Home » BIM e eficiência energética » Instalação Fotovoltaica com Dois Inversores

Instalação Fotovoltaica com Dois Inversores

Por que escolher dois inversores para uma instalação fotovoltaica? Quais são os benefícios para o usuário final? Descubra isso e muito mais no artigo

Com o avanço da tecnologia, os sistemas fotovoltaicos estão se tornando cada vez mais acessíveis e eficientes, oferecendo uma solução ecológica e econômica para a produção de energia elétrica.

Neste artigo, veremos por que usar dois inversores em uma instalação fotovoltaica, como escolher o número de inversores e quais são as vantagens e desvantagens de usar dois inversores.

Além disso, há um vídeo disponível que mostra como configurar um inversor com um software de projeto de instalações fotovoltaicas.

Inversor solar instalado no exterior -Instalação Fotovoltaica com Dois Inversores

Inversor solar instalado no exterior

Escolha do número de inversores

Ao adentrar no mundo da energia solar e planejar a implementação de um sistema fotovoltaico, nos deparamos com uma série de decisões cruciais. Uma dessas decisões diz respeito ao número de inversores a serem utilizados. Enquanto alguns podem optar pela simplicidade de um único inversor de alta potência, outros escolhem instalar dois ou mais inversores de menor potência. Mas por que considerar essa opção?

Uma das principais vantagens é a redundância e a continuidade do serviço. Imagine esta situação: o sistema fotovoltaico é o centro do fornecimento de energia do edifício, mas de repente o inversor falha. Com um único inversor, seu cliente ficaria parado até que seja reparado ou substituído. Mas com dois inversores, se um falhar, o outro pode continuar funcionando, garantindo que não haja interrupção no fornecimento de energia.

Além disso, a redundância oferece uma espécie de “rede de segurança” que pode tranquilizar muitos proprietários de sistemas fotovoltaicos. Se considerarmos também os aspectos práticos da manutenção, ter dois ou mais inversores simplifica significativamente as operações. A manutenção em um único inversor é mais fácil e menos dispendiosa do que em todo o sistema.

Mas voltando aos aspectos técnicos, há outro ponto a considerar: a otimização do desempenho. Com dois ou mais inversores, você tem a possibilidade de ajustar a potência do sistema de acordo com as condições de luz solar e as características dos painéis fotovoltaicos. Isso significa que é possível maximizar a energia produzida, otimizando o rendimento geral do sistema.

A flexibilidade de projeto também é uma vantagem a ser considerada. A capacidade de distribuir a potência entre vários inversores permite uma maior adaptabilidade às necessidades específicas do local de instalação. A energia pode ser dividida de acordo com as necessidades do edifício ou com a disposição dos painéis, melhorando assim a eficiência geral do sistema.

Coordenação e sincronização dos inversores

Imagine ter várias unidades inversoras dentro de um sistema solar, cada uma responsável por converter a energia solar em eletricidade. Para que tudo funcione sem problemas, é essencial que essas unidades trabalhem juntas em perfeita harmonia.

A coordenação e a sincronização não são apenas conceitos abstratos, mas exigem um planejamento detalhado e uma configuração precisa do sistema. Em primeiro lugar, é necessário garantir que os inversores utilizados sejam compatíveis entre si e com o sistema como um todo. Isso significa escolher inversores que não apenas atendam aos requisitos técnicos e de potência do sistema, mas que também sejam capazes de se comunicar eficazmente e sincronizar suas operações.

O projeto correto do sistema é fundamental para garantir que cada inversor seja configurado de forma otimizada e que todos os componentes do sistema trabalhem juntos de forma coerente. Isso inclui a escolha das configurações corretas de tensão e frequência, bem como a gestão das conexões elétricas para garantir uma distribuição uniforme de energia.

A coordenação e a sincronização não dizem respeito apenas à eficiência energética, mas também à segurança do sistema como um todo. Uma sincronização inadequada dos inversores pode levar a sobrecargas ou flutuações de tensão, colocando em risco a integridade do sistema e a segurança das pessoas.

Desempenho e confiabilidade dos inversores

O desempenho dos inversores está diretamente relacionado à quantidade de energia que podem converter em eletricidade utilizável. Inversores de alta qualidade, projetados com tecnologias avançadas, tendem a oferecer um desempenho superior, permitindo aproveitar ao máximo a energia solar disponível. Um desempenho otimizado se traduz em uma maior produção de energia e, consequentemente, em um retorno sobre o investimento mais elevado para o proprietário do sistema.

