Exchange Information Requirements: o que é o EIR no BIM?

O Exchange Information Requirements (EIR) é um documento, elaborado pelo cliente, que define todos os requisitos relacionados à troca de informações de um processo BIM. Descubra o que é e como se compõe

A metodologia BIM pressupõe um fluxo de trabalho colaborativo e a criação de modelos de informação ricos em dados gráficos e textuais que caracterizam todos os elementos pertencentes ao modelo, durante todo o seu ciclo de vida.

O pacote de informações que caracteriza cada modelo é montado com base nas necessidades do cliente, que tem a responsabilidade e a capacidade de definir, na fase de concepção de um projeto, quais informações são úteis, como elas devem ser trocadas e quando isso deve acontecer.

É nesta perspectiva que se encaixa o EIR (Exchange Information Requirements, em português “Requisitos de Informação do Empregador”).

A imagem ilustra o conceito de BIM Model Checking Exchange Information Requirements

BIM Model Checking EIR

O que é um documento Exchange Information Requirement?

Em uma licitação realizada conforme metodologia BIM, o EIR é um documento pré-licitatório que define regras, informações e requisitos de um processo BIM e constitui o ponto de partida da própria licitação, ao qual técnicos e empreiteiros respondem com propostas adequadas.

Enquanto a norma PAS 1192-2 define o EIR como “Employer Information Requirements“, literalmente “Requisitos de informações do empregador”, hoje a sigla EIR se refere a “Exchange Information Requirements“, embora alterado pela ISO 19650, que fala de “Requisitos de troca de informações”.

A diferença entre tais definições destaca uma mudança clara. Embora os requisitos de informação a serem produzidos e entregues desempenhem em ambos os casos um papel predominante, o novo significado nos faz entender como agora o foco está mais na forma como essas informações são trocadas.

O EIR, de fato, se preocupa com os métodos a serem executados para o compartilhamento de dados e a geração de relatórios, com foco na gestão do conteúdo da informação entre os diversos atores envolvidos e nos métodos de verificação, arquivamento e entrega dos modelos. Representa, então, um verdadeiro documento textual que identifica:

  • normas de referência, prioridades e objetivos;
  • modelos a serem implementados para cada fase de projeto com níveis de informação adequados à fase de referência.

Os objectivos devem ser alcançados através do trabalho colaborativo das várias equipes proponentes, incluindo empreiteiros, técnicos, fornecedores e quaisquer subempreiteiros e subfornecedores. Trabalho, esse, realizável graças a uma troca de dados optimizada e ao uso de um BIM Management System.

Quais são os requisitos de informação do cliente?

Vimos que, através do Exchange Information Requirements, o cliente define as características gerenciais da obra, delineando o processo de produção e entrega. Mas quais são os requisitos de informação específicos que deve indicar?

Os requisitos de informação a serem definidos estão relacionados a aspectos como:

  • métodos de gestão (por exemplo, o uso de plataformas colaborativas);
  • métodos de produção;
  • métodos de coordenação entre os modelos e a equipe (uso de ferramentas BIM, análises coordenadas de modelos, etc.);
  • métodos de verificação e controle;
  • nível de detalhe em relação aos elementos e, em geral, ao modelo específico a ser criado em cada fase;
  • método de troca (por exemplo formatos interoperáveis);
  • tempos, prazos e fases de entrega;
  • métodos de entrega (formatos de saída, nomenclatura de arquivos, etc.).
flusso informativo redazione EIR exchange information requirement

Fluxo de informação para elaboração do EIR

Por que precisamos de um documento EIR?

O Exchange Information Requirements (EIR) é um documento chave da metodologia BIM, pois seus propósitos remetem à filosofia do BIM: “Começar imaginando o fim”, ou seja, começar planejamento tendo claros os objetivos finais.

Para atingir os objetivos finais de forma eficaz, um documento funcional é sem dúvida o EIR, que detalha todo o fluxo de trabalho, gerindo antecipadamente o inteiro processo de construção.

Um Exchange Information Requirements também é vantajoso para:

  • o cliente, pois a criação de gêmeos digitais realistas e ricos em informações garante ao proponente uma visão real dos projetos e permite avaliar uma série de fatores (fases de construção, recursos, custos e prazos, processos de gestão e manutenção).
  • Os projetistas e todos os colaboradores, pois por meio de diretrizes claras e fluxos de trabalho definidos pelo EIR eles conseguem ser mais produtivos, reduzir erros e evitar atrasos.

O que deve conter um Exchange Information Requirements?

Existem vários documentos que convergem no Exchange Information Requirements e contribuem para a sua elaboração:

  • OIR (Organizational Information Requirements): contém as informações necessárias para definir os objetivos do proponente.
  • AIR (Asset Information Requirements): contém os aspectos de gestão e os procedimentos técnicos do ativo.
  • PIR (Project Information Requirements): contém as informações necessárias para implementar os objetivos em relação ao comissionamento específico.

Para enquadrar totalmente o EIR dentro de um comissionamento BIM, basta consultar a ISO 19650-1, que define o fluxo e a hierarquia dos requisitos de informação que se desenvolvem em um processo BIM.

