Quais são as principais diferenças entre os formatos de arquivos abertos e os proprietários? Vamos descobrir como funciona e como é constituído o arquivo IFC?

Sobre o arquivo IFC sabemos muito, mas não tudo. Vamos ver alguns aspeitos operacionais começando, em primeiro lugar, pelo esclarecimento do que significa ‘formato aberto não proprietário‘.

Formatos abertos

Um formato aberto, em informática, indica uma especificação técnica de domínio público usada para a descrição e armazenamento de dados digitais, livre de restrições legais para o uso da mesma.

O principal objetivo dos formatos abertos é garantir o acesso aos dados no longo prazo sem incerteza em relação aos direitos legais ou às especificações técnicas (interoperabilidade).

Outro objetivo dos formatos abertos é incentivar a concorrência em vez de permitir que um único fabricante mantenha o controle sobre um formato proprietário.

Formatos proprietários

Os formatos proprietários são, na verdade, controlados e definidos por interesses privados.

Um usuário poderia perder todas as informações conteúdas num formato proprietário se o único software proprietário capaz de operar de forma correta com esses dados já não fosse disponível. Outra hipóteses, ainda pior, é que a software house que criou o arquivo em questão poderia desaparecer do mercado, tornando assim ilegíveis (e, portanto, perdidos para sempre) os dados guardados nos arquivos armazenados.

Todas as informações recolhidas nos arquivos públicos (organismos, instituições, administração, etc.) iriam tornar-se inutilizáveis em muito pouco tempo.

Muitas pessoas já devem ter tido de voltar atrás no tempo para qualquer prática de construção: a presença de documentos, no entanto, permitiu superar incertezas e dificuldades.

O formato MP3, por exemplo, é um formato proprietário mas também é um formato aberto porque, se bem patenteado, as especificações dele são públicas.
A publicação da especificação técnica é uma maneira de difundir o formato e torná-lo num padrão internacional.

Um formato proprietário aberto pode ser diferente de um formato open-source porque o primeiro só pode ser alterado com um programa proprietário. Os formatos open-source podem ser quer lidos quer alterados por qualquer aplicação.

É evidente o valor do formato IFC: independência dos dados do formato do arquivo onde eles são armazenados e transmitidos.

Como é constituído o arquivo IFC

Peguemos num arquivo com formato ‘.ifc‘, por exemplo relacionado a um modelo BIM arquitetônico.

Renderização de um modelo arquitetônico BIM

Renderização de um modelo arquitetônico BIM

Vamos tentar renomeá-lo, alterando a respetiva extensão como ‘.txt‘. Depois vamos abrí-lo com qualquer editor de texto (tais como Notepad de Microsoft, presente em todas as versões de Windows).

Modelo IFC aberto com Notepad

Modelo IFC aberto com Notepad

Trata-se de uma lista de parâmetros não apenas geométricos, organizados por objetos logicamente estruturados, acompanhados pelo respetivo valor e legíveis.

Um arquivo IFC pode ser lido diretamente ou visualizado por meio dos visualizadores gratuitos que são facilmente disponíveis na internet.

Tudo isso é a razão pela qual podemos afirmar que um arquivo IFC permitiria transmitir informações de forma eficaz entre os vários atores de um processo de construção caso decidissem trocar tais arquivos entre eles.

 

Descobre como é fácil importar e exportar modelos IFC com um software BIM. Baixa e testa grátis por 30 dias Edificius