Home » BIM e Arquitetura » Jewel Changi: o aeroporto de Singapura projetado com BIM

aeroporto-singapura-cover

Jewel Changi: o aeroporto de Singapura projetado com BIM

Graças ao BIM, continua o processo de renovação do aeroporto de Singapura: conheça o Jewel Changi e sua estufa com a maior cachoeira artificial do mundo

O aeroporto internacional de Singapura é constantemente protagonista de um processo de renovação e expansão, pois representa o coração da próspera cidade-estado no sul da Malásia, uma das capitais mundiais das finanças. O recentemente inaugurado Jewel Changi (joia do aeroporto) é o mais inovador de uma série de projetos futuristas que interessaram o aeroporto: um amplo hall, ligando os vários terminais, caracterizado por um grande jardim tropical com telhado de vidro em forma de anel e, no centro, uma das maiores cachoeiras artificiais do mundo.

O projeto, a realização e o gerenciamento do edifício (em particular da complexa estrutura do telhado) foram possíveis graças ao uso de processos baseados em BIM. De fato, o BIM permitiu ter o controle absoluto de todo o processo de construção do novo edifício, mantendo o aeroporto em funcionamento durante as obras!

A este respeito, basta pensar que as ferramentas BIM permitiram simular a interferência visual entre os grandes guindastes utilizados para montar o telhado e a torre de controle do aeroporto.

Aeroporto internacional Changi: a cachoeira imersa no jardim tropical

O edifício do Jewel Changi

O edifício do Jewel Changi está dividido em dois blocos principais:

  1. uma placa de base com planta retangular, distribuída em 3 níveis, onde ficam estacionamentos, cinema, serviços e lojas;
  2. o edifício principal, de planta oval e em forma de anel, acolhendo lojas distribuídas em 4 níveis e uma grande estufa com terraço coberta por uma cúpula de vidro.
aeroporto internacional Changi de Singapura

Aeroporto Changi de Singapura: planimetria e corte

É, sem dúvida, esta última área que caracteriza e torna todo o aeroporto espetacular:

  • o jardim tropical de cinco níveis possui áreas muito diferentes (um labirinto de sebes, um jardim floral, áreas de lazer, áreas para escalar com redes);
  • a grande cúpula, feita de uma malha de vidro e aço, garante luz à vegetação;
  • todo o edifício é atravessado por uma ponte/túnel em que circula o ônibus que liga os vários terminais;
  • o centro do edifício abriga uma grande cachoeira artificial que, começando da cúpula de vidro, flui pelos sete níveis até às fundações do edifício.
a imagem se refere ao aeroporto internacional Changi de Singapura

Aeroporto internacional Changi de Singapura: o labirinto de sebes

A equipe de projetistas, liderada pelo estúdio de arquitetura e design Safdie Architects, contou com a participação dos engenheiros de estruturas de BuroHappold e de um grupo de importantes colaboradores internacionais.

Moshe Safdie, o fundador do estúdio, é um arquiteto, designer e planejador urbano israelense-canadense de renome internacional, conhecido pelo projeto do resort Marina Bay Sands em Singapura.

A imagem se refere ao aeroporto internacional Changi de Singapura

Aeroporto internacional Changi de Singapura: o jardim de flores

O telhado reticular de vidro e aço do Jewel Changi

A peculiaridade do aeroporto de Singapura é o telhado de vidro do Jewel Changi, uma verdadeira maravilha da engenharia.

Constituído por uma estrutura gridshell (estrutura reticular), única em seu tipo, o Jewel Changi possui forma toroidal de 200 metros de comprimento e 150 metros de largura, com uma abertura central de 12 metros para a cachoeira interna, chamada de Rain Vortex.

No perímetro interno, o telhado apoia em 14 pilares que, juntamente com a viga circular da cachoeira, permitem liberar toda a grande estufa/jardim de outras possíveis estruturas de apoio.

A imagem se refere ao aeroporto internacional Changi de Singapura

A estrutura gridshell da cobertura

Pesando 6.000 toneladas, a gridshell do Jewel Changi inclui mais de 9.000 painéis de vidro de alto desempenho térmico e 14.000 seções de aço.

A cachoeira central, chamada de Rain Vortex, possui 40 metros de altura e é a maior do mundo, pois pode canalizar 10.000 litros de água por minuto. Um sistema de coleta e reciclagem de água da chuva permite utilizar a água primeiro para a cachoeira e depois para irrigar o jardim.

a imagem se refere ao aeroporto internacional Changi de Singapura

A cachoeira Rain Vortex e a ponte de ônibus para os terminais

O projeto BIM do aeroporto de Singapura

O Building Information Modeling (BIM) foi uma ferramenta indispensável nas etapas de concepção/projeto, desenvolvimento do design e construção do Jewel Changi.

A forma muito complexa da cúpula de vidro foi concebida usando o BIM desde o início. Todo o processo de desenvolvimento do projeto, bem como seu subsequente processo de revisão, também foi baseado em BIM.

Além disso, a metodologia BIM foi usada para definir o programa de manutenção e planejar o impacto do canteiro de obras no tráfego do aeroporto, que ficou aberto durante as obras.

Também foi possível simular o impacto da vista dos guindastes de construção da torre de controle: o BIM garantiu que eles não obscurecessem a visibilidade da torre nas pistas do aeroporto.

Desde o início do projeto, foi providenciado o plano de execução BIM (BEP – BIM Execution Plan) definindo o roteiro para o uso da metodologia em diferentes etapas. A conformidade do construído com o BEP foi monitorada em intervalos regulares para verificar e orientar os progressos de acordo com o cronograma.

O BIM representou uma ferramenta fundamental para este projeto, pois a construção do Jewel ocorreu no contexto complexo de um aeroporto em funcionamento. Além disso, o Jewel está fisicamente conectado ao Terminal 1, que será expandido ainda mais no futuro como parte do desenvolvimento geral do aeroporto.

edificius
edificius