Home » BIM e infraestrutura » Infraestrutura inteligente: um futuro inteligente para cidades

Infraestrutura inteligente

Infraestrutura inteligente: um futuro inteligente para cidades

As infraestruturas inteligentes são sistemas capazes de monitorar, analisar e agir com base nos dados coletados. Descubra quais tipos existem e quais são seus componentes essenciais!


O desenvolvimento tecnológico e a Internet das Coisas agora abrangem não apenas componentes individuais, mas cidades inteiras e infraestruturas. Assim, falamos de infraestrutura inteligente, ou seja, de sistemas tão tecnologicamente avançados que conseguem não apenas coletar e analisar dados, mas também tomar decisões com um grau de intervenção humana realmente insignificante.
Para apoiar essas infraestruturas inteligentes, existem softwares, aplicativos e uma plataforma BIM IoT com enormes potencialidades. Estes últimos, em particular, integram a tecnologia IoT no modelo BIM, transformando seu modelo em um sistema dinâmico que reage em tempo real aos eventos gerados pelos dispositivos IoT!

Vamos descobrir juntos quais são os componentes essenciais e os principais benefícios decorrentes das infraestruturas inteligentes!

O que são as infraestruturas inteligentes?

Agora ouvimos cada vez mais o termo inteligente associado à construção civil. Assim, falamos de edifícios inteligentes e de cidades inteligentes, mas nesse cenário como as infraestruturas se encaixam e como definimos então as infraestruturas inteligentes?
As infraestruturas inteligentes são um conjunto de edifícios, estradas, pontes, redes de distribuição de energia e recursos, equipados com tecnologia avançada que permitem a coleta e compartilhamento de dados em tempo real. Esses dados são usados para melhorar a eficiência, segurança e sustentabilidade das próprias infraestruturas e da cidade como um todo.

Em outras palavras, uma infraestrutura inteligente pode ser definida como um sistema capaz de monitorar, medir, analisar, comunicar e agir com base nos dados coletados por sensores específicos.

As infraestruturas inteligentes baseiam seu potencial, além de em sua própria tecnologia, nos seguintes quatro princípios:

  1. dados: a quantidade e qualidade de dados coletados representam o elemento fundamental de um sistema inteligente, um requisito básico para o seu funcionamento.
  2. Análise: uma vez adquiridos os dados, o próximo passo fundamental é a análise das informações coletadas. Essa análise influenciará o próximo processo decisório.
  3. Feedback: um ciclo de feedback de dados é fundamental para qualquer sistema inteligente. Com base no feedback sobre a coleta e análise de dados, ações são empreendidas para fortalecer o sistema inteligente.
  4. Adaptabilidade: este princípio é profundamente característico de sistemas inteligentes que se destacam por se adaptar não apenas às demandas atuais, mas também às necessidades futuras.

Quais são os componentes essenciais de uma infraestrutura inteligente?

Agora que conhecemos mais detalhadamente a definição de infraestrutura inteligente, vejamos juntos quais componentes são considerados essenciais dentro de um sistema assim definido.
Uma infraestrutura inteligente será composta por uma série de outros elementos, igualmente inteligentes, incluindo:

  • edifícios inteligentes: os edifícios inteligentes integram de maneira inteligente vários sistemas físicos, aumentando a eficiência energética, reduzindo desperdícios, garantindo uso otimizado de recursos e reduzindo os custos de manutenção.
  • Mobilidade inteligente: podemos descrever a mobilidade inteligente como uma abordagem que reduz a congestão e favorece opções de transporte mais verdes, mais econômicas e mais rápidas. A maioria dos sistemas de mobilidade inteligente utiliza big data coletados por vários modelos de mobilidade para otimizar as condições de tráfego.
  • Energia inteligente: a gestão inteligente de energia baseia-se no uso de sensores, medidores avançados, fontes de energia renovável, controles digitais e ferramentas analíticas para automatizar, monitorar e otimizar a distribuição e o uso de energia. Esses sistemas equilibram as necessidades das partes interessadas – consumidores, produtores e fornecedores – e otimizam o funcionamento e o uso da rede.
  • Água inteligente: um sistema inteligente de gestão de água utiliza tecnologia para ajudar a economizar água, reduzir custos e melhorar a confiabilidade e transparência da distribuição de água. Para uma melhor gestão da água, o sistema analisa dados de fluxo e pressão em tempo real para detectar anomalias (como vazamentos). Ao mesmo tempo, os usuários podem receber atualizações em tempo real sobre a situação da rede e outras informações relevantes que ajudam na economia de água e, portanto, nos custos.
  • Gerenciamento inteligente de resíduos: sistemas inteligentes de gerenciamento de resíduos conseguem classificar os resíduos por tipo diretamente na fonte e desenvolver métodos para otimizar a reciclagem e a recuperação. Os principais benefícios serão, portanto, o aumento da eficiência da coleta, a correta separação, reutilização e reciclagem dos resíduos.
gêmeo digital de um edifício: dados e informações

gêmeo digital de um edifício: dados e informações

Quantos tipos de infraestruturas inteligentes existem?

