Home » BIM e Projeto de construção » Digitalização do patrimônio graças ao BIM

Digitalização do patrimônio graças ao BIM

Censo patrimonial, gestão de ativos, restauração e renovação: veja como o eBIM funciona para digitalização do patrimônio

Sabe-se agora que, no setor da construção, a maior parte das atividades dos técnicos visa a gestão (renovação, restauro, gestão de instalações, etc.) do patrimônio imobiliário existente.

Seja qual for o tipo de intervenção prevista, o primeiro passo a dar para abordar um edifício existente é certamente sua digitalização. Somente depois de criar o gêmeo digital do artefato real será possível mudar para seu gerenciamento, apoiado por um válido software de gestão de manutenção.

Neste artigo, exploraremos o que é o eBIM, como funciona e como pode ser usado para digitalização do patrimônio.

A imagem mostra três dispositivos para digitalização do patrimônio: à esquerda, um scanner a laser para varredura de edifícios existentes; no centro, a nuvem de pontos do edifício resultante da varredura; à direita, o modelo 3D realizado a partir da própria nuvem de pontos.

eBIM e gerenciamento de edifícios existentes

Introdução ao eBIM

Definição de eBIM

O eBIM (Existing Building Information Modeling) é uma abordagem inovadora para digitalização do patrimônio existente através da criação de modelos 3D detalhados, que incluem todos os dados geométricos, estruturais, materiais e de instalações.

Estes modelos oferecem uma representação digital precisa da obra e dos seus componentes, permitindo uma melhor gestão, manutenção e requalificação dos edifícios ao longo do tempo.

Para criar um modelo de informação 3D, você precisa usar um programa para modelagem arquitetônica que lhe permita construir rapidamente o modelo BIM do edifício, completo com paredes, pisos, janelas, portas, acabamentos e móveis. Com cada objeto paramétrico será possível associar informações, fichas técnicas, imagens e todos os dados úteis para o projeto e para a manutenção do ativo ao longo do tempo. Assim, o modelo 3D torna-se um verdadeiro contêiner de informações a serem atualizadas e implementadas ao longo do tempo.

Importância do eBIM

O eBIM é fundamental para otimizar recursos, reduzir o desperdício e melhorar a sustentabilidade dos edifícios existentes. Ele permite que você tome decisões informadas sobre manutenção, reestruturação e uso de recursos, tudo com base em dados precisos e atualizados.

Digitalização do patrimônio

Desafios na digitalização do patrimônio

A digitalização do patrimônio apresenta vários desafios, incluindo a falta de documentação abrangente, a complexidade das estruturas e a necessidade de integrar dados de diferentes fontes. O eBIM, no entanto, oferece um método estruturado e eficiente para superar essas dificuldades. Além disso, as dificuldades iniciais da implementação do processo de eBIM são amplamente reembolsadas pela simplificação das atividades de gerenciamento de instalações, pela precisão da representação 3D e pela consulta de modelos e informações ao longo do tempo.

Benefícios da digitalização do patrimônio

A digitalização de edifícios existentes via eBIM oferece inúmeras vantagens, incluindo:

  • redução dos custos de manutenção;
  • melhoria da sustentabilidade e da eficiência energética;
  • facilitar o planejamento e a alocação de recursos;
  • maior colaboração entre as partes envolvidas no ciclo de vida do edifício.

Processo eBIM

Coleta de dados

Para criar um modelo eBIM, você precisa coletar dados precisos e detalhados sobre o edifício existente. Este processo pode incluir:

  1. pesquisas e varredura a laser. A varredura a laser 3D permite coletar dados geométricos de alta precisão sobre o edifício, incluindo o tamanho, a forma e a localização de elementos arquitetônicos e instalações. Esta informação é essencial para a criação do modelo eBIM.
  2. Documentação existente. A documentação existente, como plantas baixas, cortes e elevações, pode ser usada para complementar os dados coletados por meio de varredura a laser e fornecer informações adicionais sobre as características do edifício.
  3. Criar o modelo BIM. Depois de coletar os dados necessários, o próximo passo no processo eBIM é criar o modelo BIM com elementos arquitetônicos e instalações prediais. Esse processo envolve o uso de softwares e ferramentas específicas, tais como:
    • software de processamento de nuvem de pontos que transforme os dados coletados com scanners a laser 3D em modelos tridimensionais utilizáveis em softwares BIM.
    • Softwares BIM para criação de modelos paramétricos tridimensionais, integrando todas as informações geométricas, estruturais e de instalações;
      • modelagem de elementos arquitetônicos: paredes, pisos, janelas e portas contêm informações detalhadas sobre a geometria, materiais e propriedades físicas dos elementos.
      • Modelagem de sistemas prediais: os sistemas mecânicos, elétricos e hidráulicos do edifício são modelados separadamente e integrados no modelo eBIM. Isso permite gerenciar facilmente as interações entre os elementos arquitetônicos e os sistemas, bem como planejar a manutenção e a substituição dos componentes ao longo do tempo.
      • Validação e controle de qualidade do modelo: depois de criado, é essencial validar o modelo para garantir a precisão e confiabilidade dos dados. Esse processo pode incluir a verificação das dimensões, posições e propriedades dos elementos, bem como a correção de eventuais erros ou inconsistências.
    • Sistemas para troca de dados entre diferentes softwares e formatos, facilitando a colaboração entre os diversos profissionais envolvidos no projeto.

Uso do modelo eBIM

O modelo eBIM pode ser usado para vários fins, incluindo:

  1. manutenção e gerenciamento de edifícios: agendar a manutenção, monitorar o status dos elementos e componentes e prever a degradação ao longo do tempo.
  2. Renovação e requalificação de energia: planejar e avaliar intervenções de renovação e requalificação de energia, permitindo identificar as soluções mais eficazes para melhorar a eficiência energética do edifício e reduzir o impacto ambiental.
  3. Planejamento de recursos: planejar e alocar recursos de forma otimizada, avaliando o impacto das diferentes opções na gestão do edifício, seu valor e sua sustentabilidade a longo prazo. Isso permite que você tome decisões informadas e maximize seu retorno sobre o investimento.
  4. Colaboração entre as partes envolvidas: o modelo eBIM facilita a comunicação e colaboração entre as várias partes envolvidas no ciclo de vida do edifício, como proprietários, gerentes, designers e construtores. Isso garante que todos tenham acesso às mesmas informações atualizadas e possam trabalhar juntos para otimizar o gerenciamento e a manutenção do edifício.

O eBIM é a forma mais eficaz de digitalizar edifícios existentes e otimizar a sua gestão, manutenção e renovação. Ao coletar dados precisos e criar modelos detalhados de informações 3D, você pode tomar decisões informadas, reduzir custos e melhorar a sustentabilidade dos edifícios ao longo do tempo.

Em um mundo onde a sustentabilidade ambiental e a eficiência energética estão se tornando cada vez mais importantes, o eBIM é uma ferramenta fundamental para enfrentar esses desafios e garantir um futuro mais verde para nosso patrimônio imobiliário.

Treinamento e habilidades necessárias para trabalhar com eBIM

Para trabalhar com o eBIM, você precisa adquirir habilidades específicas e atualizadas no campo da digitalização do patrimônio.

Para isso, é necessário capacitar-se mediante cursos abrangentes e particularmente voltados para ferramentas BIM para digitalização do patrimônio. Também é aconselhável desenvolver  habilidades para adquirir e processar os dados métrico-morfológicos dos edifícios mediante levantamento.

usbim-maint
usbim-maint