A imagem ilustra o conceito do BIM 7D

Facility Management e BIM 7D

Como gerenciar o Facility Management de um edifício durante todo o seu ciclo de vida graças a um aplicativo online de BIM 7D

A manutenção de um ativo começa imediatamente após a sua construção e termina com a sua demolição.

Uma forma intuitiva, e talvez até sugestiva, de definir os assuntos que entram em jogo na digitalização da construção é referir-se às suas “dimensões”, que vão além das 3 dimensões físicas.

O 7D é a dimensão BIM que possibilita o gerenciamento do edifício existente e simplifica todas as atividades (ordinárias e extraordinárias) para realizar ao longo de seu ciclo de vida.

Neste artigo, vamos conhecer melhor o BIM 7D e os aplicativos de Facility Management (em português, Gerenciamento de ativos), ferramentas que agilizam o gerenciamento de ativos e planos de manutenção de forma integrada ao modelo BIM.

BIM 7D: o que é

Dentre as “dimensões” do BIM, destaca-se o 7D, isso é, o gerenciamento do patrimônio imobiliário existente com base na coleta, conservação, geração, atualização e troca de documentos relativos à história de um edifício (gráficos, fichas técnicas, manuais de uso, documentos de garantia, relatórios, projetos, etc.).

O BIM 7D aborda todos os aspetos do Facility Management e cuida do gerenciamento e da manutenção de ativos existentes, por meio de ações capazes de garantir qualidade de serviços e segurança de usuários e trabalhadores.

Esses objetivos requerem a adoção de processos BIM para alcançar um gerenciamento eficiente das construções, a partir de modelos 3D completos com dados e informações integrados e de sistemas de informação interoperáveis.

O BIM 7D é, de fato, uma abordagem única em que toda a informação relativa ao processo de gerenciamento do edifício é coletada dentro de um modelo de informação único. Seu objetivo é manter inalterado o padrão de desempenho dos componentes do ativo (esquadrias, instalações, desempenho energético, etc.) até sua demolição.

Dispor de modelos BIM permite simular vários cenários para avaliar, de maneira eficaz, as atividades de gerenciamento do ativo:

  • análise e diagnóstico da situação atual;
  • definição das intervenções;
  • cálculo dos tempos;
  • estimativa dos custos.

A sétima dimensão do BIM permite, então, gerenciar o edifício durante todo o seu ciclo de vida, além de associar ao modelo informações essenciais para a manutenção e o gerenciamento do próprio edifício. Desta forma, as informações podem ser compartilhadas e trocadas entre os vários atores envolvidos, bem como implementadas ao longo do tempo sem o risco de perda de dados.

A imagem ilustra o conceito de Facility Management

BIM 7D | Facility Management

Facility Management: o que é

Por “Facility Management” entende-se o conjunto de operações relativas à manutenção e ao gerenciamento de todos os aspetos de um edifício existente: das instalações (elétricas, hidráulicas, mecânicas) à vegetação, dos sistemas de segurança e vigilância à limpeza, da conservação dos níveis de desempenho dos componentes do edifício até sua eventual demolição.

Na prática, esse termo se refere ao processo de projeto, implementação e controle através do qual os ativos (ou seja, edifícios e serviços necessários para apoiar e facilitar as atividades de uma empresa) são identificados e disponibilizados a fim de atingir e manter níveis de desempenho capazes de atender às necessidades da empresa, assim como de criar um ambiente de trabalho de alta qualidade com gastos otimizados.

O IFMA (International Facility Management Association) define o Facility Management como:

a disciplina de negócios que coordena o espaço físico de trabalho com os recursos humanos e a atividade própria da empresa, além de integrar os princípios do gerenciamento económico e financeiro da empresa e os princípios de arquitetura e ciências comportamentais e de engenharia.

A norma europeia EN 15221-1, 2007, por outro lado, define-o como:

a integração dos processos internos de uma empresa para apoiar e desenvolver os serviços que agilizam e aprimoram a eficiência das suas atividades primárias.

Quem cuida do Facility Management é o Facility Manager (Gerente de ativos), ou seja, a pessoa responsável pelo gerenciamento dos ativos e pelas atividades de projeto, coordenação, planejamento e prestação dos serviços de apoio à empresa, visando incentivar sua eficácia e produtividade.

As tarefas do Facility Manager são várias e incluem a área estratégica de análise e controle de ativos imobiliários instrumentais, bem como os serviços técnicos, auxiliares e gerais.

A integração entre Facility Management e BIM

Para otimizar as formas de gerenciamento de um ativo, é possível integrar Facility Management e metodologia BIM.

Costumamos pensar no BIM como um processo indispensável na fase de projeto de uma obra mas, na realidade, seus benefícios são inúmeros até na fase de gerenciamento e manutenção.

