Crescem as aplicações práticas de realidade virtual e aumentada no campo da arquitetura e design de interiores: conheça o que são e como podem tornar-se úteis

Os progressos tecnológicos permitiram aplicar no campo do design e da arquitetura ferramentas que costumavam ser utilizadas quase exclusivamente no mundo dos videojogos: realidade virtual e aumentada são dois exemplos com potencial considerável.

Essas novas ferramentas garantem inúmeras vantagens, tais como a possibilidade de apresentar ao cliente ideia de projeto e relacionados benefícios, pois permitem navegar no próprio projeto para endender em primeira mão, facilitando o trabalho de técnicos e projetistas na fase de promoção.

O que entendemos, então, por realidade virtual e aumentada? Quais são as diferenças entre essas ferramentas?

E quais são as suas aplicações práticas?

realidade virtual-arquitetura

Realidade virtual

A realidade virtual (VR, virtual reality em inglês) reproduz o mundo real num ambiente digital, utilizando fotos, renderizações e vídeos de 360°. As novas tecnologias digitais tornaram possível a navegação em ambientes foto realistas, além de permitir a interação em tempo real com os objetos existentes.

A realidade virtual baseia-se na utilização de tecnologias que criam um ambiente simulado: o mundo visualizado é totalmente criado de forma digital. O usuário acaba numa experiência 3D na qual pode interagir com mundos virtuais, se bem de forma limitada em comparação com a realidade aumentada.

As tecnologias atuais fazem com que a percepção de um mundo virtual ainda possa ser distinguida da percepção do mundo real. O fotorrealismo das imagens, de fato, torna a experiência visual relativamente completa, mas negligencia os outros sentidos.

Isso é principalmente devido ao fato de que a visão é o nosso sentido dominante e, portanto, os ambientes virtuais devem ser caracterizados por imagens de alta qualidade, capazes de substituir a realidade. Os outros sentidos têm, pelo contrário, um peso menos influente.

realidade virtual-indústria da construção

Realidade aumentada

A realidade aumentada (AR, augmented reality em inglês) permite aplicar informações digitais ao ambiente real utilizando visores/óculos 3D, smartphones, tabletes.

Graças à interação entre fotos e vídeos do ambiente real com os modelos 3D, é possível enriquecer as imagens com detalhes e informações adicionais (fichas técnicas, detalhes de construção, informações sobre materiais, custos, exemplos de aplicações reais, etc.), criando um verdadeiro ‘plástico virtual’.

Tais ferramentas aproveitam sensores e algoritmos capazes de determinar a posição e a orientação de uma câmara. Desta forma, são criados objetos 3D orientados assim como apareceriam do ponto de vista da câmara.

A sobreposição das imagens assim geradas nas imagens do mundo real resulta no enriquecimento da percepção sensorial humana através de informações, geralmente manipuladas e transmitidas eletronicamente, que não seriam perceptíveis com os cinco sentidos.

realidade virtual

Aplicações no design e na arquitetura

Recentemente, as aplicações dos dois tipos de realidade, tanto no design de interiores como na arquitetura, têm crescido significativamente. Alguns exemplos são os aplicativos dos nossos smartphones/tabletes ou os visores muito complexos que permitem mergulhar no projeto.

Estas tecnologias acompanham as inovações introduzidas na indústria da construção, tais como a modelagem 3D e os renders foto realísticos, que já facilitaram muito o trabalho dos técnicos na fase de promoção do projeto. Trata-se, na verdade, de ferramentas que se substituíram aos ‘plásticos’ tradicionais, permitindo aos clientes entender imediatamente propostas e ideias de projeto.

Conheçamos alguns exemplos de utilizações práticas destas tecnologias.

Visores 3D

Usando os visores 3D, o cliente pode entrar diretamente no projeto. Graças ao modelo 3D criado, poderá mover-se pela casa e vê-la come será no final das obras. Existem duas opções:

  • se o visor for para a realidade aumentada, o cliente poderá “entrar” no canteiro de obras (por exemplo, na sua casa antes que começam as obras de reforma), pois as imagens do modelo 3D se sobrepõem às imagens reais. O cliente irá mover-se na sua casa antiga, vendo-a “como será” conforme o projeto.
  • se o visor for para a realidade virtual, o cliente poderá, mesmo dentro do estúdio do projetista, visualizar o projeto numa experiência 3D de 360°.

Naturalmente, tudo depende do grau de realismo dos modelos em questão, da qualidade das texturas dos materiais, dos detalhes do mobiliário, bem como das definições das luzes.

realidade aumentada-360

Exemplo de realidade virtual

Plásticos virtuais e aplicativos

Novos aplicativos e novos softwares permitem utilizar confortavelmente smartphones ou tabletes para enquadrar:

  • um desenho ou uma planimetria diretamente na mesa e visualizar o modelo 3D do projeto a ser realizado (uma nova habitação em construção, o novo arranjo de um apartamento existente, etc.).
  • Um detalhe do apartamento, podendo, por exemplo, escolher a partir de uma libraria móveis diferentes visualizando-os diretamente no contexto real. Desta forma, será mais fácil tomar decisões de interior design.
  • Uma parede, um piso ou uma banheira, selecionando um novo material, uma nova textura, uma nova cor para visualizá-los em primeira mão.

realidade aumentada

Clique aqui para conhecer Edificius e saiba como ver e compartilhar projetos 3D com Edificus-VR

Clique aqui para conhecer BIM Voyaeger, o visualizador do modelo BIM online de ACCA software