BIM Data: o que são e para que servem

Os BIM Data são os dados multidisciplinares contidos no modelo BIM que servem para enriquecer o projeto com informações úteis. Descubra por que são importantes!

Quando ouvimos falar de Building Information Modeling, na maioria dos casos pensamos em um processo que visa a criação do modelo digital de um edifício no espaço tridimensional.

Esta interpretação não está totalmente errada, mas não devemos esquecer que o BIM é muito mais do que apenas modelagem 3D!

O que caracteriza esta eficiente metodologia de trabalho (e a diferencia dos métodos convencionais de projeto) são os BIM Data (dados BIM, em português), ou seja, dados e informações de que os modelos BIM são extremamente ricos e que visam apoiar todo o processo de concepção, criação e gerenciamento de uma obra usando um BIM Data Management software.

Para aprofundar esse tema e entender por que os dados no BIM são tão importantes, continue lendo o artigo: vamos te ajudar a descobrir as características e potencialidades dos BIM Data!

O BIM contém dados?

Está se perguntando se um modelo BIM pode conter dados úteis para o projeto, construção e gestão de um edifício ou qualquer obra no setor de construção? A resposta é: “Absolutamente sim!”.

Como o próprio termo Building Information Modeling sugere, a informação é a base desta metodologia, capaz de transformar um simples modelo geométrico tridimensional em um enorme arquivo de dados relevantes para o projeto, também chamados de BIM Data.

A criação desse conjunto de dados facilita o planejamento, melhora a tomada de decisões, garante maior eficiência e representa a única “fonte de verdade” de referência para o gerenciamento de todo o ciclo de vida da obra.

Abaixo vamos tentar entender juntos o que são os BIM Data, como estão estruturados e como podem ser compartilhados entre os diferentes profissionais que participam do processo BIM.

Conteudos modelo BIM Geometria e BIM Data

Conteúdos do modelo BIM | Geometria e BIM Data

O que são os BIM Data?

O termo “BIM Data” refere-se à grande quantidade de dados gerados, armazenados e compartilhados durante um processo de projeto gerenciado com a metodologia BIM pelos diferentes grupos disciplinares envolvidos nele.

Esses dados são parte integrante do modelo BIM e desempenham um papel essencial, pois enriquecem o projeto com elementos e informações úteis para o desenvolvimento das fases subsequentes.

Através dos BIM Data, de fato, é possível transformar a modelagem 3D em uma ferramenta muito mais útil, que vai além da fase de projeto e construção e garante a máxima eficiência no gerenciamento do ciclo de vida do ativo.

O foco principal dos BIM Data é definir os elementos-chave do projeto não apenas do ponto de vista geométrico, mas também em relação às demais dimensões previstas pelo BIM (tempos, custos, sustentabilidade, gerenciamento de ativos, segurança, etc.).

Como o modelo BIM é a principal fonte de informações sobre o edifício, cabe perguntar quanto dessa informação deve ser incluída nele.

Além das características geométricas de cada elemento, um modelo BIM geralmente contém:

  • dados de materiais;
  • dados de projeto;
  • dados de planejamento (4D);
  • dados de custos (5D);
  • dados de estruturas;
  • dados de desempenho energético;
  • dados ambientais;
  • dados de produção;
  • dados de entrega no canteiro;
  • dados de instalação e montagem;
  • dados de saúde e segurança;
  • dados de qualidade;
  • dados de operação;
  • dados de manutenção;
  • dados de demolição.

No entanto, incluir o máximo de informações possível no modelo BIM nem sempre se mostra uma escolha vencedora: muita informação pode ser confusa, ilegível ou até redundante, e tornar o modelo mais difícil de produzir, usar e gerenciar.

Por outro lado, adicionar pouca informação (além daquela resultante da geometria dos objetos) torna o modelo BIM semelhante a uma simples representação tridimensional do edifício.

