Este tipo de casa é construído em três níveis ou com um terceiro nível parcial. Para reduzir a superfície destinada à passagem, às vezes adota-se um pórtico comum a duas habitações adjacentes que permite acessar diretamente a área central da casa.

Se a fachada é entre 4,50 e 4,80, é possível ficar com o esquema de três áreas do exemplo precedente, colocando escada e banheiro uma em frente do outro na área interna, ou adotar uma rampa de escadas única ao longo de uma das paredes perimetrais. A segunda solução tem a vantagem de não interromper a sequência de cozinha-sala de jantar-sala de estar, dando a possibilidade de não dividir os três ambientes ou de juntá-los em pares de acordo com as necessidades.

Se a entrada fica no lado da sala de estar, da cozinha e da sala de jantar, é possível criar dois ambientes distintos voltados para o exterior.

Com fachadas de 5,10 – 5,40 temos alguns dos tipos mais difundidos de casa com fachada estreita.
No primeiro andar o banheiro, adjacente ao quarto de casal, sempre pode ter a varanda. Quanto à escada, essa pode ser em L, na área central, ou com rampa única ao longo de uma parede perimetral.
Com escadas inclinadas de 45° também é possível avaliar a solução com rampa interna única, paralela à fachada, que permite o uso completo do espaço entre as paredes de suporte.

Um expediente comum para reduzir o tamanho máximo do gabarito da escada é a solução com duas rampas em “L”, que se pode considerar uma variante da escada reta a ser usada quando há uma grande altura de andar ou uma modesta altura dos degraus.

Elevação casas geminadas Borneo-Sporenburg

Elevação casas geminadas Borneo-Sporenburg

  • Fachada média

É entre 5,40 e 7,20 m e caracteriza-se por um esquema de distribuição interno com três ambientes.
Com um tamanho da fachada entre 5,40 e 7,20 é possível obter habitações com profundidade igual ou maior à largura (quase quadrados), geralmente equipados com duas varandas e uma ampla flexibilidade na organização planimétrica.
As variantes mais difundidas deste tipo são ligadas a posição e forma das escadas:

  1. escada com duas/três rampas adjacente ao banheiro e a um dos quartos;
  2. escada com duas rampas na área interna;
  3. escada reta ou em «L» paralela a uma das paredes perimetrais;
  4. escada reta ou em «L» central e paralela à fachada.

As primeiras duas variantes prevêem no rés-do-chão um espaço de entrada que contém a escada e permite o acesso a todos os ambientes. A terceira oferece amplíssima liberdade à organização do rés-do-chão. A quarta, enfim, permite usar a inteira fachada e é a mais adequada aos esquemas com duas entradas uma em frente da outra.

  • Fachada comprida

É maior de 7,20 m com um esquema de distribuição que permite dispensar a segunda varanda para os quartos reservando-a aos banheiros.
As separações entre os vários ambientes resultam de partições ortogonais à fachada e é possível identificar em planta uma área interna destinada aos banheiros e aos espaços de passagem.
Neste caso, o jardim é mais agradável porque tem o lado maior adjacente à fachada da habitação.
As casas com fachada comprida de dois andares podem ter uma seção em «Z», conhecida como com varandas controladas ou reversíveis, que faz com que o rés-do-chão seja voltado para o jardim e o primeiro andar para a estrada. Neste caso, é indispensável a presença da escada com rampa única, ortogonal à fachada, que permite a inversão das varandas.

É interessante comparar este tipo de planta com as destinadas às fachadas de 4,50-4,80, já mencionadas em relação à “fachada estreita”.
Com a mesma superfície envidraçada, a fachada estreita permite ter apenas uma solução (um quarto grande e dois pequenos de igual tamanho). A fachada comprida, pelo contrário, permite variar o tamanho dos quartos (três iguais, um pequeno e dois grandes, um grande, um médio e um pequeno).
Caso a profundidade exceda o duplo da fachada, é possível que haja uma faixa central de ambientes, não exposta à luz, que poderá ser iluminada mediante clarabóias.

Water Villas: casas geminadas modernas em vários níveis, colocadas lado ao lado e realizadas mediante translação e rotação de cada unidade

Pouco distante de Almere fica a área residencial projetada pelo UNStudio, composta por uma série de edifícios que agregam entre 2 e 6 unidades residenciais e por um grupo de residências unifamiliares.

Water Villas - casas geminadas - render realizado com Edificius

Water Villas – casas geminadas – render realizado com Edificius

A área residencial desenvolve-se perto da água. Entre um edifício e outro foi deliberadamente mantido um grande espaço vazio, a partir do qual é possível aproveitar a paisagem.

Water Villas - planta primeiro andar

Water Villas – planta primeiro andar

Foram previstas 2 diferentes distribuições dos tipos de edifícios:

  • uma fila de casas individuais ao longo do canal
  • um complexo em forma de pátio, semelhante a uma ilhota cercada em cada lado pela água, composta de agregações do módulo básico.

Os objetos e jogos de entrelaçamento produzidos pela combinação dos volumes refletem-se na água, acentuando o efeito de dissolução das formas escultóricas dos edifícios.

O projeto inspira-se nos conceitos de máxima flexibilidade e individualidade.

Cada casa é composta por uma construção básica que pode ser ampliada e estruturada de acordo com as preferências e estilo de vida do cliente.

A distribuição das unidades habitacionais oferece aos habitantes um alto grau de privacidade, pois os edifícios individuais são totalmente independentes.

Water Villas - corte A-A

Water Villas – corte A-A

Water Villas - elevação sul

Water Villas – elevação sul

Water Villas - axonometria

Water Villas – axonometria

Water Villas: baixa os DWG em formato .zip dos cortes do projeto Water Villas: baixa os DWG em formato .zip das elevações do projeto Water Villas: baixa os DWG em formato .zip das axonometrias do projeto

Os ambientes, estruturados como caixas, dão a impressão de se separar, enquanto os volumes dos andares superiores sobem no ar. Os numerosos ângulos, cantos e nichos criam um efeito de vivo contraste com a calma da superfície da água.

O pacote básico consiste em dois módulos de concreto de 6 metros de largura, 10 de profundidade e 3 de altura. O primeiro andar é movido para obter uma varanda no telhado.

Para atender às diferentes necessidades dos clientes, a habitação básica pode ser ampliada, desenvolvendo e aumentando o próprio potencial volumétrico.
Neste sentido, usa-se uma caixa pré-fabricada com uma estrutura de aço com 2,5 metros de altura e 6 de largura.

Coberta de madeira, a caixa pode ser transformada em varanda, jardim de inverno ou quarto.

Casas geminadas e BIM

Eis um exemplo de BIM Model viewer online que permite explorar o modelo BIM com o mouse, o teclado e o touch do dispositivo.

Sem ter que instalar qualquer software, poderás navegar no modelo 3D BIM do projeto do Water Villa de acordo com a visão preferida (órbita ou em primeira pessoa), movendo-te como desejares, olhando o ângulo desejado, ampliando onde quiseres, visitando os ambientes de interesse.

Casas geminadas e BIM: como desenhar as escadas

Enfim, eis dois pequenos vídeos explicativos, inspirados no projeto das Water Villas, o primeiro dos quais mostra como é simples desenhar as escadas no edifício graças ao BIM.