dimensões do BIM

As dimensões do BIM: 3D, 4D, 5D, 6D, 7D, 8D, 9D, 10D

As dimensões do BIM: um jeitinho intuitivo de mapear os diferentes dados de informação em um projeto baseado em BIM (BIM Based)


O BIM é finalmente realidade: quem tem experiência da indústria de construção está cada vez mais exposto à digitalização e à informatização do setor.

Se você ainda não for usuário da tecnologia BIM, recomendamos baixar e experimentar gratuitamente o software de projeto arquitetônico BIM para descobrir como o BIM pode dar um verdadeiro impulso à sua maneira de trabalhar. O BIM não se limita à modelagem 3D, podendo também gerenciar muitas informações sobre materiais, custos e tempo: é por isso que falamos de dimensões do BIM.

Para fins de modelagem geométricas possibilitada pelos softwares BIM, são suficientes três dimensões: todavia, já para representar os demais âmbitos da informação, é necessária uma abordagem que englobe outras dimensões, criando um verdadeiro sistema de classificação.

As dimensões BIM dizem respeito aos diferentes níveis de informação de um modelo BIM:

  • 3D — Modelagem tridimensional
  • 4D — Planejamento (análise do tempo)
  • 5D — Orçamento (análise dos custos)
  • 6D — Sustentabilidade (social, econômica e ambiental)
  • 7D — Gerenciamento dos ativos

Além das 7 dimensões mencionadas acima, hoje em dia há um debate aberto sobre três “novas dimensões do BIM”:

  • 8D — Segurança na fase de projeto e construção da obra
  • 9D — Construção enxuta
  • 10D — Industrialização da construção

Para ter o controle total sobre todas as informações das diferentes dimensões do BIM, você precisa de um sistema de gerenciamento BIM que permita gerenciar os modelos, documentos e dados de um projeto BIM de forma mais eficaz.

Dimensões do BIM

Dimensões do BIM

BIM 3D: apenas um problema de modelagem geométrica?

A modelagem tridimensional 3D é a primeira dimensão do BIM, pois, permite que o projetista visualize o modelo digital da obra nas três dimensões.

Ocorre frequentemente que pensamos em BIM como em uma simples modelagem geométrica para aprimorar o nível de detalhe de um projeto, mas não é só isso! Por ter um modelo digital do projeto, è possivel adiantar já nas primeiras fases várias verificações que, no projeto tradicional, seriam excecutadas apenas na fase de realização.

Sabemos que o modelo BIM consegue se enriquecer aproveitando dados e informações provindo de modelos de outras disciplinas. Dessa forma, existe a necessidade de um controle chamado de model checking, composto por:

  • code checking: verificar que o modelo cumpra os requisitos tanto de projeto como estabelecidos pelas normas em vigor.
  • clash detection: verificar a existência de conflitos geométricos (e não) no modelo.

As vantagens de usar o software 3D BIM para arquitetos, engenheiros e agrimensores são:

  • visualização mais detalhada e precisa de todo o projeto;
  • melhor colaboração entre as equipes multidisciplinares;
  • eliminação de erros, duplicações, interferências, graças à atualização do modelo em tempo real;
  • otimização de tempo e custos.

BIM 4D: gerenciamento dos tempos do projeto

O BIM 4D (quarta dimensão do BIM) consiste no planejamento das atividades, com o grande diferencial de poder visualizar o andamento das atividades ao longo do ciclo de vida do projeto.

Os métodos tradicionais para planejar a duração dos trabalhos de uma obra (diagrama de Gantt e Pert, etc.) têm vários pontos críticos:

  • perda de informações na troca dos dados entre projetista e empresa;
  • falta de comunicação entre direção de obras e fornecedores;
  • presença e colocação precisa dos materiais no canteiro de obras;
  • o estado de execução da obra.

Os pontos que acabamos de levantar são apenas alguns das causas de atrasos e descumprimentos, e resultam em contínuas reavaliações e ajustes.

Para evitar problemas, é recomendável redigir uma EAP (Estrutura Análitica de Projeto) para planejar o projeto de forma dinâmica: o projeto é subdividido em partes elementares, concebidas tendo em vista uma ligação com a parte de modelagem. Dessa forma, pode-se visualizar facilmente o andamento do trabalho (cronograma de obras).

Com o software de gerenciamento de projeto BIM (BIM 4D) os dados são vinculados à representação gráfica dos componentes e torna-se mais fácil para o gerente de projeto consultar e compreender as informações do projeto.

As vantagens incluem:

  • coordenação eficiente entre arquitetos, empreiteiros e equipes;
  • detecção precoce de conflitos;
  • gerenciamento das informações de status do site e visualização do impacto das mudanças ao longo do ciclo de vida.

BIM 5D: quantidades e custos

A modelagem BIM 5D (quinta dimensão do BIM) trata da estimação e análise dos custos.

Graças a softwares BIM 5D específicos para o levantamento de quantitativos, é possível criar uma ligação entre os elementos do modelo digital, o orçamento dos quantitativos e a estimação de custos.

