Home » BIM e cálculo estrutural » Construir piscina no terraço

piscina no terraço

Construir piscina no terraço

Quando é possível e como construir uma piscina no terraço: dicas úteis, tipos de construção e técnicas para distribuição de cargas

Ter uma piscina é o sonho de muitos clientes. No entanto, nem sempre há um espaço adequado disponível para o projeto.

Construir uma piscina no terraço da habitação pode ser a solução para desfrutar de um relaxante banho ao ar livre, mesmo na cidade! Vamos ver em que casos é possível projetar uma piscina no terraço sem causar danos à estrutura existente, que software de cálculo estrutural utilizar e quais são os custos e precauções a considerar.

Quando é possível construir uma piscina no terraço

Antes de projetar uma piscina em um telhado ou terraço e considerar aspectos como sistemas construtivos, materiais e custos, é essencial avaliar a viabilidade da instalação e a capacidade de suportar o peso necessário.

Piscina infinita

Piscina infinita

A viabilidade de uma piscina no terraço depende principalmente das características estruturais do edifício existente. É sempre aconselhável avaliar a resistência dos elementos estruturais usando um software de cálculo estrutural. Dessa forma, teremos uma ideia precisa da carga a ser adicionada à cobertura e de possíveis reforços necessários. É crucial conhecer o peso da nova estrutura, o peso da água, a idade do edifício, o tipo de pavimentação e a resistência máxima. Somente após realizar os cálculos estruturais, considerar as cargas e as tensões transmitidas ao piso, é possível determinar o tamanho máximo da piscina que pode ser suportada, considerando as medidas e, especialmente, a profundidade. Além disso, antes de iniciar tal projeto, é sempre aconselhável consultar os regulamentos locais e as normas nacionais para avaliar as permissões, restrições e regulamentos vigentes.

Vamos ver como avaliar o impacto de uma piscina em termos de tensões no piso existente.

Avaliação do aumento das tensões no piso

O projeto de uma piscina no terraço começa com uma fase crítica: o cálculo estrutural. O estudo detalhado da estrutura do edifício que abrigará a piscina é essencial, pois a instalação de uma piscina representa um aumento significativo na carga sobre a estrutura existente. A escolha do local de instalação não é apenas uma questão de preferência do cliente, mas requer a consideração de vários fatores. Elementos como a resistência do solo, as fundações existentes e a orientação do edifício desempenham um papel crucial.

O primeiro passo é compreender os cargas adicionais que uma piscina transmite ao terraço. Com o peso específico da água, que é de 1000 kg/m³, é possível avaliar o impacto da carga por metro quadrado transmitida pela piscina, tornando-a comparável às cargas acidentais de projeto usadas para o cálculo dos pisos.

A cada 10 cm de altura da água, a carga no piso aumenta em 100 kg/m². Portanto, para uma altura de água de:

  • 20 cm, a carga será de 200 kg/m²;
  • 50 cm, a carga será de 500 kg/m²;
  • 100 cm, a carga será de 1000 kg/m².

Depois de conhecer a carga por metro quadrado transmitida pela piscina, é possível fazer uma primeira avaliação, comparando-a com as cargas acidentais de projeto dos pisos. Se a altura da água exceder 20 cm, a carga acidental de projeto (geralmente estimada em cerca de 200 kg/m²) pode ser excedida. No entanto, é importante notar que a carga acidental de projeto é geralmente considerada distribuída em toda a superfície do piso, enquanto a carga da piscina está localizada em uma área específica do telhado.

Alguns projetistas, para aumentar a segurança, podem considerar uma carga acidental de 400 kg/m² para terraços, pois são locais potencialmente lotados. No entanto, essa prática não é uma regra universal. Na ausência de documentação específica, por precaução, pode-se presumir que o piso do terraço foi projetado para suportar uma carga acidental de 200 kg/m².

Além do peso da água, é importante considerar o peso da estrutura da própria piscina. Enquanto para piscinas infláveis esse peso pode ser negligenciado, para piscinas com estrutura fixa, como aquelas com sistemas de hidromassagem, o peso estrutural pode variar em torno de 100 kg/m², a ser somado ao peso da água.

O aumento das tensões no piso também depende da superfície da piscina e de sua posição em relação às vigas e pilares da estrutura. A carga linear transmitida pela piscina ao piso também depende da forma da piscina em planta. No caso de uma piscina retangular, a carga por unidade de comprimento atuando na faixa de piso considerada será constante. No caso de uma piscina circular, a carga linear será variável.

