Home » BIM e facility management » Gestão de ativos de construção: estratégias e benefícios

Gestão de ativos de construção

Gestão de ativos de construção: estratégias e benefícios

A gestão de ativos de construção é o processo de gerenciamento dos bens patrimoniais de uma empresa. Descubra os benefícios e as 4 melhores práticas a serem implementadas


Possuir e adquirir novos equipamentos e maquinários é algo dado para uma empresa de construção, sendo uma parte vital do ciclo operacional e, portanto, sua gestão também se torna obrigatória.

No entanto, a gestão de ativos no setor da construção muitas vezes é negligenciada ou menosprezada do que deveria. Uma gestão correta de ativos garantirá a máxima produtividade e segurança, melhorará a eficiência e, por sua vez, aumentará os retornos da empresa.

Vamos então entender exatamente o que significa gestão de ativos e quais benefícios ela traz para a indústria da construção.

O que é gestão de ativos no mundo da construção?

Para entender o que significa gestão de ativos no mundo da construção, é útil primeiro entender o que representa um bem neste setor. De maneira geral, um bem representa algo de propriedade de uma pessoa ou empresa e, portanto, possui um valor monetário. No setor da construção, os bens são numerosos, variam de acordo com a fase do fluxo de trabalho em que nos encontramos e geralmente se enquadram em duas categorias: equipamentos e maquinários.

Assim, a gestão de ativos no mundo da construção representa o processo de gerenciamento dos bens patrimoniais de uma empresa de construção. Esse gerenciamento inclui ações de: desenvolvimento ou aquisição, gerenciamento e manutenção, renovação ou atualização e alienação dos bens de que a empresa precisa ao longo das várias fases de projeto e execução. O gerenciamento desses bens se divide em:

  • procura de ativos: esta fase consiste no chamado abastecimento de bens, ou seja, identificar e adquirir os bens de que a empresa precisa. Para que o investimento seja útil e vantajoso, a base do abastecimento de ativos é um planejamento importante. Antes que um bem possa ser adquirido, é necessário demonstrar que:
    • é um bem essencial para a empresa;
    • cumpre os requisitos padrão da empresa, principalmente em termos de segurança, eficiência e custos;
    • é um bem certificado para fornecer os resultados desejados.
  • rastreamento e manutenção de ativos: esta fase inclui, como o próprio termo indica, o monitoramento e a manutenção dos recursos. O processo de gestão de ativos, de fato, não termina após a aquisição de um recurso, mas continua para garantir a eficiência do bem adquirido. Mais detalhadamente, essa fase inclui:
    • manutenção;
    • renovação ou remodelação;
    • descarte e substituição.
Componentes do processo de gestão de ativos

Componentes do processo de gestão de ativos

Por que a gestão de ativos no setor da construção é importante?

O gerenciamento de ativos no setor da construção é importante porque ajuda a manter a empresa no máximo de sua eficiência. Sempre que um recurso não é gerenciado adequadamente, ou seja, sua aquisição, manutenção e descarte não são gerenciados da maneira mais eficiente possível, são a empresa e os processos de projeto que ela está enfrentando que sofrem a curto ou longo prazo. Se um recurso deixa de funcionar momentaneamente ou quebra, desencadeia-se um tempo de inatividade imprevisto que aumenta as ineficiências de todo o processo.

Um correto gerenciamento de ativos, apoiado pelas ferramentas corretas, permitirá, por outro lado:

  • economizar dinheiro;
  • respeitar as margens de lucro;
  • atender aos requisitos regulatórios;
  • gerenciar riscos de segurança;
  • reduzir os tempos de inatividade;
  • gerenciar as condições dos recursos;
  • aumentar a consistência e a uniformidade no canteiro de obras.

Quais são os tipos de ativos no setor da construção?

Antecipamos que os recursos no mundo da construção são numerosos e variados, dependendo da fase de projeto e execução em que nos encontramos, e são tipicamente agrupados em equipamentos e maquinários. Mas vejamos mais detalhadamente quais são os principais tipos de bens no setor AECO:

