Home » BIM e eficiência energética » Edifícios ecológicos: características e exemplos famosos

Edifícios ecológicos

Edifícios ecológicos: características e exemplos famosos

Materiais recicláveis, captação de águas pluviais, uso de energia de fontes renováveis: aqui estão algumas das características dos edifícios ecológicos


Pode parecer uma tendência momentânea, mas o design de edifícios ecológicos, na verdade, logo se tornará o padrão a ser seguido para a construção de qualquer tipo de edificação. Desde edifícios de energia zero até os passivos, o objetivo é reduzir o impacto ambiental com soluções que abrangem tradição e inovação.

Portanto, não fiquemos despreparados e vejamos o que se entende por edifícios ecológicos, quais características não podem faltar e quais exemplos famosos poderíamos seguir.

Edifícios ecológicos: o que são

Os edifícios ecológicos, também conhecidos como edifícios verdes ou sustentáveis, são construções projetadas e construídas com o objetivo de minimizar seu impacto no meio ambiente e promover a sustentabilidade em todo o seu ciclo de vida, desde o projeto até a demolição, até a reciclagem dos materiais. Esses edifícios são projetados com máxima atenção à economia de energia, uso responsável de recursos e conforto dos ocupantes.
O projeto de um edifício ecológico requer uma série de cuidados especiais para maximizar a eficiência energética, reduzir o impacto ambiental e promover a sustentabilidade.

Edifícios ecológicos - Técnicas de construção sustentável

Técnicas de construção sustentável

Aqui estão alguns aspectos-chave considerados durante o projeto de um edifício ecológico:

  • orientação e design passivo: a disposição e a orientação do edifício podem maximizar o uso da luz natural e otimizar a climatização de verão e inverno. Isso pode incluir a posição e o tamanho das janelas, a forma do edifício e o uso de elementos como brises reguláveis, telhados verdes, chaminés de ventilação, fachadas ventiladas, pele dupla, etc., para reduzir o aquecimento solar e melhorar a ventilação natural.
  • Eficiência energética: uso de materiais isolantes de alta eficiência, janelas de alto desempenho energético, sistemas de aquecimento e resfriamento de alta eficiência e integração de tecnologias para controle automatizado dos sistemas energéticos.
  • Fontes de energia renovável: a instalação de sistemas para geração de energia a partir de fontes renováveis como painéis solares, fotovoltaicos, turbinas eólicas ou sistemas de cogeração pode ajudar a reduzir o uso de energia de fontes não renováveis. Durante o projeto, é necessário o suporte de ferramentas e software fotovoltaico que permitem dimensionar os sistemas para a produção de energia elétrica a partir de fontes renováveis, avaliar o posicionamento correto para maximizar o desempenho e otimizar os tempos de retorno do investimento inicial.
  • Materiais sustentáveis: o uso de materiais de construção de baixo impacto ambiental, reciclados e recicláveis ou provenientes de fontes renováveis pode reduzir o impacto ambiental geral do edifício. Isso inclui materiais como madeira certificada, concreto reciclado, isolantes naturais e tintas com baixo VOC (Compostos Orgânicos Voláteis).
  • Gerenciamento de águas: a implementação de sistemas para coleta de águas pluviais, reutilização de águas cinzas e gerenciamento de águas residuais pode reduzir o consumo total de água e promover a sustentabilidade hídrica do edifício.
  • Qualidade do ambiente interno: uso de materiais não tóxicos e de baixo VOC para garantir um ambiente interno saudável e confortável, juntamente com soluções para maximizar a luz natural e ventilação.
  • Gerenciamento de resíduos: integração de sistemas para coleta seletiva de resíduos durante a construção e uso do edifício, bem como planejamento para reciclagem e reutilização de materiais no final da vida útil do edifício.
  • Monitoramento e otimização: instalação de sistemas de monitoramento e controle para avaliar e otimizar a eficiência energética, o consumo de água e o ambiente interno do edifício ao longo do tempo.

Integrando esses aspectos no projeto de um edifício, é possível criar estruturas que reduzem o impacto ambiental e promovem a sustentabilidade a longo prazo. Para obter suporte válido no projeto de edifícios sustentáveis, é possível aplicar a metodologia BIM, usar software para cálculo energético e implementar no fluxo de trabalho plataformas de gerenciamento BIM para gestão de todo o ciclo de vida das construções.

