Levantamento arquitetônico: o que é

O levantamento arquitetônico é o processo que ajuda a compreender e documentar graficamente as características de um edifício. Descubra mais!

Ao intervir no patrimonio imobiliário existente, o primeiro passo a dar antes de prosseguir com a fase de projeto é realizar o levantamento arquitetônico do artefato a ser recuperado, restaurado ou reconstruído.

Este importante processo não só permite criar uma representação gráfica precisa da obra em questão, como também ajuda a avaliar as suas características qualitativas e quantitativas e a fazer as escolhas de projeto mais adequadas ao contexto de intervenção.

Se você quiser saber mais detalhes sobre este tema, continue lendo o artigo e te ajudaremos a descobrir o significado e a importância do levantamento arquitetônico, as técnicas utilizadas (desde as tradicionais até as mais inovadoras integradas com BIM) e os métodos operacionais para implementar corretamente um processo de levantamento.

O que é um levantamento arquitetônico

O termo levantamento arquitetônico (Architectural Survey) refere-se ao complexo de investigações e operações destinadas a identificar as qualidades e características de um edifício e devolvê-las em forma gráfica para documentar:

  • o estado de conservação da obra;
  • quadros de fissuras;
  • os materiais utilizados na construção;
  • os sistemas construtivos adotados;
  • as peças feitas em momentos diferentes;
  • as transformações do original.

O levantamento arquitetônico, portanto, é um processo que deve conduzir a um conhecimento aprofundado da obra em causa, evidenciando os seus aspectos significativos não só do ponto de vista geométrico, mas também do ponto de vista morfológico, tecnológico e estrutural, com particular atenção às técnicas e materiais de construção utilizados, às condições de degradação e à relação com o contexto urbano.

Porque os levantamentos são importantes na arquitetura

Graças a essa função cognitiva, os levantamentos arquitetônicos desempenham um papel de fundamental importância nos projetos que pretendem intervir no edifício construído e constituem a base de informação necessária para suportar as fases de projeto subsequentes.

Uma pesquisa realizada corretamente permite que você represente graficamente um trabalho do qual você não possui documentação adequada, ou do qual você possui informações imprecisas ou desatualizadas devido a alterações ou modificações posteriores ocorridas ao longo do tempo.

Através do levantamento arquitetônico e do conhecimento detalhado do edifício, o projetista será capaz de:

  • confiar em um ponto de partida sólido para desenvolver a ideia do projeto: o levantamento é usado principalmente no projeto de intervenções de restauração e constitui uma base confiável para começar a conceituação do projeto e o desenvolvimento de todas as operações subsequentes.
  • Fornecer entradas mais precisas: a documentação gráfica do levantamento constitui um suporte dimensional indispensável para todas as pesquisas preliminares (investigações estruturais, quadros de fissuras, traçado geométrico original, verticalidade e horizontalidade das estruturas, etc.).
  • Evitar erros e omissões: o levantamento arquitetônico proporciona um quadro exaustivo e detalhado do corpo do edifício e das suas características dimensionais, identificando e registando da forma mais adequada as situações particulares de construção e as características específicas de instabilidade estrutural ou degradação dos materiais.

Quais são os tipos de levantamento arquitetônico

Dependendo das ferramentas e procedimentos utilizados no levantamento arquitetônico, é possível distinguir as seguintes metodologias de operação:

  • pesquisa direta ou longitudinal: é realizado pelo operador com o auxílio de instrumentos simples de medição ou alinhamento (trenas, varas métricas, fio de prumo, níveis de bolha, etc.) e envolve operações de medição em contato direto com o produto a ser documentado. As medidas tomadas são anotadas em uma simples folha de papel, na qual há também um esboço aproximado do edifício — definido eidotipoque, mais tarde, pode ser transformado em uma representação mais precisa. Na maioria dos casos, o levantamento direto é usado como base para integração com outros procedimentos.
  • Pesquisa indireta ou instrumental: é realizado com o auxílio de ferramentas topográficas (como estações totais, níveis, medidores de distância, etc.) e envolve uma série de cálculos mais ou menos complexos para obter uma tradução gráfica dos objetos detectados dentro de um sistema de coordenadas espaço. Com base na colimação visual de pontos, o levantamento instrumental é utilizado para realizar levantamentos de precisão, mesmo no caso de áreas muito grandes ou pontos inacessíveis.
  • Levantamento fotogramétrico: é realizado com câmeras e instrumentos digitais, chamados restituidores fotogramétricos, que permitem extrair informações dos quadros projetados para construir diretamente um modelo geométrico do objeto.

