Home » Gêmeo digital » BIM e gêmeo digital: diferenças e usos no setor AECO

A imagem ilustra o conceito de BIM e Gemeo digital

BIM e gêmeo digital: diferenças e usos no setor AECO

BIM e gêmeo digital são ambos a versão digital de um ativo, mas diferem pela etapa onde são utilizados. Confira seus usos no setor AECO


Você provavelmente já ouviu falar sobre gêmeos digitais, e ainda mais sobre BIM. Ambos são a versão informativa digital de um ativo, mas então qual é a diferença entre modelo BIM e gêmeo digital?

Vamos descobri-lo neste artigo, analisando não só as diferenças entre os dois modelos, mas também os seus cinco principais usos no setor AECO e os grandes benefícios que sua integração através de um BIM Management System traz para todos os profissionais envolvidos.

Building Information Modeling: o que é?

O Building Information Modeling (BIM), referido pela sigla BIM, é uma metodologia de projeto baseada no modelo 3D da obra integrado ao pacote de informações da própria obra, que inclui seus dados físicos, de desempenho e funcionais.

No setor AECO, portanto, aplicar a metodologia BIM significa adotar uma abordagem holística para a criação e gestão de um modelo 3D que contenha todas as informações relacionadas à construção. O modelo realizado através da implementação deste processo incluirá informações relacionadas a todas as disciplinas – estruturas, arquitetura e MEP – e, portanto, agilizará a coordenação e colaboração entre os profissionais envolvidos no fluxo de trabalho do projeto.

O modelo BIM resultante pode ser constantemente atualizado, é útil para a elaboração de documentação e é usado em todas as fases do ciclo de vida do ativo, desde o planejamento até o descomissionamento e a reutilização da obra. Ter um modelo informativo digital é uma enorme vantagem no mundo da construção. Usando o modelo BIM, por exemplo, é possível criar:

  • detecção de interferências;
  • análise de tempos e custos;
  • planos de manutenção;
  • análise de estruturas e desempenho energético;
  • simulações do canteiro de obras.

Tudo isso se traduz em economia de tempo e custos, tanto na fase de projeto e construção quanto de operação e manutenção.

A imagem ilustra o conceito de Building Information Modeling

Building Information Modeling

Gêmeo digital: o que é?

O gêmeo digital, Digital Twin em inglês, é a representação digital de um objeto ou sistema físico, concebido para facilitar e melhorar os processos de tomada de decisão.

O gêmeo digital, portanto, repropõe digitalmente um ativo em sua totalidade e complexidade, incluindo geometria e informações de sensores e outras fontes, que possibilitam a aquisição dinâmica de dados.

O gêmeo digital funciona digitalmente como sua contraparte real. Isso permite, ao longo do ciclo de vida do ativo, simular hipóteses de projeto, melhorando o processo de tomada de decisão pelos vários profissionais envolvidos nele.

Qual a diferença entre BIM e gêmeo digital?

Modelo BIM e gêmeo digital de um ativo poderiam parecer a mesma coisa, mas a realidade é um pouco diferente.

Embora tanto os gêmeos digitais quanto os modelos BIM sejam representações digitais de espaços físicos, há uma diferença fundamental entre os dois: os modelos BIM são usados para gerenciar um ativo desde sua concepção até sua demolição, enquanto o gêmeo digital permite a interação virtual com esse ativo e, portanto, é normalmente usado apenas durante o monitoramento e gerenciamento do próprio ativo.

Na prática, o modelo BIM é um verdadeiro contentor de informações, que pode ser atualizado em todas as fases de gerenciamento da obra e contém uma grande quantidade de dados úteis e necessários a seu ciclo de vida. O gêmeo digital, por outro lado, é um modelo digital 3D que representa o edifício existente como um todo, com uma renderização extremamente foto realista do espaço físico, e visa acompanhar de forma dinâmica e em tempo real quaisquer mudanças no ativo. Isso ajuda a equipe de projeto a traçar as etapas fundamentais do ciclo de vida da obra e a entender melhor o ativo.