Exemplos famosos de edifícios ecológicos

Na arquitetura, os edifícios ecológicos são muitos e cada vez mais um exemplo para grandes e pequenos projetos do futuro. Aqui está um top dez dos edifícios sustentáveis mais conhecidos do mundo.

  • One Central Park, Sydney, Austrália – complexo residencial conhecido por seu design ecológico, que inclui paredes verdes verticais, sistemas de reciclagem de águas pluviais e um alto nível de eficiência energética.
  • The Edge, Amsterdã, Países Baixos – edifício de escritórios caracterizado por um telhado revestido de painéis solares, sistemas de resfriamento com água subterrânea e sensores para otimizar o uso de recursos.
  • The Crystal, Londres, Reino Unido – edifício multifuncional projetado para maximizar a eficiência energética e o uso de fontes renováveis, com soluções inovadoras como um telhado fotovoltaico, sistemas de aquecimento e resfriamento de alta eficiência e sistemas de gerenciamento de água.
  • Bullitt Center, Seattle, Estados Unidos – conhecido como “o edifício mais verde do mundo”, o Bullitt Center foi projetado para atender aos mais altos padrões de construção sustentável, usando materiais recicláveis, energia solar e uma gestão inovadora de águas pluviais.
  • The Change Initiative Building, Dubai, Emirados Árabes Unidos – este edifício foi projetado para ser um modelo de sustentabilidade no deserto, com uma arquitetura que maximiza a eficiência energética e o uso de recursos renováveis, incluindo energia solar e reciclagem de águas.
  • Manitoba Hydro Place, Winnipeg, Canadá – edifício de escritórios que garante uma economia de energia de 70% em comparação com estruturas semelhantes do mesmo tamanho. O design, materiais e exposição foram pensados para aproveitar ao máximo as fontes naturais de luz e calor para minimizar o uso de energia. Aberturas com vidro triplo para limitar a perda de calor, telhado verde e um sistema geotérmico para aquecer ou resfriar o prédio. Seu destaque, no entanto, é o sistema de ventilação que usa seu próprio design e instalações para fornecer ar natural aos ambientes internos.
  • Pixel Building, Melbourne, Austrália – concluído em 2010 e projetado pelo Studio 505, é considerado o primeiro prédio australiano com emissões líquidas de dióxido de carbono zero. Representa um exemplo significativo de arquitetura sustentável devido às soluções tecnológicas adotadas para reduzir o impacto ambiental. O prédio possui painéis feitos de material reciclado, montados em uma estrutura metálica, que fornecem não apenas uma estética distinta, mas também iluminação interna e proteção solar. Do ponto de vista energético, o prédio é autossuficiente graças a um sistema fotovoltaico no telhado e turbinas eólicas visíveis na fachada. Para reduzir o consumo de energia, o prédio possui isolamento avançado, um telhado verde com sistema de coleta e reutilização de água da chuva e um sistema de ventilação natural. O aquecimento e resfriamento são controlados por uma bomba de calor de absorção água-amônia, com eficiência superior às caldeiras a gás convencionais. Na escolha de materiais, são privilegiados os reciclados e de baixo impacto ambiental, como o concreto com baixa emissão de dióxido de carbono.
  • The Parkroyal on Pickering, Singapura – este hotel é famoso por seu design ecológico, que inclui jardins verticais, painéis solares e sistemas de coleta de águas pluviais para irrigação e resfriamento.
  • Shanghai Tower, Xangai, China – arranha-céu com 632 metros de altura, que ilumina toda a área circundante através de turbinas eólicas instaladas no telhado; a verdadeira peculiaridade está no monitoramento da luz natural, filtrada por uma pele dupla transparente, com uma economia estimada de cerca de 556 mil dólares.
  • The Dock, Dublin, Irlanda – este edifício de escritórios foi projetado com atenção especial à sustentabilidade e inovação, com soluções como um telhado verde, sistemas de iluminação de baixo consumo de energia e um design que maximiza o uso da luz natural.

Estes são apenas alguns exemplos, mas a lista está destinada a crescer e ser continuamente atualizada, dada a crescente atenção dos designers à eco-sustentabilidade.

 

termus-plus
termus-plus