Para os peritos de custos de construção, essas ferramentas trazem vantagens notáveis:

  • maior precisão e previsibilidade na estimação dos custos de projeto, variações nas quantidades, materiais, etc.
  • novos métodos para levantar e analisar os custos em vários cenários.
  • visualizar os avanços nas atividades e as despesas ao longo do tempo (BIM 4D).
  • contagem automática dos componentes associados a um projeto.
  • análise simplificada de custos e análise orçamentária com despesas esperadas e reais ao longo do tempo.

BIM 6D: avaliação da sustentabilidade

O BIM 6D é associado à eficiência energética e ao desenvolvimento sustentável de um edifício novo ou já existente.

Fala-se de sustentabilidade:

  • ambiental, no que diz respeito à reprodução e manunteção dos recursos naturais;
  • econômica, concebida como a capacidade de criar rendimento e emprego;
  • social, ou seja, a capacidade de criar bem-estar.

A simulação BIM 6D permite uma análise abrangente em termos de sustentabilidade econômica, ambiental e energética.

A análise do desempenho energético desde a fase de projeto permite ao projetista pôr em prática todas as melhores soluções técnicas para garantir menor consumo e maior conforto.

Escolhendo utilizar um software para análise e simulação energética dinâmica (BIM 6D), o engenheiro pode explorar numerosas vantagens, tais como:

  • a possibilidade de avaliar diferentes soluções de forma rápida e precisa;
  • análise detalhada do impacto de diferentes soluções nos aspectos econômicos e operacionais durante todo o ciclo de vida do trabalho;
  • gestão mais consciente e planejada do fluxo de investimento no ativo.

BIM 7D: manutenção e gerenciamento do ativo

O BIM 7D trata do gerenciamento e da manutenção do edifício ao longo de seu ciclo e vida.

Falando em ciclo de vida, há que ter em conta também seu fim — a dismissão da obra — ou intervenções de renovação.

O BIM 7D consegue levantar e rastrear dados referentes a componentes, especificações técnicas, manuais de manutenção, garantias, etc.

Esta tecnologia permite otimizar o gerenciamento do ativo ao longo de todo seu ciclo de vida. Com um software BIM 7D, o gerente de ativos poderá:

  • gerenciar eficazmente os ativos, substituir componentes e cuidar de sua manutenção;
  • simplificar as práticas e garantir eficiência, segurança e cumprimento dos padrões;
  • aprimorar os recursos e os cursos de manutenção, graças a um monitoramento constante.

BIM 8D: segurança no canteiro de obras

O BIM 8D é a dimensão que acrescenta informações relacionadas à segurança ao modelo geométrico. Ao acrescentar estas informações ao modelo, é possível prever os riscos no processo de construção e identificar atividades a serem implementadas para melhorar a segurança no trabalho e prevenir acidentes.

Com o BIM 8D é possível visualizar o canteiro de obras antes da construção, tornando mais fácil e eficaz a análise de todos os cenários possíveis para evitar perigos e criticidades.

As principais vantagens do uso de um software BIM de gerenciamento do canteiro de obras (8D BIM) para o gerente de segurança são

  • ter uma visão completa dos cenários do site;
  • elaboração de planos de segurança detalhados e atualizados;
  • identificar e analisar com precisão as escolhas de projeto de segurança mais apropriadas;
  • prevenir riscos ao intervir nas escolhas de projeto que podem gerar possíveis perigos;
  • visualizar o canteiro de obras digital em 3D;
  • treinar os trabalhadores utilizando a realidade virtual;
  • reduzir o risco de acidentes.

BIM 9D: construção enxuta

O BIM 9D é a dimensão que permite otimizar e racionalizar todas as etapas envolvidas na fase de construção de um projeto, através da digitalização dos processos.

A construção enxuta é uma abordagem que permite o gerenciamento eficiente dos recursos e envolve o monitoramento do uso de matérias-primas a fim de minimizar a incidência de resíduos. Através do monitoramento constante desses recursos, podem ser criadas estratégias para efetivamente converter o que seria desperdício, fragmentos de material ou peças ímpares em algo que agregue valor ao todo.

Com um sistema de gerenciamento BIM também é possível gerenciar eficientemente a dimensão BIM 9D, permitindo que o gerente de projeto o faça:

  • fazer o melhor uso possível dos materiais;
  • manter o projeto de construção dentro do cronograma e do orçamento.

BIM 10D: industrialização da construção

O BIM 10D visa industrializar e tornar o setor da construção mais produtivo graças às novas tecnologias e à integração de dados físicos, comerciais, ambientais e outros.

É possível atingir o objetivo do BIM 10D através do uso de ferramentas para a digitalização da construção civil, como o sistema de gestão BIM, o que permite alinhar todos os envolvidos no ciclo de vida da construção e otimizar cada fase.

As vantagens do BIM 10D para o gerente de projeto são:

  • redução do tempo de construção de envelopes de construção;
  • otimização dos custos do local;
  • melhoria e implementação da segurança ocupacional;
  • aumento da qualidade da construção graças à infra-estrutura digital da próxima geração;
  • controle preciso em cada etapa da produção de cada elemento individual através de processos avançados, codificados e padronizados;
  • nenhuma dependência das condições climáticas que possam afetar as atividades do local.

 

usbim
usbim

 

edificius
edificius