Poderíamos dizer que o BIM é um conceito muito mais amplo (inclui dados e informações técnicas e geométricas relacionadas ao projeto, construção e gerenciamento do ativo) do que o gêmeo digital, que representa apenas um uso muito setorial do modelo BIM. Os gêmeos digitais, na verdade, nada mais são do que o uso do modelo BIM integrado a sensores IoT e outras soluções digitais que permitem o acesso a dados da construção em tempo real, fazendo com que os gêmeos digitais atuem como uma réplica visual que ilustra com precisão as características físicas do ativo.

Quais os cinco usos de BIM e gêmeo digital no setor AECO?

Modelos BIM e gêmeos digitais encontram muitas aplicações na indústria da construção. Confira as cinco principais:

  • monitoramento do desempenho dos ativos: a interação entre BIM e gêmeo digital permite monitorar o desempenho da construção. Ao conectar os sensores a um modelo digital do edifício, é possível identificar eventuais avarias antes que ocorram danos. Por exemplo, se um sensor detectar um vazamento de água, o gêmeo digital pode ser usado para determinar onde ele está localizado e como resolvê-lo.
  • Prever o ciclo de vida de uma construção: os gêmeos digitais podem ser usados para prever o ciclo de vida de um ativo e planejar sua manutenção. Se, por exemplo, o gêmeo digital prevê que um equipamento terá que ser substituído em cinco anos, é possível realizar o plano de manutenção com base nessas informações e, consequentemente, prever a relacionada despesa.
  • Viabilidade de prototipagem virtual para otimização de projetos: os gêmeos digitais podem ser usados para criar “protótipos virtuais” de novas construções ou obras de reforma. Ao criar um modelo digital do projeto, os projetistas podem testar a viabilidade do mesmo e otimizar o trabalho. Por exemplo, um arquiteto que projeta um novo edifício de escritórios pode usar um gêmeo digital para testar como a estrutura responderá a diferentes condições climáticas.
  • Monitoramento do uso e regulação de instalações: os gêmeos digitais podem monitorar o nível de uso de um espaço e, com base nos dados, é possível ajustar os sistemas de aquecimento, resfriamento e iluminação. Ao analisar como e quando as pessoas usam um edifício, os gêmeos digitais ajudam os gerentes a economizar energia e melhorar o conforto ambiental.
  • Maior segurança em edifícios: os gêmeos digitais podem ser usados para aumentar a segurança dentro de um edifício. Ao monitorar os movimentos de pessoas e equipamentos, os gêmeos digitais ajudam os gerentes de projeto a identificar possíveis riscos e responder prontamente a emergências. Se, por exemplo, o gêmeo digital mostra em tempo real que uma pessoa está em uma área restrita e, portanto, perigosa do prédio, o sistema de segurança pode ser ativado para protegê-la.

A combinação de BIM e gêmeo digital é, portanto, uma ferramenta poderosa que oferece inúmeras vantagens aos profissionais do setor AECO.

Quais os benefícios da integração?

BIM e Gêmeo digital são ferramentas poderosas para os profissionais da construção, na fase tanto de projeto quanto de gestão dos espaços físicos. Quando aproveitados juntos, os benefícios aumentam. A integração entre gêmeos digitais e modelos BIM garante:

  • redução do tempo necessário para coletar medições e alocar recursos.
  • Aumento da produtividade e colaboração.
  • Redução dos custos e tempos associados a visitas frequentes no local.
  • Visualização do edifício não só na fase de planejamento mas ao longo de todo o seu ciclo de vida, com consequente aprimoramento das fases de tomada de decisão.

A integração entre BIM e Gêmeo digital, portanto, faz com que os profissionais do setor da construção possam confiar na representação virtual computadorizada de um ativo, em todas as fases do seu ciclo de vida, desde o planejamento até o gerenciamento. Se você também quiser aproveitar ao máximo o potencial do gêmeo digital no processo BIM, não deixe de experimentar gratuitamente um BIM Management System profissional e versátil, concebido para gerenciar qualquer fase do ciclo de vida da obra.

 

usbim
usbim