No entanto, o desempenho não é o único fator a ser considerado. A confiabilidade dos inversores é igualmente importante, especialmente considerando a vida útil prevista do sistema fotovoltaico ao longo do tempo. Os inversores devem ser capazes de resistir a condições ambientais adversas, como temperaturas extremas, umidade e variações de tensão, sem comprometer seu desempenho.

Além disso, a durabilidade dos inversores é um elemento-chave a ser avaliado. Os sistemas fotovoltaicos são projetados para operar por muitos anos, portanto, é essencial que os inversores tenham uma longa vida útil para garantir a rentabilidade a longo prazo do investimento. Investir em inversores confiáveis e duráveis pode reduzir os custos de manutenção e substituição ao longo do tempo, contribuindo para preservar o valor do sistema ao longo dos anos.

Inversor solar instalado no interior -Instalação Fotovoltaica com Dois Inversores

Inversores solares instalados no interior

Vantagens e desvantagens da instalação com dois inversores

Agora vamos resumir quais são todas as vantagens e desvantagens da adoção de dois inversores para uma instalação fotovoltaica.

Vantagens

  1. Maior flexibilidade na otimização do desempenho do sistema – usando dois inversores menores em vez de um único de maior potência, é possível adaptar o sistema de forma mais eficaz às diversas condições operacionais e ambientais. Isso permite maximizar a eficiência geral do sistema, ajustando a produção de energia às necessidades específicas do usuário final e às flutuações das condições atmosféricas. Além disso, com a capacidade de controlar separadamente cada inversor, é possível otimizar o funcionamento do sistema de forma mais precisa e personalizada, melhorando ainda mais o desempenho geral do sistema fotovoltaico;
  2. Maior resiliência do sistema – tendo dois inversores separados em vez de um, o sistema se torna menos vulnerável a falhas repentinas. Caso um dos inversores não funcione corretamente ou necessite de manutenção, o outro inversor pode continuar operando de forma independente, garantindo uma continuidade de serviço mais confiável. Essa redundância é fundamental especialmente em situações em que a disponibilidade constante de energia é crucial, como em contextos comerciais ou industriais;
  3. Melhoria na gestão dos custos operacionais e de manutenção – como os inversores menores tendem a ser menos dispendiosos para adquirir e instalar do que os de maior potência, essa configuração pode oferecer uma vantagem financeira inicial. Além disso, a manutenção e a substituição dos inversores podem ser geridas de forma mais eficiente, com menores interrupções e custos gerais ao longo do tempo.

Por fim, deve-se considerar a evolução do mercado e das tecnologias fotovoltaicas. Optar por dois inversores menores em vez de um único de maior potência pode oferecer uma maior flexibilidade e adaptabilidade às futuras inovações e desenvolvimentos do setor. Dessa forma, é possível proteger os investimentos a longo prazo, mantendo o sistema fotovoltaico na vanguarda mesmo diante de mudanças tecnológicas e regulatórias.

Desvantagens

Embora a adoção de dois inversores para uma instalação fotovoltaica possa oferecer várias vantagens, é importante considerar também as desvantagens associadas a essa configuração. Aqui estão algumas das principais desvantagens a serem consideradas:

  1. Custos adicionais – o uso de dois inversores, em vez de um único, geralmente acarreta custos adicionais relacionados à compra, instalação e implementação do sistema.
  2. Complexidade da instalação – conectar dois inversores requer um projeto e uma instalação mais complexos do que um único inversor. Isso pode exigir tempo e recursos por parte do pessoal qualificado, potencialmente aumentando os custos e os prazos de conclusão do projeto.
  3. Espaço adicional – a instalação de dois inversores pode exigir mais espaço do que um único inversor de maior potência. Isso pode ser um problema em caso de restrições de espaço no telhado ou na área onde o sistema fotovoltaico é posicionado.
  4. Complexidade da manutenção – gerenciar dois inversores em vez de um único pode envolver uma maior complexidade na manutenção e resolução de problemas. É necessário monitorar e manter separadamente cada inversor, o que pode exigir mais tempo e recursos para garantir o funcionamento ideal do sistema ao longo do tempo.
  5. Possibilidade de disparidades de desempenho – mesmo se forem utilizados inversores idênticos, podem ocorrer pequenas disparidades de desempenho entre os dois dispositivos. Isso pode ser devido a variações nas condições operacionais, no envelhecimento ou em outros fatores, o que pode reduzir ligeiramente a eficiência geral do sistema.

Como configurar o inversor

Neste vídeo, você pode ver como configurar um inversor com um software de projeto de instalações fotovoltaicas.

Solarius-PV
Solarius-PV