O comissionamento se conclui com a elaboração de:

  • PIM (Project Information Model), com informações relacionadas ao projeto e à realização da construção.
  • AIM (Asset Information Model), com informações relacionadas ao uso, gestão e manutenção do ativo.
A imagem mostra a fierarquia requisitos de informacao

Hierarquia requisitos de informação

Para redigir corretamente o EIR, é necessário seguir um modelo que se compõe de três partes:

  1. Técnica
  2. Gestão
  3. Comercial

Cada parte consiste em uma série de conteúdos típicos, resumidos na tabela abaixo:

TÉCNICA
  • Formatos de troca
  • Nível de detalhe
  • Plataformas de software
  • Coordenadas
  • Nível de formação
GESTÃO
  • Padrão
  • Papéis e responsabilidades das partes interessadas
  • Segurança de dados
  • Processo de coordenação
  • Processo de colaboração
  • Agendamento de reuniões de revisão do modelo
  • Gerenciamento da saúde e segurança do projeto
  • Restrições
  • Plano de conformidade
  • Método de entrega de informações sobre os ativos
COMERCIAL
  • Objetivos estratégicos
  • Resultados BIM a serem alcançados
  • Avaliação de competências

Parte técnica

Essa parte do Exchange Information Requirements abrange os requisitos técnicos do comissionamento:

  • formatos de troca: os formatos de arquivo (possivelmente também as versões) com os quais trocar dados, para que tudo ocorra em um formato que possa ser usado pelo próprio proponente.
  • Nível de detalhe: para cada modelo e cada elemento técnico do próprio modelo, deve ser definido o nível mínimo de detalhe, geométrico e informativo, a ser alcançado com base nos requisitos de projeto.
  • Plataformas de software: é necessário identificar a infraestrutura de software e a plataforma colaborativa do comissionamento.
  • Coordenadas: é necessário identificar um sistema de coordenadas comuns a todos, pois os modelos de projeto devem ter o mesmo ponto de coordenação.
  • Nível de formação: o cliente deve definir a formação BIM necessária para poder participar da elaboração da proposta e do resultante comissionamento.

Parte de gerenciamento

Esta parte abrange os requisitos de gerenciamento dos processos de projeto:

  • padrão: procedimentos a serem seguidos para garantir o correto fluxo de informações, a troca de dados, a entrega e a segurança do processo.
  • Funções e responsabilidades das partes interessadas: os proponentes devem ser orientados a indicar todos os papéis e as responsabilidades dos participantes no projeto.
  • Segurança de dados: medidas de segurança para proteger dados sensíveis.
  • Processo de coordenação: métodos de controle e resolução de interferências, tolerâncias, etc.
  • Processo de colaboração: é preciso esclarecer as modalidades colaborativas que a equipe deve seguir.
  • Agendar reuniões de revisão do modelo: programa de controle e assistência à equipe de projeto, durante a execução do trabalho.
  • Gerenciamento da saúde e segurança do projeto: requisitos de projeto relacionados à segurança no canteiro de obras a serem garantidos.
  • Restrições: para comunicar quaisquer constrangimentos ou limitações presentes no comissionamento.
  • Plano de conformidade: vinculado à definição de métodos para garantir a qualidade das informações e dos dados produzidos.
  • Modo de entrega das informações sobre os ativos: definir um padrão mínimo e o esquema de dados através do qual gerenciar as informações no ativo.

Parte comercial

Esta parte do EIR abrange os requisitos relacionados às metas e aos objetivos do projeto:

  • objetivos estratégicos: finalidade dos requisitos de informação.
  • Resultados BIM a serem alcançados: deve definir detalhadamente os resultados a serem alcançados em termos de modelagem, informatização e coordenação.
  • Avaliação de competências: através da qual são analisadas as habilidades e competências dos proponentes na gestão e troca de informações.

Como um Exchange Information Requirements difere de um BEP?

O EIR e o BEP são documentos necessários durante um comissionamento BIM, mas diferem para o propósito:

  • o EIR serve para identificar as necessidades e requisitos de informação solicitados pelo cliente;
  • o BEP serve para indicar como pretende responder às necessidades expressas no EIR.

Na realização de um projeto BIM, a produção e troca de informações definidas pelo EIR permitem que os proponentes elaborem os BEPs (Planos de Execução BIM).

O BEP destaca os métodos e as ferramentas que visam atingir os objetivos exigidos pelo EIR. Dependendo da fase em que se encontra, são elaborados dois BEPs: o pré-contrato (pré-BEP) e o pós-contrato (pós-BEP).

A imagem ilustra o desenvolvimento comissionamento BIM na otica do Exchange Information Requirements

Desenvolvimento comissionamento BIM fluxo de trabalho

O BEP pré-contrato é elaborado na fase de proposta (fase pré-licitatória) por cada participante.

Ele, de fato, descreve brevemente a forma de atender às necessidades do cliente, planejando os principais “passos” do projeto a realizar (na forma de PIM, Project Information Model) e focando no seu nível de competência, na sua capacidade operacional, nos recursos e tecnologias adotados.

Na conclusão da licitação, o vencedor, após a assinatura do contrato com o proponente, terá que apresentar um novo plano, o BEP pós-contrato.

Enquanto o pré-BEP constitui uma proposta, o BEP pós-contrato enquadra os métodos efetivos de criação, controle, troca e compartilhamento dos documentos e modelos finais a serem produzidos. Também é enriquecido com documentos (como a matriz de responsabilidades, o MIDP, a TIDP) que detalham a gestão de procedimentos, processos a serem seguidos, estratégias de entrega e padrões.

Em conclusão, podemos dizer que é justamente com o BEP que todos os atores do processo entendem os propósitos e usos do modelo BIM, definindo uma proposta eficiente, funcional e compatível com as normas.

 

usbim
usbim