Home » BIM e Arquitetura » Do BIM ao BOS

Do BIM ao BOS

A mudança do BIM ao BOS representa um grande avanço para o desenvolvimento de edifícios inteligentes. Vamos descobrir o que isso significa

Você já ouviu falar em BOS?

O BOS (Building Operating System) é o próximo desenvolvimento do BIM que nasceu para melhor atender às necessidades dos edifícios da nova geração.

Vamos conhecer mais sobre o BOS, a nova evolução do BIM que melhora o setor da construção.

O que é o BOS?

O BOS é uma plataforma que permite:

  • recolher informações relativas a um edifício;
  • comunicar entre os diversos usuários envolvidos.

Basicamente, é o sistema que permite gerenciar edifícios inteligentes (Smart Building) e melhorar seu desempenho de acordo com as solicitações e necessidades expressas pelos usuários da obra.

O objetivo do BOS é conectar todos os aplicativos que regem os sistemas automatizados de um edifício inteligente (aquecimento, sistema de alarme, vigilância por vídeo, eletrodomésticos, luzes, etc.), a fim de ajudar o usuário a manter tudo sob controle, em uma maneira simples.

A imagem ilustra BIM e BOS

BIM e BOS

Os edifícios inteligentes incluem sistemas automatizados e oferecem uma gama de serviços para proprietários, usuários e operadores.

Ho em dia, eles representam uma nova referência no mercado da construção e constituem, sem dúvida, um setor em rápido crescimento. Embora se fale de edifícios inteligentes sobretudo em relação a edifícios de escritórios, hospitais, supermercados e museus, é uma tecnologia que está cada vez mais entrando na vida quotidiana e doméstica.

O BOS transforma os edifícios em uma plataforma digital escalável que constitui um verdadeiro valor agregado para os usuários.

Seu poder inovador é baseado em três fatores:

  • visualização;
  • abertura;
  • escalabilidade.

Diretamente ligado ao BIM, este “sistema operacional” de construção inteligente fornece acesso gráfico e intuitivo aos dados. Isso implica, por exemplo, que o sistema de iluminação de um escritório específico, localizado em um extenso complexo de edifícios dedicados ao setor terciário, possa ser imediatamente identificado e gerenciado remotamente, em tempo real.

Seja infraestrutura, sistemas informatizados de gestão de manutenção, BIM, sistemas de gestão predial, IoT, aplicativos de serviço voltados para a construção de usuários, é necessário estabelecer uma linguagem comum e compartilhada.

O conceito BOS visa transformar a relação entre o edifício e seus usuários.
Vejamos um exemplo: tal como a Amazon, que construiu seu sucesso analisando os hábitos e comportamentos de seus usuários para refinar suas ofertas, o BOS melhora o edifício com base no que é evidenciado pelos usos de seus ocupantes. Esse processo de aprendizado facilita a correção de bugs detectados pelos usuários e fornece informações úteis para a criação de novos serviços que atendam às suas necessidades.

Este “modo de operação” poderia se tornar um diferenciador chave no mercado imobiliário e facilitar o desenvolvimento de edifícios e cidades inteligentes.

De facto, o valor acrescentado traduz-se na simplificação de muitas ações comuns como a gestão de:

  • iluminação;
  • temperatura;
  • qualidade do ar;
  • diálogo com aplicações fora do edifício;
  • manutenção;
  • atualização do aplicativo;
  • etc.

Resumindo, o BOS atua como um banco de dados aberto e dinâmico que pode ser alterado em tempo real vinculando dados BIM com outras fontes de dados de construção.

Certamente, para projetar e construir edifícios equipados com serviços de autoaprendizagem — e, consequentemente, escaláveis de acordo com necessidades customizadas — será necessário integrar novas áreas de expertise em arquitetura, interpretação de dados, gestão, manutenção e segurança de TI para infraestrutura. Haverá uma necessidade crescente de uso de sistemas de gestão BIM para gerenciar a criação e manutenção de uma obra de forma digitalizada.

 

usbim
usbim