BIM no Brasil: confira os passos para sua implementação

BIM no Brasil: conheça os passos e sua evolução ao longo dos anos, até chegar ao Decreto 10.306/2020

O aprofundamento de hoje pretende traçar a evolução da metodologia BIM no Brasil durante os anos, para celebrar o recém-emitido Decreto 10.306/2020, que impõe a utilização obrigatória do BIM para obras públicas dentro de 2028.

A metodologia BIM (Building Information Modeling) está em constante crescimento, assim como o número de Países que escolherem torná-la obrigatória para a indústria da construção pública.

A razão fica clara, já que a metodologia BIM permite reduzir erros, custos e tempos de espera, agilizando o fluxo de trabalho para todos os atores envolvidos e permitindo acompanhar o ciclo de vida de uma construção desde a fase de projeto até sua demolição.

A história do BIM no Brasil desde 2017 até hoje

Vamos apresentar a trajetória da metodologia BIM, até chegarmos às novidades do último mês.

BIM no Brasil 2017: a criação do CE – BIM

Em junho de 2017, o Governo Federal criou o CE-BIM (Comitê Estratégico de Implementação do Building Information Modeling), composto por representantes de 9 Ministérios:

  • Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços
  • Casa Civil da Presidência da República
  • Ministério da Defesa
  • Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão
  • Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações
  • Ministério das Cidades
  • Secretaria Geral da Presidência da República
  • Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil
  • Ministério da Saúde

Também foi instituído o GAT – BIM (Grupo de Apoio Técnico), bem como 6 grupos ad hoc para tratar de temas específicos (Regulamentação e Normalização, Infraestrutura Tecnológica, Plataforma BIM, Compras Governamentais, Capacitação de Recursos Humanos e Comunicação).

No mesmo ano, a ABNT publicou a norma técnica NBR 15-965 “Sistema de classificação das informações da construção”.

BIM no Brasil 2018: a Estratégia BIM BR

A partir de 2018, alguns países da América Latina (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, México, Peru, Uruguai) começaram a se organizar em encontros dedicados à metodologia BIM. Esses encontros resultaram na pesquisa “Visão BIM 2020 LATAM – O Impacto do BIM na América Latina“, cuja fase de coleta de dados terminou em fevereiro de 2020.

Em 2018, o BIM se tornou lei no Brasil por meio do Decreto 9.377 C6-BIM, que institui a Estratégia Nacional de Disseminação do BIM no Brasil.

O grafico mostra o projeto para o desenvolvimento da utilizacao do BIM no Brasil conforme a Estrategia BIM BR

As etapas previstas da Estratégia BIM BR para a implementação do BIM | © Ministério da Economia, Indústria, Comércio Exterior e Serviços

Conforme quanto anunciado no Livreto disponibilizado pelo Governo, a Estratégia BIM BR visava promover um ambiente adequado ao investimento em BIM no Brasil ao longo de 3 fases, para que em 2021 o uso de processos BIM já fosse obrigatório para determinadas obras públicas. Entre as metas visadas pela Estratégia BIM BR, realçamos a difusão dos benefícios ligados à utilização do BIM, a coordenação das estruturas do setor público para a adoção do BIM e a criação de condições favoráveis para o investimento, como normas de referência.

BIM no Brasil 2019: a Plataforma BIM BR

Em agosto de 2019, fui publicado o Decreto Lei 9.983, que atualiza as disposições sobre a Estratégia Nacional BIM BR e também institui o Comitê Gestor da Estratégia BIM BR.

Outra novidade fundamental foi a criação da Plataforma BIM BR da ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial), ou seja, uma verdadeira biblioteca digital de objetos BIM.

ACCA software teve o prazer de se tornar parceiro da ABDI, disponibilizando os objetos BIM já presentes em sua própria Biblioteca de Objetos BIM. Se quiser, confira o aprofundamento que ACCA dedicou à Plataforma BIM BR.

A imagem mostra uma tela da Plataforma BIM BR com os objetos da Biblioteca Objetos BIM do Edificius

Em 19 de outubro de 2019, até foi criado o COSUD – Consórcio de Integração Sul e Sudeste, ou seja, um acordo de cooperação entre os estados do Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. Em fevereiro de 2020, Foz do Iguaçu sediou o 6º COSUD, até encarando o assunto das ações da indústria da construção para o combate ao Covid-19 no Brasil.

O grande protagonista: o Decreto 10.306/2020

Estamos felizes em realçar que na semana passada, em 3 de abril, foi publicado o Decreto 10.306/2020, que estabelece a utilização do Building Information Modeling na execução direta ou indireta de obras e serviços de engenharia realizada pelos órgãos e pelas entidades de administração pública federal.

O Decreto abrange a execução dos serviços e obras nos imóveis que estão sob jurisdição do Exército, da Marinha e da Força Aérea Brasileira, investimentos em aeroportos regionais, e as realizadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Porém, qualquer entidade da administração pública federal pode utilizar o BIM, mesmo não tendo a obrigatoriedade.

O Decreto pretende definir vínculos, atores, papeis, ações e prazos: basicamente, sinaliza a passagem da teoria à prática:

  • a partir de 1° de janeiro de 2021, o BIM deverá ser utilizado no desenvolvimento de projetos de arquitetura e engenharia, referentes a construções novas, ampliações ou reabilitações;
  • a partir de 1º de janeiro de 2024, também será utilizado na execução direta ou indireta de projetos de arquitetura e engenharia e na gestão de obras;
  • finalmente, a partir de 1º de janeiro de 2028, o BIM também cuidará do gerenciamento e a manutenção do empreendimento após a sua construção.