A melhor solução, portanto, é encontrar o equilíbrio certo e definir o tipo e a quantidade de BIM Data a incluir no modelo com base nos seguintes fatores:

  • tipo de projeto;
  • fase operacional;
  • objetivos a atingir;
  • requisitos de informação do cliente (também em termos de nível de desenvolvimento dos objetos);
  • necessidades dos parceiros que colaboram no processo.
A imagem mostra os tipos de BIM Data

Tipos de BIM Data

Como são estruturados os BIM Data?

Os BIM Data devem ser estruturados de forma a facilitar sua produção, compartilhamento, modificação e arquivamento pelos atores interessados.

Depois de definir detalhadamente quantos e quais são os dados relevantes do projeto, é possível estruturar esses dados de acordo com duas configurações diferentes:

  1. BIM Data integrados ao modelo.
  2. BIM Data vinculados ao modelo.

No primeiro caso, os dados escolhidos são implementados diretamente no modelo BIM como propriedades ou atributos associados a cada elemento. Integrar os BIM Data no modelo significa estruturar as informações necessárias de acordo com o esquema de dados IFC: o formato aberto e interoperável que, por meio de uma estrutura bem definida, é capaz de descrever integralmente os objetos contidos no modelo, as relações entre esses objetos e todas as propriedades e os atributos associados a eles.

Esta solução permite ter um modelo rico em informações imediatamente disponíveis, que pode ser consultado diretamente nas fichas de informação dos objetos. No entanto, muita informação pode sobrecarregar significativamente o modelo BIM.

Em alguns casos, portanto, é preferível seguir a segunda solução que prevê a organização e estruturação dos BIM Data dentro de um Common Data Environment e sua subsequente vinculação ao modelo, por exemplo, por meio de links. Com este sistema, o modelo BIM é mais leve e gerenciável, pois as informações do projeto ficam armazenadas em um sistema externo.

Em que formato é preciso entregar os BIM Data?

O tipo de formato a ser usado para compartilhar os BIM Data depende de como você deseja aproveitar esses dados.

Para garantir a interoperabilidade e a legibilidade das informações do projeto por diferentes softwares BIM e incentivar a colaboração entre os atores envolvidos, é necessário utilizar formatos abertos e padronizados, como o IFC. De fato, esse esquema de dados, além de ser amplamente usado no setor, ajuda os projetistas a compartilhar os conteúdos BIM, simplifica os fluxos de trabalho e pode ser lido por qualquer ferramenta ou aplicativo que suporte o próprio padrão.

Os BIM Data também podem ser exportados e compartilhados em formato XML. Os dados COBie, por exemplo, representam um padrão internacional comumente aceito, e consistem em uma simples planilha contendo as informações necessárias para gerenciamento e manutenção da obra.

Outra opção de compartilhamento dos BIM Data consiste na troca de arquivos em formato proprietário. Porém, neste caso é necessário ter um software compatível com o formato requerido, que permita que as informações contidas no modelo BIM sejam lidas e editadas corretamente.

Para gerenciar mais facilmente os BIM Data associados a qualquer modelo BIM, opte por um visualizador de arquivos IFC gratuito. Esta ferramenta te permitirá visualizar, editar, converter ou compartilhar modelos BIM em formato IFC, independentemente do software de autoria BIM utilizado para sua criação, e te ajudará a ler, verificar e gerenciar seus BIM Data da melhor maneira.

Qual o potencial dos dados BIM?

A integração (ou conexão) dos BIM Data no modelo digital do edifício ajuda a tornar os processos de projeto, construção e gerenciamento muito mais rápidos, baratos e fáceis de desenvolver.

De fato, se explorados ao máximo de seu potencial, esses dados permitem:

  • melhorar o controle do projeto;
  • obter documentos e documentos mais precisos;
  • facilitar análises, verificações ou cálculos complexos;
  • simplificar o gerenciamento de conflitos geométricos e informativos;
  • promover a interoperabilidade e a troca de informações;
  • monitorar constantemente tempos, custos e recursos;
  • aumentar a produtividade;
  • garantir o cumprimento das normas exigidas;
  • garantir a qualidade e a confiabilidade do resultado final;
  • apoiar a fase de gestão e manutenção.

 

usbim
usbim