Piscina na cobertura

Piscina no terraço

Além disso, o posicionamento da piscina no terraço influencia o aumento das tensões. Posicionar a piscina em diferentes pontos do terraço resulta em diferentes níveis de tensão no piso. Por exemplo, a posição da piscina:

  • no meio resulta em um aumento no momento fletor no meio do vão de +34.2%.
  • Adjacente à viga perimetral resulta em um aumento no momento fletor no vão de +45.0 %.
  • Sobre uma viga ou parede estrutural maximiza o momento negativo no apoio. No caso em questão, o aumento do momento fletor negativo é de 11.1 %.
  • Centrada em um pilar ou interseção das paredes estruturais, o efeito em termos de aumento das solicitações na laje é o mesmo do caso anterior. Contudo, nesse caso, o aumento na solicitação na viga será minimizado, já que o peso da piscina será absorvido pelo pilar ou pela interseção das paredes ortogonais.

Uma vez determinado o aumento das solicitações na laje devido à presença da piscina, cabe ao projetista verificar a resistência e deformação da laje existente. Isso requer informações sobre as características do material da laje, como concreto e aço, as dimensões da seção e características do reforço.
Essas informações podem ser obtidas por meio de investigações e testes na laje existente ou pela análise dos documentos do projeto original, se disponíveis. Com base nas informações disponíveis, será determinado o nível de conhecimento da estrutura existente.

Caso as verificações de resistência não sejam atendidas, será necessário projetar intervenções de reforço na laje, por exemplo, através de revestimento com lâminas ou PRFV, para adequar a laje aos níveis de segurança exigidos.

Piscina na cobertura

Piscina no terraço

Distribuição de cargas

A distribuição de pesos para a construção de uma piscina no terraço é fundamental para distribuir a nova carga de forma uniforme nos elementos estruturais existentes. A intervenção mais utilizada envolve o uso de grades feitas com vigas de aço galvanizado a quente, de várias dimensões e espessuras (variáveis de acordo com a carga a ser suportada), juntamente com painéis especiais de alumínio.
Na fase de projeto, é necessário realizar cálculos específicos para distribuir o peso da piscina, considerando tanto o peso total da estrutura quanto sua localização no terraço ou sótão. Esta etapa é essencial para garantir a estabilidade do edifício. O objetivo é minimizar o peso da piscina e distribuí-lo estrategicamente.

Normalmente, as vigas são posicionadas planas e fixadas lateralmente em pilares ou vigas sem danificar o piso, permitindo a compensação e flexão das vigotas de acordo com o peso que devem suportar. As vigas geralmente têm uma espessura média de 10-20 cm.

Um aspecto importante é o uso de painéis de alumínio com estrutura interna em favo de mel, extremamente rígidos e leves ao mesmo tempo. Esses painéis são capazes de suportar cargas elevadas com espessura mínima, permitindo manter a altura máxima da piscina sem ultrapassar o parapeito existente. Esses painéis apresentam várias características técnicas, como leveza, rigidez, resistência aos agentes atmosféricos e capacidade de suportar cargas estáticas.

Além disso, no processo de construção da piscina, é importante um foco na otimização do peso. Um exemplo é a adaptação das piscinas padrão para reduzir o peso total, considerando arredondamento dos cantos, uso de materiais leves como EPS sinterizado para escadas, bancos e áreas de relaxamento, uso de sistemas de filtragem alternativos e revestimento em liner reforçado em vez de mosaico. Essas escolhas reduzem significativamente o peso da piscina, permitindo economizar carga estrutural sem comprometer a qualidade. Para realizar os cálculos, avaliar as cargas e a resistência dos elementos estruturais e ter certeza de cumprir a regulamentação técnica vigente, é sempre recomendável o uso de um software de cálculo estrutural. Projetar com segurança é sempre a melhor escolha e nos protege de possíveis problemas, riscos e responsabilidades.

Tipos de piscinas no terraço

Avaliada a viabilidade da intervenção, podemos passar à escolha do tipo de piscina a ser selecionado.
A escolha depende de várias variáveis relacionadas à estrutura, acabamentos externos e acessórios. Vai desde aquelas revestidas com madeira de pinho impregnada até aquelas com borda moldada e antiderrapante ou transbordante, etc. Existem também piscinas com borda antiderrapante e escada, além de piscinas de plástico ou fibra de vidro de montagem e manutenção fáceis. Para os entusiastas da natação, existem piscinas de natação contracorrente, com um motor que gera ondas, ajustável em intensidade de acordo com suas necessidades e tipo de treinamento a seguir. Além disso, é possível escolher dispositivos para controle de temperatura, hidromassagem estilo spa e muito mais.

Piscina na cobertura

piscina no terraço

Para determinar o tipo de piscina, são consideradas as dimensões do espaço disponível, o orçamento e as condições climáticas da área do projeto. A qualidade dos materiais também determina a vida útil da piscina.

