Home » BIM e Arquitetura » Financial Times: a renovação BIM da sede londrina

A imagem mostra o edificio que sitea o financial times

Financial Times: a renovação BIM da sede londrina

O Financial Times volta, depois de trinta anos, para a sua sede histórica perto da Catedral de São Paulo. Conheça o projeto BIM de recuperação e renovação

Após uma ausência de quase 30 anos, o Financial Times voltou a ser acomodado na sua sede histórica de Bracken House, no coração de Londres, em frente da Catedral de São Paulo.

O escritório John Robertson Architects (JRA), a mando da Obayashi Corporation, recuperou e valorizou o edifício localizado na Cidade de Londres graças ao BIM. Concebido inicialmente nos anos ’50 por Albert Richardson como sede e centro de impressão do Financial Times, o edifício sofreu uma forte transformação em 1988, pela Michael Hopkins and Partners.

A imagem mostra a fachada da sede do Financial Times

Seção central da fachada do Financial Times © 2020 John Robertson Architects

Após 25 anos de utilização, o JRA renovou significativamente o edifício, listado com status de grau II  (ou seja, um edifício inglês tombado como bem de ordem histórica ou cultural que não pode ser demolido).

A intervenção consistiu em:

  • alargamento do hall de entrada;
  • realização de novos pátios internos que ligam o espaço central, ocupado pelos escritórios, as duas asas dos anos ’50;
  • realização de um jardim suspenso com uma pista de corrida no telhado do edifício;
  • renovação total e modernização dos escritórios, com novo sistema de climatização com alto desempenho energético e iluminação LED de ponta. A luz diurna também foi garantida nos espaços internos graças a algumas alterações do telhado do átrio.

O JRA trabalhou em estreita colaboração com o grupo ARUP para planejar a renovação, utilizando o Building Information Modelling level two, assim como para coordenar as fases de projeto e para o code checking. O modelo BIM proporciona mais de 27.000 objetos que contêm as informações relativas a cada aspecto da construção: no futuro, isso permitirá realizar de modo simples qualquer reparação.

A imagem mostra a entrada do edificio historico do Financial Times

Entrada do edifício histórico © 2020 John Robertson Architects

A história de Bracken House

Reconhecido como importante exemplo de arquitetura inglesa do século vinte e listado com status de Grau II*, Bracken House testemunha as mudanças nos estilos arquitetônicos londrinos e demostra que um edifício do século vinte pode voltar à vida graças a uma renovação que aproveite as ferramentas BIM.

O John Robertson Architects (JRA) foi nomeado responsável para a renovação do edifício, aprimorando os projetos dos dois arquitetos anteriores e as estruturas que vão acomodar os próximos moradores.

A imagem mostra o edificio do Financial Times no centro da City de Londres

O edifício no coração da Cidade de Londres © 2020 John Robertson Architects

1 – Sua Construção

A Bracken House foi realizada por Sir Albert Richardson em 1959 como sede e centro de impressão do Financial Times. Contudo, devido às mudanças radicais dos sistemas de impressão, nos anos ’80 o edifício já precisava de profundas renovações. O Financial Times, então, teve que mudar.

2 – A demolição perdida e a primeira renovação dos anos ’80

Em seguida, decidiu-se que o edifício seria demolido e substituído por outro. Em 1987, porém, uma parte de construção foi listada como monumento de interesse histórico: o primeiro edifício da Inglaterra a ser listado no pós-guerra.

Após a demolição ser bloqueada, o arquiteto Michael Hopkins foi chamado para renovar o edifício. Ele escolheu demolir e substituir apenas a parte central colocando em seu lugar um elegante bloco de vidro, e guardando as duas asas laterais de arenito rosa. Em 2013, o edifício foi novamente tombado como bem de Grau II*, também mantendo as alterações do Hopkins.

A imagem mostra a cobertura do edificio com o telhado verde

A cobertura do edifício com seu telhado verde © 2020 John Robertson Architects

3 – A segunda renovação e o BIM

A missão do JRA foi levar o edifício para os elevados critérios atuais, trabalhando junto com engenheiros estruturais e com o grupo de construção ARUP. O objetivo era revisar todas as instalações e os serviços, inclusive o sistema de ventilação mecânica, e otimizar o desempenho energético e de luz, além da utilização dos espaços.

A transformação gerada por JRA causou uma mudança total dos escritórios do Financial Times, que agora possuem iluminação LED de ponta e sistemas de climatização com alto desempenho energético.

A imagem mostra os espacos interiores com novos escritorios

Espaços interiores com novos escritórios © 2020 John Robertson Architects

O plano original do arquiteto Hopkins também previa um terraço no telhado: o cliente sempre solicitou este espaço ao ar livre, que é cada vez mais valioso para escritórios na Londres atual. O resultado do projeto é um terraço com grande jardim, sala de estar, uma pista de corrida e uma vista espetacular de 360 ° sobre a cidade de Londres.

A imagem mostra o terraco do edificio com vista na catedral de sao paulo

Vista do telhado na Catedral de São Paulo © 2020 John Robertson Architects

Desde o início, o cliente pretendeu utilizar o BIM tanto na fase de renovação quanto na fase de gerenciamento do edifício. Bracken House foi o primeiro projeto de renovação, até de dimensões significativas, que o JRA levou para o nível BIM 2.

Compreender a melhor forma de interagir com o edifício existente para depois convertê-lo para um modelo BIM foi um desafio significativo para a equipe de projetistas.

A imagem mostra os espacos interiores com novos escritorios

Interiores © 2020 John Robertson Architects

O resultado dessa delicada renovação é um equilíbrio entre conservação e progresso: a qualidade dos projetos originais de Richardson e Hopkins foi preservada, mas ao mesmo tempo o desempenho ambiental, térmico e espacial do edifício moderno foi aprimorado.

Ele está, portanto, pronto para sediar novamente o Financial Times para sua nova vida no século XXI.

 

edificius
edificius