A imagem se refere ao conceito do IDS

IDS: o que é e para que serve

IDS (Information Delivery Specification), o novo padrão da buildingSMART para gerenciar melhor a troca de informações no Building Information Modelling (BIM)

Um IDS (Information Delivery Specification) é um documento que define os Exchange Requirements (Requisitos de troca, em português) para a troca de informações baseada no uso de um modelo BIM.

A principal característica do documento IDS é que ele é escrito de forma que possa ser interpretado por um computador.

Esse documento estabelece como entregar e trocar os objetos de um modelo BIM, bem como as classificações, as propriedades e até mesmo valores e unidades de medida.

A imagem ilustra um esquema comparando LOD, LOIN e IDS

LOD, LOIN e IDS

Para que seve um Information Delivery Specification?

O IDS pode ser muito útil para definir corretamente os níveis de necessidades de informação (LOIN) nas especificações de informação (EIR) e no plano de gerenciamento da informação (BEP).

O novo padrão buildingSMART IDS chega para responder a um dos aspectos mais importantes para a correta configuração de um contrato de obra BIM: a necessidade de ter modelos alinhados com os objetivos para os quais eles foram solicitados.

As características das informações a trocar e disponibilizar durante o ciclo de vida da obra são definidas por normas, aplicáveis a qualquer construção, que fornecem diretrizes para a especificação das necessidades de informação:

  • planejamento estratégico;
  • projeto inicial;
  • engenharia;
  • desenvolvimento;
  • documentação e construção;
  • operação diária;
  • manutenção;
  • reestruturação;
  • reforma;
  • fim da vida útil.

O IDS foi especificamente concebido para responder à exigência de definir e otimizar o gerenciamento de necessidades de informação dinâmicas e complexas, como já ilustrado acima.

IDS como solução para realizar trocas de dados previsíveis e certos

As especificações de um documento IDS podem resultar da combinação dos conceitos incluídos no:

  • padrão IFC (Industry Foundation Classes) — Modelo de dados que visa descrever os dados da indústria de construção. É um formato de arquivo aberto e neutro, não controlado por um único fornecedor ou grupo de fornecedores.
  • Classificações e propriedades adicionais resultantes de contratos nacionais ou específicos da empresa.

O IDS é o padrão a ser usado para definir o Level of Information Needs (LOIN, isso é, o nível de necessidades de informação). Ele permite otimizar a validação dos modelos IFC pelo cliente, pelo modelador e pelos softwares BIM que o implementam. Na verdade, trabalhando com a mesma estrutura de dados, os softwares conseguem realizar análises automáticas.

O IDS pode ser considerado o elemento central de um contrato para obter informações de maneira correta.

O atual fluxo de trabalho openBIM para gerenciamento dos Requisitos de troca sem utilizar IDS

O fluxo de trabalho atual inclui as seguintes etapas:

  • o cliente cria seus próprios requisitos de troca, entregando um documento a anexar ao EIR;
  • esse documento é usado como guia pelo grupo de fornecedores;
  • o modelador traduz os conceitos inseridos no software utilizado;
  • o modelo assim criado é enviado ao cliente, que valida seu conteúdo quanto aos requisitos de troca previstos.

Esse fluxo de trabalho fragmentado pode levar a erros e mal-entendidos e produzir, mesmo com grandes sacrifícios e perdas de tempo, resultados nem sempre certos e perfeitos.

Os benefícios trazidos por soluções tecnológicas baseadas no padrão Information Delivery Specification

A adoção do padrão IDS possibilita ter serviços e softwares que visam gerenciar a criação, o aprimoramento e a validação das especificações de informação previstas pelos EIR e BEP.

A imaem ilustra um diagrama mostrando o fluxo de trabalho openBIM com IFC e IDS

Fluxo de trabalho openBIM com IFC e IDS

Além disso, todos os envolvidos no processo podem trabalhar de forma ágil e segura, aproveitando uma estrutura de dados padronizada e bem descrita.

O cliente:

  • gera suas próprias especificações de informação de forma inteligível pelos operadores e pelas soluções de software;
  • enriquece seus requisitos de troca com toda informação útil para facilitar o entendimento de suas necessidades;
  • entrega um documento já vinculável ao modelo IFC.

O modelador:

  • cria automaticamente a estrutura de informação, já corretamente vinculada ao modelo IFC, pegando-a das especificações da obra;
  • é assistido na entrada de dados, assim evitando erros de forma ou vinculação.

O validador:

  • tem um retorno imediato sobre a qualidade dos resultados a entregar, graças à possibilidade de comparação automática entre os requisitos solicitados no IDS atribuído e os requisitos recebidos no IDS de entrega.

Todos os atores envolvidos nesse processo conseguem, então, trabalhar em um único modelo padronizável e focar no conteúdo do projeto, sem se preocuparem com a compreensão, a forma e a qualidade dos resultados esperados.

 

Descubra usBIM, o sistema de gerenciamento BIM com 10+1 aplicativos online e 10 GB de espaço gratuitos

 

usbim
usbim