Uma empresa de Boston está desenvolvendo uma Inteligência Artificial que conseguirá localizar e monitorar, através de drones, todas as máquinas e os fatores de risco para reduzir os acidentes de trabalho no canteiro de obras

Suffolk, um Empreiteiro Geral da indústria da construção com volume de negócios anual de 3 bilhões de dólares e sede em Boston, está desenvolvendo uma interessante aplicação da Inteligência Artificial: um algoritmo que analisa as fotos tiradas pelos drones nos canteiros de obras, examinando possíveis riscos relacionados à segurança dos seus trabalhadores.

Em outras palavras, a I.A. correlaciona as imagens tiradas pelos drones com os relatórios dos acidentes registrados num banco de dados e com as rotas dos veículos pesados, destacando quais e quantos são os riscos de uma tarefa específica ou de uma determinada área do canteiro de obras.

detalhe canteiro de obras inteligência artificial segurança

A empresa ainda está aperfeiçoando a tecnologia, mas acredita que esta última será capaz de calcular “classificações de risco” para os projetos a fim de ajudar os gerentes de segurança na detecção de possíveis ameaças.

Todos os anos, em todo o mundo, os acidentes nos canteiros de obras representam a maioria dos acidentes de trabalho. Os trabalhadores do setor da construção, de fato, estão expostos a um risco cinco vezes maior do que qualquer outro tipo de trabalhador. É evidente, portanto, que a redução de acidentes constitui uma prioridade para o mundo da construção no nível global, também porque os acidentes afetam os cronogramas e os custos.

Como todas as construtoras, a Suffolk gera/armazena muitos dados a cada ano, relatórios, fotos de canteiros de obras, contratos de fornecedores e registros de inspeção.

drone-monitoramento-segurança canteiros de obras inteligência artificial

É por isso que decidiu desenvolver esse algoritmo analisando as informações adquiridas de uma pluralidade de fontes, também extraídas de arquivos internos referentes a 10 anos de trabalho. Os resultados dessa pesquisa poderiam ser posteriormente comunicados aos proprietários de edifícios, subcontratados e coordenadores de segurança, que, por sua vez, poderiam usá-los para reduzir fatores de risco.

A Suffolk também tem explorado maneiras de usar dados resultantes de sensores Internet das coisas (em inglês IoT, Internet of Things) para aumentar a eficiência dos processos de construção.

Uma ideia particularmente inovadora é traçar a posição de caminhões e de todos os veículos em movimento num canteiro de obras para monitorar as rotas e os possíveis fatores de risco. Além disso, a tecnologia poderia facilitar as próprias obras, por exemplo avisando os trabalhadores da chegada dos caminhões betoneiras.

O modelo realizado a partir desses dados identifica, então, o grau de risco de uma tarefa ou de um canteiro de obras, destacando possíveis fontes de acidentes para que seja possível realizar ações preventivas.

trabalhadores inteligência artificial segurança canteiros de obras

Esse tipo de processamento de dados referentes a acidentes de trabalho ainda é raro na indústria da construção dos EUA, em parte porque os métodos tradicionalmente comprovados são dificilmente abandonados pelos operadores, mesmo que sejam os potencialmente mais perigosos.

Porém, a falta de mão de obra e o desejo de aumentar as baixas taxas de produtividade da indústria da construção têm pressionado algumas empresas a investir na Inteligência Artificial aplicada ao setor. Os promotores dessa inovação acreditam que esta tendência poderia transformar o setor com um ganho global de 13 trilhões de dólares. Nos últimos anos, na verdade, cerca de 20 empresas de construção nos Estados Unidos já lançaram várias iniciativas de inovação que preveem o uso da Inteligência Artificial; Suffolk é um desses pioneiros.

O futuro do BIM

A Inteligência Artificial também terá um impacto inovador no BIM (Building Information Modeling), ou seja, o processo digital através do qual é possível acompanhar todos os aspectos do ciclo de vida de um projeto.

A Inteligência Artificial é, de fato, capaz de usar imagens geradas por drones e dados coletados com ferramentas tecnológicas a fim de criar modelos semelhantes aos desenvolvidos pelo BIM, facilitando assim a comparação entre imagens e dados.

Assista ao vídeo de apresentação de CerTus HSBIM, o software BIM para a modelagem 3D e 4D da segurança no canteiro de obras.

 

Conheça todas as soluções ACCA software para a indústria da construção