Casas geminadas de arquitetos famosos com descrição das obras, plantas, planimetrias, desenhos dwg e modelos 3D BIM: o projeto do bairro Malagueira de Alvaro Siza

Vamos continuar o nosso aprofundamento nos projetos de casas geminadas de arquitetos famosos.
Nos artigos precedentes vimos as características que identificam as casas geminadas e analisámos a obra do arquiteto Mies Van der Rohe em Lafayette Park.
Neste artigo iremos falar das obras de Alvaro Siza: o projeto do bairro Malagueira em Évora, Portugal.

Lê também:

Este artigo de aprofundamento será caracterizado, como os anteriores, por uma breve análise descritiva dos projetos, uma reprodução dos modelos 3D BIM e, enfim, por DWG de plantas, axonometrias, elevações, cortes disponíveis para o download.

Neste artigo:

 

Download modelo 3D BIM

De acordo com a linha editorial que já escolhemos, este artigo também inclui o download do modelo 3D BIM, em formato .edf, inspirado nos projetos de casas geminadas que estamos a analisar. A partir destes modelos será possível obter de forma extremamente fácil e automática todos os elaborados de projeto (plantas, elevações, cortes, etc.).

 

Baixa o modelo 3D BIM (arquivo .edf) das casas geminadas inspirado numa parte do Bairro Malagueira

Detalhe do bairro Malagueira em Évora, obra de Alvaro Siza - modelo reproduzido com o software Edificius

Detalhe do bairro Malagueira em Évora, obra de Alvaro Siza – modelo reproduzido com o software Edificius

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Projetos famosos de casas geminadas: bairro Malagueira em Évora, de Alvaro Siza

Arquiteto português, Álvaro Joaquim de Melo Siza Vieira nasceu em1933 perto de Porto. Licenciou-se na Escola de Belas Artes do Porto. Após uma breve colaboração com Fernando Tavora, um dos máximos protagonistas da Escola do Porto, abriu o próprio estúdio no Porto, onde ainda hoje trabalha.

Visiting Professor na Ècole Polythéchnique de Lausanne, na University of Pennsylvania, na Los Andes University de Bogotà e na Graduate School of Design da Harvard University, Siza é professor na faculdade de arquitetura da Universidade de Porto.

O conceito de arquitetura de Siza visa recuperar técnicas e materiais tradicionais, mas sobretudo introduzir elementos de ruptura e geometrias aparentemente contraditórias que atualizam as geometrias do projeto.

A paisagem é tudo aquilo que existe no campo visível

afirma Alvaro Siza.
Entre as suas numerosas obras:

  • a Escola Superior de Educação de Setúbal;
  • a nova Escola de Arquitetura do Porto;
  • a Biblioteca da Universidade de Aveiro;
  • o Museu da Arte Moderna do Porto;
  • o Pavilhão do Portugal para o EXPO de 1998 e o Pavilhão do Portugal de Hannover 2000 (conjuntamente com o arquiteto Souto de Moura);
  • o plano de recuperação de Schilderswijk na Holanda;
  • a realização da estação Municipio da linha do metro de Napules, conjuntamente com a requalificação da inteira praça homônima;
  • as 1200 habitações dos bairros Malagueira em Évora, um importante exemplo de projeto de casas geminadas.

Casas geminadas no bairro Malagueira: descrição da obra

O projeto do novo bairro Malagueira desenvolve-se na zona oeste do centro histórico da cidade de Évora.
Os princípios inspiradores são:

  • a pesquisa de relações com os traços histórico-naturalísticos, mas também com as pré-existentes expansões abusivas;
  • o uso de um tecido residencial baixo de alta densidade.

Relações com o centro histórico

Relações físicas
Relativamente ao trânsito, 3 estradas ligam o centro histórico ao bairro: no sul a estrada nacional Évora-Lisboa; no norte a Calle de las piscinas; no centro a extensão da estrada que já estruturava o bairro abusivo de Nossa Senhora da Gloria, a qual garante uma ligação direta com o centro histórico e cria uma relação com o tecido urbano existente, se bem de caráter heterogéneo, pois resulta de um bairro abusivo.

Relações visuais
O amplo espaço aberto central, a baixa altura do tecido residencial e o seu adaptar-se à morfologia do terreno são as estratégias que garantem a relação visual direta com o centro histórico.

Relações com a história
A influência do antigo aqueduto da cidade de Évora é evidente no projeto de Siza, tanto na “Conducta” como nas casas encostadas no aqueduto.

Os apartamentos são organizados “por partes” ao longo da “conducta” que, de acordo com o arquiteto, tem um carácter unificador: uma longa parede que funciona como apoio para o sistema de instalações suspensas de agua, eletricidade, gás, redes telefónicas e televisivas, e que evoca o histórico aqueduto, localizado na proximidade imediata da conducta.

O inteiro bairro foi realizado de acordo com poucas e essenciais regras de construção: a malha dos lotes é de 8×12 metros, a altura do muro em relação da estrada é de 3,5 metros e a altura máxima das habitações é de 6 metros.
De 6 metros é a estrada também, resultante da duplicação paralela do muro retilíneo.

Malagueira - pré-visualização axonometria

Malagueira – pré-visualização axonometria

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Baixa o DWG da axonometria

Foram concebidos dois tipos diferentes de habitações, tipo A e tipo B. Ambos dispõem de uma superfície total de 90 m².

O tipo A é caracterizado pelo pátio virado para a estrada, protegido por um muro alto 1,50, 2,50 ou 3,50 m.
No tipo B, pelo contrário, o pátio está virado para o interno, mas não há diferenças específicas entre os dois tipos.

Os ambientes estão distribuídos nos dois andares: a cozinha fica no rés-do-chão e é o único ambiente com vista para a estrada; os restantes ambientes tem vista para o terraço e o pátio.

As portas, as janelas francesas viradas para a estrada com persianas compostas por duas partes independentes altas e baixas, a chaminé de fachada, o degrau da porta com pavimentação de azulejos e a cozinha que controla o pátio são elementos tipológicos tradicionais.

O sistema de construção é muito simples, repetitivo e pode ser implementado em pequenas unidades (por partes).

Bairro Malagueira de Alvaro Siza - elevação

Bairro Malagueira de Alvaro Siza – elevação

 

 

 

 

Baixa todos os DWG em formato .zip das elevações dos diferentes tipos de casas geminadas existentes no projeto

Todas as habitações foram concebidas a partir de uma única tipologia: os blocos de 8×12 m são separados da rua, cada habitação tem um pátio e um muro que a divide de outra habitação semelhante, na parte de trás.

As instalações públicas presentes no assentamento incluem uma praça coberta, uma escola de música, um hotel, abrigos para idosos, dois centros sociais, um pequeno teatro ao ar livre e um restaurante. As células habitacionais adaptam-se è tendência do terreno, assim criando os agrupamentos lineares de habitações, intercalados por ruas para pedestres com 6 metros de largura.

O uso de materiais tradicionais foi inevitável, especialmente para economizar os transportes, criar empregos e promover a independência regional.

Clica aqui para baixares Edificius, o software para projetos de arquitetura BIM