Home » BIM e eficiência energética » Isolamento térmico de parede interna: vantagens e desvantagens

Isolamento térmico parede interna

Isolamento térmico de parede interna: vantagens e desvantagens

O isolamento térmico de parede interna envolve a adição de uma camada de material isolante nas partes internas do edifício. Tipos e benefícios


Nos últimos anos, a atenção à eficiência energética dos edifícios aumentou significativamente, levando profissionais da construção civil como empreiteiros, arquitetos e engenheiros a buscar soluções inovadoras para melhorar o isolamento térmico dos edifícios.

Atualmente, quando se fala em isolamento térmico e, especificamente, em revestimento térmico, imediatamente se pensa no externo, um método certamente eficaz, especialmente quando feito de forma contínua para cobrir todas as superfícies dispersoras.

Mas quando, por restrições urbanísticas, condominiais ou técnicas, não é possível, como isolar um apartamento ou um edifício?

Nesses casos, o isolamento térmico de parede interna representa uma solução eficaz e conveniente para reduzir as perdas de calor e melhorar o conforto habitacional.

Com este artigo, entenderemos melhor do que se trata e quais são as vantagens e problemas associados ao seu uso.

O que é isolamento térmico interno para parede interna?

Aplicar um isolamento térmico interno consiste em adicionar uma camada de material isolante, de espessura variável, nas superfícies verticais, horizontais ou oblíquas internas de um edifício, com o objetivo de melhorar seu desempenho térmico, reduzir as perdas e, através de um menor uso de sistemas, reduzir os custos da conta.

Geralmente, opta-se por esta solução técnica quando se encontra em situações onde:

  • não é possível intervir nas superfícies externas do edifício, preparando lá uma camada adequada de isolamento térmico. Isso pode ser devido à presença de restrições arquitetônicas e paisagísticas, para fachadas de grande valor, restrições urbanísticas se estiver em um centro histórico ou restrições condominiais se não houver acordo com os outros proprietários para a requalificação de todos os andares do edifício;
  • o edifício objeto de intervenção é adjacente a outras construções ou tem espaços externos reduzidos que não permitem o desenvolvimento fácil de trabalhos externos e a instalação de andaimes;
  • as paredes externas são ventiladas ou têm revestimentos cuja remoção é difícil.

Naturalmente, a realização do isolamento interno é um trabalho muito delicado que deve ser realizado com critério, usando técnicas e materiais adequados, para manter condições ideais de conforto térmico dentro dos ambientes.

Tipos de isolamento térmico interno

Quanto ao isolamento térmico interno, é possível identificar três tipos:

  1. a seco;
  2. com painéis;
  3. em espuma;

1. Isolamento interno a seco

O isolamento interno a seco é realizado pela aproximação de uma parede seca diretamente na superfície interna. Uma das soluções mais comumente adotadas envolve a construção de estruturas em metal (com perfis típicos em U e C) entre as quais cavidades onde é possível inserir qualquer tipo de isolante.

A parede contrária assim construída é geralmente completada com uma camada impermeável e depois com painéis de gesso que acabam e nivelam a estrutura.

Este tipo de isolamento é pouco recomendado para espaços internos estreitos, pois a espessura da estrutura, que pode chegar a mais de 10cm, resulta em uma diminuição considerável do volume útil do edifício.

2. Isolamento interno com painéis

O isolamento interno com painéis envolve a colagem de painéis compostos por materiais de baixa condutividade diretamente nas paredes ou lajes a serem isoladas, naturalmente do lado interno. Muitas vezes, nem é necessário cobrir esses painéis com gesso, pois podem ser diretamente fixados e depois acabados com rede, argamassa, reboco e pintura.

Para realizar o isolamento com painéis, geralmente são preferidos materiais rígidos.

3. Isolamento interno em espuma

O isolamento interno em espuma é geralmente realizado quando se trata de um imóvel com alvenaria externa de câmara vazia. Especialmente quando o isolamento é insuflado dentro das paredes, é chamado de isolamento em câmara vazia.