É possível classificar diferentes tipos de infraestrutura inteligente com base no nível de controle e automação mais ou menos avançado que as caracteriza. Assim, com base em quanto o ser humano intervém no processo decisório de uma infraestrutura inteligente, podemos distinguir:

  • infraestrutura semi-inteligente: esta infraestrutura coleta e registra dados sobre vários aspectos, como uso, comportamento estrutural e condições ambientais, mas não tem a capacidade de tomar decisões com base nas informações obtidas. Alguns exemplos dessa infraestrutura são mapas que registram a poluição de uma cidade ou o tráfego de veículos.
  • Infraestrutura inteligente: este tipo de infraestrutura é caracterizado por um maior grau de automação em comparação com a anterior e, portanto, não apenas coleta dados, mas os processa e apresenta de forma a apoiar o processo decisório que ainda está nas esferas de responsabilidade humana. Um exemplo dessa infraestrutura é a detecção de tráfego e notificação simultânea aos motoristas, aos quais cabe, no entanto, tomar decisões sobre isso.
  • Infraestrutura inteligente: esta infraestrutura coleta dados, processa informações e intervém de maneira completamente dinâmica, adaptando-se às condições mutáveis, e autônoma, sem a intervenção humana.
  • Redes inteligentes: este tipo de infraestrutura é, como o próprio termo sugere, uma rede inteligente capaz de incorporar eficientemente o comportamento e as ações de todos os usuários a ela conectados.
  • Edifícios inteligentes: edifícios inteligentes são edifícios caracterizados por uma tecnologia profundamente avançada que permite a automação de muitos processos internos, como aquecimento, ventilação, iluminação e segurança.
Edifício inteligente

Edifício inteligente

Quais são as vantagens das infraestruturas inteligentes?

É claro que as infraestruturas inteligentes, assim como todos os seus componentes inteligentes, têm enormes vantagens na gestão das cidades e nas necessidades de seus habitantes. Vamos então ver juntos quais são essas vantagens, ou pelo menos as principais:

  • sustentabilidade: as infraestruturas inteligentes e seus componentes garantem o uso sustentável de todos os recursos gerenciados. Isso ajuda, por exemplo, em uma gestão eficiente de resíduos, água ou energia.
  • Segurança: as tecnologias, sensores e todos os aspectos inteligentes das infraestruturas fortalecem a segurança dos usuários, evitando erros humanos, prevendo desastres naturais e planejando a resposta a eventos imprevistos.
  • Interação e responsabilização dos usuários: as infraestruturas inteligentes melhoram a experiência dos usuários e fornecem serviços que se adaptam às necessidades em constante mudança dos consumidores.
  • Confiabilidade: trata-se de reduzir os tempos de inatividade do sistema e os problemas imprevistos, permitindo que as organizações continuem a fornecer seus serviços com a máxima confiabilidade.
  • Otimização do processo decisório: os aspectos inteligentes das infraestruturas coletam dados e informações apoiando e fortalecendo o próximo processo decisório. Um exemplo desse benefício pode ser conhecer o estado do tráfego, transporte público e espaços de estacionamento para traçar rotas melhores tanto públicas quanto privadas.
  • Economia de tempo e custos: os sistemas inteligentes permitem que as organizações aproveitem ao máximo os recursos, otimizando assim tempo e custos. Um exemplo nesse sentido é o controle do consumo de eletricidade, que proporciona uma vantagem econômica e ao mesmo tempo ambiental.

Edifícios, infraestruturas e cidades inteiras inteligentes necessitam, é claro, de uma gestão igualmente inteligente para serem 100% eficientes. No entanto, aqui também não há com o que se preocupar porque as ferramentas disponíveis para os profissionais também seguem um caminho decididamente inteligente. Por isso, meu conselho é experimentar gratuitamente o software de monitoramento de saúde que permitirá preservar a integridade e a segurança de seus edifícios monitorando-os em tempo real e integrando BIM, GIS e sensores IoT.

 

 

usbim
usbim