Conheça algumas casas unifamiliares de arquitetos famosos selecionadas para você com descrição dos projetos, render e arquivos dwg de plantas, elevações e planimetrias para baixar


Cada País do mundo possui inúmeros exemplos e vários tipos de casas unifamiliares. Muitas dessas foram projetadas por arquitetos famosos.

Neste artigo de aprofundamento sobre os tipos de construção, dedicado aos arquitetos famosos, iremos falar de um projeto de casas unifamiliar realizado numa das cidades mais inovadoras, do ponto de vista arquitetônico, da Europa: Roterdã.

Desta vez a tarefa não foi fácil: a dificuldade consistiu em fazer uma adequada seleção entre os arquitetos famosos e as obras dos mesmos, sendo o mundo inteiro rico desses tipos de habitações que inspiraram e ainda inspiram arquitetos de todos os Países.

Como sempre, iremos fornecer os detalhes de construção do projeto escolhido, anexando modelos 3D BIM, arquivos dwg de plantas, elevações, cortes e outros desenhos técnicos disponíveis para o download.

Particularmente interessante e ao mesmo tempo educativa, é a possibilidade de navegar nos espaços internos dos projetos realizados, cujo mobiliário foi enriquecido com alguns dos muitos objetos BIM presentes na nossa biblioteca (e disponibilizados de forma gratuita para o download).

Casa Kwantes, obra do escritório MVRDV – render espaços internos realizado com o software Edificius

Casa Kwantes, obra do escritório MVRDV – render espaços internos realizado com o software Edificius

É difícil elaborar uma classificação dos arquitetos mais famosos de todos os tempos.
Mentes brilhantes e criativas projetaram ou continuam a projetar algumas das obras mais bonitas do planeta: obras-primas com um forte impacto emocional, edifícios espetaculares e tecnológicos com uma estrutura única e muito original.

Projetista é, na verdade, sinônimo de artista.

Casas unifamiliares de arquitetos famosos

Em alguns artigos especiais da nossa seção de Aprofundamento arquitetura já focámos em 3 projetos de casas unifamiliares de arquitetos famosos.

Vamos agora conhecer e descrever Casa Kwantes, realizada entre 2014 e 2016 em Roterdã pelo escritório MVRDV.

Baixe o modelo 3D BIM (arquivo .edf) do projeto
 

Clique aqui para baixar Edificius, o programa de arquitetura BIM

 

Nos próximos artigos iremos falar de Villa Malaparte de Adalberto Libera e Villa Mairea de Alvar Aalto.

Casa Kwantes – MVRDV

O escritório holandês MVRDV é sem dúvida uma das equipes de design contemporâneas mais interessantes. Criado em 1993 pelos arquitetos holandêses Maas, van Rijs e de Vries, o MVRDV é considerado um dos protagonistas da renovação da linguagem arquitetônica iniciada por Rem Koolhaas nos anos noventa.

As obras mais recentes focam em alguns temas relativos à cidade contemporânea, nomeadamente a densidade populacional, particularmente relevante na Holanda e emergente em muitas outras áreas urbanas, bem como o difícil relacionamento entre edifício e paisagem.

Vamos mencionar alguns dos numerosos projetos realizados: o pavilhão holandês na Expo 2000; o grande parque de estacionamento Flight Forum em Eindhoven; o Teletech Campus em Dijon, cujas paredes mostram o código QR das várias atividades da empresa; a Borneo Houses de Amsterdão; os Apartamentos Wiener Veite em Viena; a Braibant Library em Eindhoven; o Silodam em Amsterdã; o Unterföhring Park Village em Munique; enfim, o premiado complexo habitacional WoZoCo em Amsterdão.

Entre os vários prémios recebidos é importante recordar: o Fritz Schumacher prize (2000); o NAi award 2002; o Amsterdam prize for the Arts 2003; o RIBA Manser medal (2011).

O projeto

Muitas são as razões que nos levaram a escolher, entre os projetos de casas unifamiliares de arquitetos famosos, Casa Kwantes do escritório MVRDV: a arquitetura, as escolhas de projeto feitas, as particularidades de alguns elementos de construção, a localização entre outros edifícios residenciais.

Se bem não represente o protótipo de casa unifamiliar isolada, Casa Kwantes é um projeto de casa unifamiliar que conseguiu preservar isolamento e privacidade, mantendo ao mesmo tempo ambientes brilhantes e espaços abertos.