A parede de câmara vazia, comumente também chamada de “caixa” ou “poço”, é uma estrutura que possui uma cavidade de ar entre o revestimento externo e o interno. A cavidade de ar não ventilada age como uma camada isolante e também tem a dupla função de impedir a passagem de umidade para dentro do prédio.

A inserção do isolamento em espuma por insuflação muitas vezes é realizada fazendo furos na parede, portanto, é parcialmente invasiva. É importante, entre outras coisas, garantir a inserção completa da espuma na cavidade para garantir a eficácia do isolamento.

Tipologias de isolamento térmico interno

Tipologias de isolamento térmico interno

Quais são os materiais mais utilizados para o isolamento térmico para parede interna?

Para o isolamento térmico interno, é possível utilizar uma infinidade de materiais isolantes, sejam naturais, minerais ou sintéticos. Geralmente, a escolha é influenciada pelo tipo de intervenção a ser realizada:

  • se for feito um isolamento a seco, geralmente é usado lã de rocha ou de vidro, que afasta mofo e umidade e também isola acusticamente;
  • se a escolha for por isolamento com painéis, é ótimo usar painéis de cortiça, material natural, sustentável e renovável que é excelente anti-mofo e anti-condensação, pois é altamente permeável. Entre os materiais mais utilizados estão também o poliestireno e o poliuretano expandido;
  • se for realizado um isolamento em espuma, geralmente são usados materiais inicialmente líquidos como resina de poliuretano, resina ureica ou formo-fenólica.

Prós e contras do isolamento térmico interno para parede interna

A inserção do revestimento térmico dentro da habitação apresenta, obviamente, vantagens e desvantagens.

As principais vantagens que podemos citar são:

  • a redução do consumo de energia com consequente economia na conta;
  • um melhor conforto habitacional devido a uma excelente isolamento térmico;
  • melhoria na classe energética da habitação;
  • uma valorização do imóvel no mercado quando passa de uma classe energética inferior para uma mais alta.

É importante destacar que a instalação de um isolamento interno é por si só uma intervenção simples de realizar, pois não requer a solicitação de títulos habilitantes, o início de procedimentos de construção e a espera de autorizações, além de apresentar custos totais significativamente inferiores à realização de um isolamento externo e tem a vantagem de poder ser realizado em ambientes individuais de um edifício.

O isolamento interno também atua na isolamento acústico, garantindo maior conforto habitacional.

Por outro lado, o isolamento térmico interno é uma intervenção delicada, em geral é menos eficiente que o isolamento externo e é uma solução menos eficaz na gestão de pontes térmicas, ou seja, aqueles pontos de descontinuidade onde ocorrem desvios do fluxo térmico, além de reduzir o espaço útil e, portanto, habitável.

É importante também considerar que alguns tipos de isolamento interno podem até promover a formação de condensação intersticial entre a camada isolante e a parede existente: a instalação de alguns tipos de painéis ou a inserção do revestimento em ambientes muito úmidos como banheiros, de fato, leva à formação de mofo.

Portanto, percebe-se como o correto projeto do isolamento térmico de um edifício é uma fase crucial para garantir resultados ótimos em termos de eficiência energética e conforto habitacional. Antes de prosseguir com a instalação do isolamento térmico interno, é fundamental conduzir uma análise detalhada do projeto de construção.

Para garantir um isolamento interno para parede interna correto, é essencial analisar cuidadosamente a estrutura do edifício para identificar a condição de instalação mais correta e o tipo de material a ser utilizado que possa constituir a melhor solução de projeto. É necessário levar em consideração uma variedade de parâmetros, sendo o mais importante a condutividade térmica do material isolante.

Dessa forma, a escolha do tipo de isolamento é baseada em análises e estudos conscientes, em simulações confiáveis e em projetos térmicos ótimos que evitarão problemas futuros nos edifícios.

 

termus-bridge
termus-bridge