Aquelas de fibra de vidro, por exemplo, podem ser instaladas rapidamente e a custos razoáveis. No entanto, por ser uma estrutura pré-fabricada em bloco único ou em dois blocos, oferece menos liberdade de design. Além disso, a camada superficial tende a se degradar mais rapidamente do que outros materiais.

As estruturas de aço são fáceis de instalar e se destacam por sua leveza e elasticidade. Oferecem maior liberdade em termos de forma e tamanho, mas não na escolha do revestimento: nesse caso, a única opção é o revestimento em PVC.

Em geral, entre os materiais mais utilizados para a construção de piscinas panorâmicas, encontramos poliéster, aço inoxidável e concreto projetado. Cada opção tem suas características: o poliéster reforçado com fibra de vidro é rápido de instalar, mas requer mais manutenção, o aço inoxidável oferece maior resistência e liberdade de design sem manutenção excessiva, enquanto o concreto projetado permite uma construção aderente e resistente em qualquer superfície e forma.

Nos telhados, é importante considerar uma estrutura com vidro duplo, um reservatório superior para a água e uma camada inferior para evitar vazamentos. Os revestimentos podem ser feitos com porcelanato, mosaico ou liner, garantindo uma vedação confiável.

Sistemas inovadores: a piscina retrátil

Se você deseja uma piscina, mas ao mesmo tempo não quer perder espaço no terraço, pode optar por uma solução inovadora e prática: o piso retrátil.
É um sistema automático que utiliza um mecanismo que permite cobrir e descobrir a piscina automaticamente (através de um comando) ou, nas versões mais econômicas, manualmente. Quando o piso cobre a piscina, é possível usar o espaço de forma livre e aproveitá-lo ao máximo. Mesmo quando fechado, o compartimento da piscina possui um sistema que permite a circulação de ar, evitando assim a umidade e a deterioração dos materiais. Aqui estão as vantagens:

  • uso do espaço – quando a piscina está coberta, a área pode ser usada para outras funções e mobiliada, por exemplo, com mesas e cadeiras.
  • Segurança – crianças e animais de estimação não correm o risco de cair na água sem supervisão.
  • Previne sujeira – quando a piscina está coberta, a água não é sujeita a folhas e poeira.
  • Estética – ao contrário das coberturas tradicionais de piscina, o piso retrátil não interfere na harmonia do terraço. Na verdade, é possível escolhê-lo em diferentes tonalidades de madeira ou até mesmo grama artificial.

Para mais ideias de projeto, leia também “Como projetar uma piscina, o guia completo“.

Piscina no telhado: custos

Em termos de preços, o custo de uma piscina no telhado pode variar consideravelmente, começando em cerca de €10.000-15.000 para um tamanho básico de 3×3 m com uma profundidade de 80 cm. As diferenças de preço em relação a uma piscina tradicional estão principalmente relacionadas aos reforços estruturais necessários e às condições específicas do local de instalação, além dos materiais e opcionais como dispositivos de purificação ou iluminação.
Além dos custos de instalação, é necessário considerar os custos de manutenção. Os custos fixos incluem:

  • água – a piscina precisa ser esvaziada e reabastecida cerca de uma vez por ano. Também é importante considerar que o nível da água diminui cerca de meio centímetro por dia devido à evaporação. Portanto, é necessário um reabastecimento periódico. A água também é usada para limpar os filtros de limo, insetos, cabelos e detritos. Considerando uma taxa média de 2 euros por metro cúbico, para uma piscina de pequenas dimensões, o custo gira em torno de 50/70 euros por temporada;
  • consumo de energia – uma piscina no terraço também tem custos que afetam a conta de eletricidade. A principal despesa é representada pela bomba de circulação, e as despesas adicionais são para a iluminação noturna, se houver. O custo é de cerca de 50/70 euros por temporada (junho/setembro). Os custos aumentam se a piscina tiver aquecimento, hidromassagem ou natação contracorrente;
  • produtos para esterilização da água – uma operação essencial para manter a piscina saudável e evitar a proliferação de bactérias e algas é o uso de produtos específicos. Na maioria dos casos, a esterilização é feita através do uso de cloro, embora nos últimos anos tenham surgido outros tipos de produtos, como sal e magnésio. Geralmente, gasta-se cerca de 40/50 euros por temporada para esta categoria;
  • esvaziamento e limpeza, testes em sistemas e central – se essas operações forem realizadas por uma empresa especializada, gasta-se aproximadamente 200/250 euros por ano.

É sempre importante que o cliente tenha uma ideia clara dos custos de gestão e manutenção de uma piscina antes de iniciar o processo de projeto. No entanto, também é importante saber que após a construção de uma piscina no telhado, um imóvel pode experimentar um aumento de seu valor de mercado entre 20 e 30%.

 

edilus
edilus