O modelo BIM é, de fato, o gêmeo digital do real (sua representação virtual fiel) e coleta todas as informações de cada elemento do edifício existente. Portanto, também se torna uma importante ferramenta de simulação e programação, que pode ser aproveitada para organizar melhor a manutenção de um ativo.

Tal abordagem permite simplificar atividades ordinárias (busca de informações, levantamento, elaboração de documentos, etc.), além de garantir um conhecimento mais detalhado da consistência do ativo e identificar eventuais problemas, tornando mais eficiente tanto o desempenho do edifício como sua rentabilidade.

Em resumo, as vantagens do BIM não se limitam ao projeto de um ativo, mas também englobam seu gerenciamento:

  • melhor comunicação entre os envolvidos, evitando mal-entendidos e erros de planejamento;
  • programas de manutenção mais precisos e completos graças às informações contidas no modelo BIM;
  • informações mais confiáveis para contratados;
  • processo de manutenção simplificado para contratados e subcontratados;
  • decisões e investimentos mais informados;
  • análise de custo / benefício para aumentar a economia e minimizar as despesas;
  • centralidade de dados e informações sobre todos os aspetos úteis do ativo;
  • otimização do desempenho do ativo ao longo de seu ciclo de vida;
  • otimização de processos (desde a fase de projeto até a demolição).

As dimensões do BIM

O termo “dimensões do BIM” se refere a todos os aspetos e as informações incluídos no processo de digitalização de uma obra.

O BIM é mais do que a simples modelagem tridimensional (3D) pela qual é conhecido, pois envolve outras “dimensões” que agregam informações úteis à obra a ser construída ou gerenciada:

  • 3D: representação tridimensional da obra
  • 4D: análise dos tempos de realização da obra
  • 5D: análise dos custos
  • 6D: avaliação da sustentabilidade
  • 7D: fase de gerenciamento das obras realizadas (Facility Management).

Além das 7 dimensões oficiais, hoje se fala de mais três “novas dimensões do BIM”:

  • 8D: segurança na fase de projeto e construção da obra
  • 9D: construção ágil
  • 10D: industrialização da construção
A imagem ilustra as 10 dimensoes do BIM

As 10 dimensões do BIM

Para que serve ou COBie no Facility Management

Geralmente, o processo de gerenciamento de um imóvel existente envolve vários profissionais (técnicos, empreiteiros, proprietários, sociedades gestoras, etc.) que, com diversas funções e competências, gerenciam os dados e as informações abordados nas diversas operações de manutenção.

A integração de tais dados, muitas vezes provenientes de diferentes fontes, em plataformas e aplicativos para o Facility Management é possível graças ao Padrão COBie (Construction Operations – Building Information Exchange, em português Construção de Operações – Construção de troca de informações).

Simplificando, o COBie é uma planilha em formato .xml, com uma estrutura precisa, que constitui o padrão para coletar as informações incluídas no pacote entregue ao proprietário ao inciar a operação do ativo.

Isso permite organizar e compartilhar os dados relativos a um ativo e suas peças acessórias, além de garantir ao cliente integridade, compatibilidade e usabilidade da informação necessária para o gerenciamento do edifício ao longo de toda a sua vida útil.

Os dados COBie, em virtude de sua representação estruturada, também são fundamentais para os responsáveis pela estimativa de custos e os contratados, pois permitem modificar o gerenciamento dos dados do projeto em tempo real de forma muito simples: basta alterar as linhas da planilha e todo o projeto é imediatamente revisado.

É possível obter o COBie no formato .xml diretamente da ferramenta de autoria BIM utilizada, ou através de aplicativos externos que geram o arquivo a partir do modelo BIM em formato IFC.

Softwares BIM 7D

Para gerenciar melhor todos os aspetos de Facility Management diretamente em um único modelo BIM, você precisa de um software ou aplicativo para controle, verificação e manutenção de ativos.

Um aplicativo desse tipo é usado para gerenciar:

  • locais;
  • ativos;
  • planos de manutenção;
  • atividades de manutenção;
  • todas as outras atividades possíveis a serem realizadas no ativo durante seu ciclo de vida.

usBIM.facility, o aplicativo online para o Facility Management

usBIM.facility é o aplicativo do sistema integrado usBIM concebido para gerenciar a manutenção de construções e infraestruturas, e integrar de forma avançada todas as funções de Facility Management com o modelo BIM e o sistema documental do gêmeo digital.

A imagem mostra a interface do usBIM.facility, o aplicativo ACCA para Facility Management

Interface do usBIM.facility

Comparado a qualquer software tradicional, o usBIM.facility tem a vantagem de ser um aplicativo online que você pode usar de dispositivos móveis, recebendo informações em tempo real e realizando atividades de manutenção em qualquer lugar. Por exemplo, pode lançar, processar e finalizar atividades de qualquer tipo, ou até reposicionar ativos, mesmo fora do escritório e sem acesso a seu PC.

usbim
usbim