Intimidade e paisagem, dureza e flexibilidade, monoliticidade e transparência: tudo isso é Casa Kwantes.

render Parte traseira - Casa Kwantes_software Edificius

“Na sua aparente simplicidade consegue ser original e absolutamente incrível. O que não pertence não está lá.”

Casa Kwantes fica num terreno angular no meio de um bairro residencial a oeste de Roterdã.

Rodeada por estradas ao norte e oeste, o desenho da casa é afunilado para o sul, entre os terrenos circundantes. O volume da casa é inteiramente orientado para os edifícios vizinhos: corre paralelamente às bordas externas do terreno em dois lados para depois afastar-se e tomar forma angular.

Casa-Kwantes_planimetrias

A casa oferece uma superfície considerável: 480 metros quadrados em dois níveis, cobertos por um simples telhado plano.

Para atender aos requisitos da arquitetura municipal de estilo retrô, os arquitetos propuseram uma nova interpretação do modernismo dos anos trinta.

Olhando para ela a partir da rua, a casa parece um mero paralelepípedo retangular, um volume compacto, puro, revestido em tijolo branco com aberturas mínimas que não sugerem muito do que está escondido atrás da fachada. A casa é quase um monólito: do exterior, é praticamente impossível prever as surpresas espaciais que ela oferece.

Entrada_Casa Kwantes_software Edificius

A única interrupção na alvenaria é a entrada principal semelhante a um nicho; na verdade, nesse ponto o acesso à casa parece querer atrair menos atenção possível.

Mesmo depois de passar a porta, a casa mantém o seu mistério, introduzindo o visitante num hall de entrada pequeno e escuro.

Contudo, é a partir daqui que a casa revela o seu lado imprevisível e fascinante: a parte interna, distribuída em dois níveis, abre-se completamente para o sul e os tijolos dão lugar a uma janela curva e contínua, que convida a luz a inundar os espaços.

casas unifamiliares arquitetos famosos kwantes planta primeiro andar

“O vidro curvo enrola continuamente ao longo da fachada interna em ambos os níveis, criando panoramas contínuos de sala em sala e conexão visual. Uma varanda ao ar livre permite caminhar facilmente de um espaço para outro sem interrupção. Os reflexos de vidro da árvore central mudam continuamente enquanto o visitante se move pela casa e muda a perspectiva.”

[J.van Rijs]

A casa abre-se para uma maravilhosa sala de estar com linhas curvas, cuja estrutura essencial é um longo armário de madeira que oculta todos os serviços, a entrada do porão, o banheiro de hóspedes, a parede equipada da cozinha e a despensa.

Iluminada em cada lado, a sala de estar tem vista para um jardim que se torna parte integrante da casa graças ao piso externo que estende os limites da sala, seguindo o curso das janelas, até abraçar as árvores. No extremo oposto, ainda, um pequeno pátio oferece a possibilidade de apanhar sol ou fazer um churrasco no verão.

casas unifamiliares arquitetos famosos kwantes axonometria

No jardim interno a grande oliveira é a alma antiga deste projeto habitacional.

A árvore é o núcleo, o ponto nevrálgico em função do qual o espaço é organizado. Não é coincidência que o piso interno se estenda para o exterior, sugerindo uma continuidade de lugar e intenção: o jardim não é separado do edifício, mas parte integral e essencial do mesmo.

O segundo nível, além de acolher os quartos, caracteriza-se pela presença de uma varanda contínua que percorre todo o lado interno e fica em saliência para sombrear os ambientes adjacentes ao jardim.

casas unifamiliares arquitetos famosos kwantes corte B-B

Em relação aos espaços internos, o design usado combina estilo retrô e inovação: por um lado, evoca o modernismo dos anos trinta, com as janelas altas e o jogo de contrastes (plano/fluido, fechado/aberto, rígido/flexível); por outro, surpreende com escolhas incomuns, por exemplo tornar uma oliveira protagonista indiscutível dos espaços.

casas unifamiliares arquitetos famosos kwantes elevação

E o meio ambiente não fica para trás! As soluções tecnológicas e arquitetônicas adotadas, na verdade, fazem com que a casa seja completamente autossuficiente: a dispersão de calor devido às janelas é amplamente equilibrada por uma bomba de calor geotérmica e painéis solares, enquanto a pequena saliência entre os dois níveis da casa permite que a sala de estar no piso térreo obtenha adequado sombreamento.

Clique aqui para conhecer e testar Edificius, o programa de arquitetura BIM