  • equipamentos de construção: por equipamentos de construção, referimos-nos a bens, muitas vezes de alto valor monetário, que as empresas usam para realizar trabalhos pesados no canteiro de obras, como guindastes, tratores, escavadeiras, trituradores, niveladoras e uma série de outros equipamentos especializados, dependendo do tipo de trabalho de construção em curso. As dimensões, o valor, a necessidade de pessoal especializado e o uso de combustível tornam esses equipamentos especialmente importantes de gerenciar.
  • Veículos: os veículos, como carros e caminhões, são considerados bens separados do restante dos equipamentos de construção, especialmente se forem usados fora do canteiro de obras para comissões ou transportes.
  • Computadores e outros dispositivos: computadores, telefones celulares, tablets ou outros dispositivos tecnológicos e eletrônicos são hoje onipresentes em empresas e canteiros de obras. Esses dispositivos exigem gerenciamento tanto em termos de funcionalidade quanto de segurança da informação.
  • Ferramentas e acessórios: mesmo ferramentas e acessórios de pequenas dimensões e não particularmente sofisticados do ponto de vista tecnológico exigem gerenciamento e manutenção. Se um trabalhador precisar de uma ferramenta para concluir um trabalho específico e essa ferramenta não estiver presente no canteiro de obras ou apresentar algum problema de funcionamento, mesmo que a ferramenta não seja das mais sofisticadas, ela causará atrasos no trabalho e, portanto, perdas financeiras. Portanto, é essencial manter um inventário preciso das ferramentas e monitorar seu uso e desgaste.
  • Estruturas e serviços: cada canteiro de obras possui, de acordo com suas dimensões, pequenas estruturas de apoio aos trabalhadores, como banheiros e estações de lavagem. Esses também são bens e devem ser monitorados no plano de gerenciamento de ativos.

Quais são os benefícios do gestão de ativos no setor da construção?

Há muitas vantagens em implementar um plano de gestão de ativos na indústria da construção. Entre eles estão:

  • rastreamento de todos os recursos em tempo real: isso permite planejar o gerenciamento e a manutenção dos recursos, evitando acidentes que prejudicariam a segurança dos trabalhadores e resultariam em atrasos imprevistos.
  • Redução do risco de roubo no canteiro de obras: infelizmente, o setor da construção pode ser alvo de furtos devido aos bens de alto valor associados ao setor. Implementando o rastreamento dos bens de construção, é possível reduzir esse risco. Além disso, o uso de softwares de gestão de instalações específicos permite geolocalizar os ativos e monitorar os bens, melhorando a segurança no canteiro de obras e criando um ambiente sem estresse.
  • Avaliação de desempenho: graças ao monitoramento em tempo real, será possível para a empresa avaliar os recursos mais utilizados, aqueles que podem ser alugados em vez de comprados porque o uso é inferior ao previsto, etc.
  • Compreensão do ciclo de vida dos bens de construção: a gestão de ativos permite monitorar todos os equipamentos e maquinários para reparo, manutenção, sucata ou venda. Isso permite ter tudo pronto e em condições ideais quando se está prestes a começar um trabalho.
  • Otimização da segurança no canteiro de obras: elaborar um plano de gestão de ativos significa sempre conhecer o estado dos equipamentos e maquinários e saber quando é necessário intervir, também através de manutenção preditiva. Obviamente, ter recursos monitorados e mantidos aumenta o nível de segurança no canteiro de obras.
Benefícios do gerenciamento de ativos

Benefícios do gestão de ativos

4 melhores práticas úteis para implementação de estratégias

Não existe uma maneira universalmente válida para um gestão de ativos correto, sempre haverá variáveis a serem consideradas de acordo com a empresa específica e o projeto individual. No entanto, existem melhores práticas que podem ser úteis para todas as empresas de construção, que são:

  1. ter as pessoas certas nos lugares certos: a base de um processo de gestão de ativos eficiente sempre será uma equipe qualificada.
  2. Certificar-se de que as equipes compreendam o ciclo de vida dos equipamentos: por exemplo, é uma coisa saber que sua escavadeira tem 11 anos, outra coisa é saber o que isso significa em termos de vida útil restante.
  3. Avaliar os bens regularmente: muitas vezes, alguns equipamentos ou máquinas simplesmente precisam ser sucateados e substituídos. Portanto, é essencial avaliar os recursos regularmente e identificar de forma precisa, para evitar riscos à segurança, aqueles recursos que já atingiram o fim da vida útil.
  4. Investir em um software específico e profissional de gestão de ativos: o uso de uma tecnologia específica aumentará a produtividade dos membros da equipe e facilitará qualquer tipo de gestão de ativos.

Existem também outras ferramentas para apoiar a atividade de gestão de ativos, como softwares de gestão de problemas na construção que recomendo implementar em sua equipe de trabalho para gerenciar com todas as questões que surgem nas várias fases do projeto de construção, sempre respeitando os prazos e garantindo a satisfação dos clientes e membros da equipe ou simplesmente para a gestão de intervenções em equipamentos com a abertura de tickets!

 

 

usbim-maint
usbim-maint