WoZoCo Apartments e habitação social em Terrassa: projetos famosos de habitação social com características técnicas, imagens, dwg e modelos 3D BIM nos quais navegar online

Vamos continuar com os nossos artigos da seção Aprofundamento Arquitetura analisando projetos de habitação social, um tipo de construção residencial que nos últimos anos tem sido significativamente valorizado.

Neste artigo iremos ver as características de alguns projetos famosos de habitação social, dos quais iremos disponibilizar para o download plantas, elevações e cortes em formato DWG, bem como o modelo 3D, que nos permitirá entrar no projeto mediante a navegação online.

Antes de começarmos, eis o modelo 3D baixável de um projeto que já realizámos e que se inspira no projeto de habitação social WoZoCo Apartments em Amesterdão.

Download do modelo 3D BIM

Baixa o modelo 3D BIM (file .edf) inspirado no projeto de habitação social WoZoCo
Habitação social projeto inspirado em Wozoco – render realizado com Edificius

Habitação social: projeto inspirado em Wozoco – render realizado com Edificius

Clica aqui para baixares Edificius, o programa de arquitetura BIM

Os apartamentos WoZoCo em Amesterdão – 1994/1997

Em meados dos anos Noventa, ficou claro que o caráter da Cidade Jardim de Amesterdão Oeste, construída nos anos ’50 e ’60, começava a colidir com o grande aumento da densidade populacional que ameaçava os espaços verdes, a qualidade mais importante da cidade desde sempre.
Para enfrentar este problema, foi proposta ao estúdio MVRDV a realização no bairro Osdorp de um bloco de 100 apartamentos destinados a pessoas com mais de 55 anos.

Habitação social – Apartmentos WoZoCo – axonometria anterior

Habitação social – Apartamentos WoZoCo – Axonometria anterior

Habitação social – Apartmentos WoZoCo – axonometria posterior

Habitação social – Apartamentos WoZoCo – Axonometria posterior

O objetivo deste projeto, concebido no contexto das casas e dos apartamentos para idosos, foi realizar algo que fornecesse uma maior independência aos inquilinos e que, ao mesmo tempo, pudesse ser posteriormente adaptado de forma fácil a inquilinos mais jovens.

Apartamentos Wozoco - render realizado com Edificius

Apartamentos Wozoco – Render realizado com Edificius

A ideia de projeto foi, desde o início, realizar um edifício com entrada da varanda comum que acolhesse 100 famílias. Contudo, o plano de urbanização em vigor – ou seja, as normas AUP de Cornelis Van Eesteren, que remontam ao final da década de 1920 – não teria permitido isso sem privar da exposição solar correta os prédios que ficavam nas proximidades. Nessas condições, teria sido possível realizar apenas 87 apartamentos. Onde iam ser inseridas as 13 unidades restantes?

Planta do quinto andar - Apartamentos Wozoco

Planta do quinto andar – Apartamentos Wozoco

 

Uma primeira solução proposta foi realizar dois edifícios. Desta forma, todavia, ia-se subtrair mais terreno a uma área verde que, pelo contrário, se pretendia preservar.

Se os edifícios tivessem sido colocados num outro lugar da área, o espaço teria sido demasiado pequeno. Além disso, não parecia viável criar um bloco muito profundo com unidades habitacionais muito estreitas, pois a orientação Norte-Sul do bloco teria requerido que o módulo gerador fosse de 7,20 m.

Não sendo possível aumentar a profundidade do edifício, foi adotada uma solução extrema: realizar as 13 unidades habitacionais restantes completamente em saliência ao longo da parede norte, onde ficam as varandas, através de um complexo sistemas de vigas que permitisse suportar volumes pesados. 

Render dos apartamentos Wozoco realizado com o software BIM Edificius

Render dos apartamentos Wozoco realizado com o software BIM Edificius

Elevação norte dos apartamentos Wozoco

Elevação norte dos apartamentos Wozoco

É, portanto, da necessidade de contornar os obstáculos que surgiu a ideia de, literalmente, suspender 13 unidades na fachada, à maneira de grandes paralelepípedos em saliência, evitando uma adicional e não desejada subtração de terreno. Os apartamentos orientados para Norte-Sul foram, então, completados com um tipo suspenso de orientação Leste-Oeste, com vista para o polder.