Cabe destaque o artigo 6, que se refere às obrigações dos contratados. Suas responsabilidades principais incluem  disponibilizar arquivos eletrônicos do projeto em formato aberto não proprietário (por exemplo, em formato IFC), bem como se ocupar do treinamento e da capacitação dos profissionais alocados. Porém, como ressaltado pelo Eng. Rafael Fernandes em sua análise do Decreto, se a contratante pedir, os documentos do projeto até poderão ser entregues em formato próprietário, para incentivar a concorrência entre empresas desenvolvidoras de softwares e fazer com que elas se adaptem às padrões do mercado.

Depois do Decreto 10.306/2020

Em setembro de 2020, viu a luz o tão-aguardado BIM Fórum Brasil, patrocinado pelo CBIC e pelo SENAI, visando aprimorar o nível de maturidade do País. Não perca nosso aprofundamento!

Lembrando também que em 1° de abril de 2021 foi sancionada a nova Lei de Licitações 14.133 que aumenta a preferência para contratação de projeto em BIM. No § 3º do art. 19 do Substitutivo, se lê que “nas licitações de obras e serviços de engenharia e arquitetura, sempre que adequada ao objeto da licitação, será preferencialmente adotada a Modelagem da Informação da Construção (Building Information Modelling – BIM) ou tecnologias e processos integrados similares ou mais avançados que venham a substituí-la.”

Lembrando que as presentes normas gerais de licitação e contratação dizem respeito a Administrações Públicas diretas, autárquicas e fundacionais da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

O BIM nos Estados Federados brasileiros

Até hoje, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná se destacaram entre os estados à vanguarda em relação à adoção da metodologia BIM. Veja os aprofundamentos que realizamos:

A imagem mostra um mapa do Brasil com os estados em que o BIM e mais utilizados realcados em amarelo

A difusão do BIM nos Estados | © SENAI

Também achamos importante realçar os tantos eventos que os Estados sediaram para compartilhar conhecimento sobre o BIM: em 2019, a Bahia e o Rio Grande do Sul chegaram à 3° edição de seus Seminários Estaduais sobre o BIM. No mesmo ano, o Sergipe hospedou seu I Seminário Estadual sobre BIM, em que o Eng. Alexandre Miranda da ACCA software ministrou a palestra “BIM fácil e para todos: as soluções ACCA software“.

A imagem mostra o Professor Eduardo Toledo da USP ministrando uma apresentacao durante o Seminario BIM no Sergipe

O Prof. Eduardo Toledo da USP no I Seminário Estadual sobre BIM em Aracaju (SE)

A nível nacional, os esforços da Camâra Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), da Camâra Brasileria de BIM (CBIM) e do Sinduscon viram possível a criação de feiras e seminários dedicados ao BIM ao longo de 2019, como o seminário “BIM na prática: experiências aplicadas à Arquitetura e Construção”, realização do CAU/BR, CAU/DF e da Câmara Brasileira de BIM (CBIM) com o patrocínio da ACCA software, entre outros. Também é bom lembrar mais duas ações nacionais: o III Seminário Internacional “A Era BIM”, organizado pelo Sinaenco em 2020, que viu a ACCA como patrocinador e palestrante; os Cursos BIM para você, aulas sobre BIM organizadas pela Conexão BIM com o apoio oficial do CREA-SC e patrocinadas, entre outros, pela nossa empresa.

ACCA software no Brasil

ACCA atua no País desde 2011, contribuindo ativamente para a digitalização e o crescimento da indústria da construção brasileira.

A nível acadêmico, graças à opção Educacional já realizamos parcerias com muitas universidades e instituições de ensino no País, disponibilizando de forma gratuita nossas soluções BIM para alunos e docentes. Em particular, gostaríamos de realçar o convênio vigente entre ACCA e a LABIM da UFJF, liga acadêmica de BIM coordenada pelo Prof. Maurício Aguilar, e lembrar o brilhante trabalho que eles estão desenvolvendo com nosso CDE usBIM.platform.

A nível institucional, desde 2018 a ACCA participa das reuniões da ABNT/CEE-134 – Comissão de Estudo Especial de Modelagem de Informação da Construção, contribuindo proficuamente para o trabalho em BIM dela. Muitas são, ainda, as parcerias que celebramos com órgãos, nacionais e estaduais, brasileiros. Lembramos, em particular, o já mencionado acordo de colaboração técnica com a ABDI, celebrado em 2019 visando apoiar com nossas soluções o trabalho da Plataforma BIMBR. Também ressaltamos que nos tornamos associados do BIM Fórum Brasil e parceiro tecnológico da RECEPETI em 2020, além de parceiros do SENAI PR (no âmbito do Programa de Residência BIM) e da CBIM MG (no âmbito do Projeto BIM Unboxing) em 2021.

O BIM continua sendo uma das tendências tecnológicas mais relevantes da indústria da construção a nível mundial. Acreditando fortemente no potencial tanto desta metodologia revolucionária quanto do setor da construção brasileiro, a ACCA software não deixará de acompanhar por perto o processo de disseminação do BIM no País, promovendo projetos de pesquisa inovadores e desenvolvendo ferramentas cada vez mais respondentes às necessidades de acadêmicos e profissionais do setor.

 

edificius
edificius