Além das técnicas descritas, há também a recente inovação tecnológica dos levantamentos realizados com scanners a laser 3D.
O scanner a laser é um instrumento que permite adquirir digitalmente a forma e a posição de um objeto, descrevendo-o através de uma nuvem de pontos, para cada um dos quais a posição espacial é identificada de acordo com um sistema de coordenadas x, y e z, centrado na posição do scanner.
O levantamento com scanner a laser permite documentar o estado real de uma obra de qualquer complexidade e tamanho, de forma completa, rápida e extremamente precisa.

 

Levantamento arquitetônico com scanner a laser

Levantamento arquitetônico com scanner a laser

Naturalmente, a escolha do método de levantamento mais adequado para trabalhar varia de acordo com:

  • as características dimensionais e qualitativas do objeto a ser detectado;
  • o objetivo para o qual o levantamento é realizado;
  • acessibilidade dos pontos.

No entanto, deve-se considerar que técnicas digitais avançadas, como fotogrametria e escaneamento a laser 3D, permitem a implementação de fluxos de trabalho “Scan To BIM”. O termo é utilizado para indicar um processo que visa criar o modelo BIM de uma edificação existente diretamente a partir de uma nuvem de pontos, obtida por meio de levantamento digital 3D e sucessivamente importada em um software BIM específico para modelagem digital.

Os processos Scan To BIM são utilizados, por exemplo, para intervir em edifícios de interesse histórico, planejar intervenções de recuperação, requalificação ou reestruturação, verificar o andamento dos canteiros de obras, digitalizar obras existentes para o Facility Management, etc.

Levantamento arquitetônico -Scan to BIM: de nuvem de pontos para o modelo BIM

Scan To BIM: de nuvem de pontos para o modelo BIM

Se você lida com processos BIM voltados para a recuperação do patrimonio imobiliário existente e deseja experimentar as vantagens de um fluxo de trabalho Scan To BIM, pode contar com um software BIM para nuvens de pontos rápido e poderoso que, com simples passos, ajuda a transformar as nuvens de pontos (até de grande porte) no modelo BIM correspondente, reduzindo significativamente os tempos de modelagem.

Como planejar um levantamento arquitetônico

Para realizar corretamente um levantamento arquitetônico é necessário planejar criteriosamente as ações a serem realizadas e elaborar um real projeto de pesquisa que descreve em detalhes o que detectar e como detectá-lo (especificando, por exemplo, a escolha do equipamento, pontos de referência, distâncias e direções de aderência, etc.).

Através de uma primeira inspeção será possível avaliar à primeira vista a forma e volumetria do edifício, a distribuição interna, as características arquitetônicas e decorativas e a relação com o contexto. Já nesta fase é aconselhável produzir uma primeira documentação fotográfica e eidotipos, ou seja, esboços simplificados do artefato a serem utilizados como base para tomar nota das informações que podem ser vistas.

Paralelamente às operações preliminares realizadas no campo, será possível desenvolver uma pesquisa na documentação histórica e arquivística, a fim de encontrar informações úteis sobre a concepção do edifício e sobre as transformações que o afetaram ao longo dos anos. Os resultados obtidos no levantamento histórico podem ser cruzados com as informações coletadas diretamente na edificação durante as vistorias posteriores.

Com base nas informações adquiridas, passamos ao desenvolvimento do projeto de pesquisa, especificando o tipo de pesquisa a ser obtida em relação à finalidade e uso posterior, o nível de detalhamento necessário, o tipo de informação a ser relatada, etc.

Através de uma segunda série de inspeções, será então possível realizar as próprias operações de levantamento que, dependendo do caso, podem consistir em aquisições fotográficas, medições diretas, levantamentos com scanners a laser, etc.

A última fase do processo de levantamento envolve o processamento dos dados adquiridos (como, por exemplo, a nuvem de pontos obtida a partir do escaneamento a laser) por meio do uso de softwares e ferramentas capazes de retornar o modelo geométrico e a representação gráfica do artefato detectado.

 

usbim-pointcloud
usbim-pointcloud