O tipo monótono adotado nos apartamentos-galeria tornou-se aceitável graças à adoção de alterações elementares, intuitivas, mas sem preconceitos: cada galeria oferece uma perspetiva diferente. Alterando a posição das janelas, o tamanho das varandas e mudando os relacionados materiais, cada apartamento adquiriu um caráter peculiar.

Para além disso, as fachadas foram tratadas com uma diversificação de cores em relação aos parapeitos das varandas e uma movimentação na distribuição das janelas.
O que emerge é um trabalho único, ao mesmo tempo sábio e divertido, inteligente e animado: uma paleta de cores tridimensional que confere uma nova luz aos subúrbios.

As paredes divisórias foram construídas com uma espessura extra de 8 cm em comparação com o estruturalmente necessário para o isolamento acústico. Foi, portanto, possível aproveitar essa espessura para as ligações das vigas suspensas sem ter um aumento no peso das paredes de suporte. Além disso, foi preciso revestir estas vigas para o isolamento acústico e contra o risco de incêndio.

Um projeto moderno de habitação social em Terrassa – estúdio TAC Arquitectes (2013)

Habitação social - Terrassa Espanha - Render realizado com Edificius

Habitação social – Terrassa Espanha – Render realizado com Edificius

128 apartamentos em 5 andares desenvolvidos numa superfície de 9.000 m2: estes os números do edifício de habitações sociais em Terrassa (Barcelona).

Um projeto exemplificativo, pois reúne alguns “pontos” da arquitetura da Habitação social:

  • variedade de tipos das habitações em relação ao tamanho e à orientação dos dois edifícios;
  • desenho preciso dos espaços comuns e intermédios (varandas, entrada, escadas e zonas de passagens internas comuns);
  • conotação diferente das elevações do edifício dependendo da relação com, respetivamente, a corte interna e a frente da rua;
  • elaboração cuidadosa dos dispositivos das fachadas (varandas, sistema de janelas, cores, texturas e materiais) que indicam a diferente articulação e a condição individual de cada habitação em relação ao caráter inevitavelmente sólido de todo o edifício.

Localizado na área de Can Colomer, perto da estrada entre Terrassa e Rellinars, este pequeno projeto residencial desenvolve necessidades de planejamento.

Trata-se de uma estrutura em forma de L com dois edifícios substancialmente diferentes por comprimento e profundidade, o que determina as opções tipológicas para cada um deles.

O volume construído é muito compacto: a elevação principal é caracterizada por cursos horizontais, a secundária por saliências e furos que criam uma fachada regular e simétrica. Por conseguinte, o volume menos profundo com fachadas voltadas para Norte e Sul é desenhado com unidades de 2 fachadas cada uma; o volume perpendicular voltado para Leste e Oeste, pelo contrário, tem casas de cada lado com acesso e ventilação transversal através de um pátio do corredor longitudinal.

A escada é inserida num volume independente e maciço. O uso de pedras nas paredes do perímetro é alternado com lamelas de aço móveis que permitem maior controle da luz solar. As cores escolhidas para o layout das superfícies tornam o complexo reconhecível em relação à área circundante.

Nas fachadas, o arranjo fragmentado dos terraços reduz o caráter de massa do projeto, se bem preservando as condições individuais de cada casa.

A fachada norte contém galerias comuns construídas com um invólucro parcial que combina diferentes filtros, texturas e cores, o que determinam a imagem mais pública e distintiva do projeto.

No próximo artigo…

O Aprofundamento Arquitetura dedicado aos tipos de construção irá continuar no próximo artigo com as casas em fita.

Será uma oportunidade para aprofundar as características deste tipo de construção, apreciar os aspetos arquitetônicos da mesma, analisar projetos de casas em fita famosas e disponibilizar para o download plantas, elevações e cortes em DWG.

Clica aqui para conheceres Edificius, o programa de arquitetura BIM