Home » IFC e openBIM » Longevidade IFC e future-proofing: pilares para um futuro sustentável na construção civil

Longevidade IFC

Longevidade IFC e future-proofing: pilares para um futuro sustentável na construção civil

Veja como o IFC está revolucionando o setor AECO, garantindo interoperabilidade e longevidade dos dados. Descubra os desafios e soluções para um futuro construtivo mais eficiente.

O setor AECO não é estático; está em constante evolução. Novas tecnologias, materiais e métodos de construção surgem regularmente. O IFC desempenha um papel crucial em tornar o future-proofing do setor acolhendo essas mudanças. Sua flexibilidade permite que ele se adapte às necessidades e requisitos em evolução, garantindo que permaneça uma ferramenta relevante e indispensável nos anos futuros.

O que é o IFC? Definição e objetivo das Industry Foundation Classes

IFC é um formato padrão comum para troca de dados no setor da construção. Este modelo de dados facilita a colaboração e comunicação eficaz entre os vários intervenientes de um projeto, garantindo a proteção e longevidade dos dados em uma indústria caracterizada pelo uso de diferentes softwares e produtos.

Longevidade e proteção de dados com IFC: como garante o acesso aos dados ao longo do tempo

Em um setor em evolução, a capacidade do IFC de garantir o acesso e a proteção dos dados ao longo do tempo é um fator de estabilidade e segurança. O IFC não apenas garante que as informações vitais permaneçam acessíveis e inalteradas, mas também ajuda a construir edifícios “future-proof”, permitindo a compatibilidade de arquivos e dados através de diferentes versões de software.

O desafio da mudança tecnológica

Novas versões de software são lançadas regularmente, cada uma prometendo melhorias e novas funcionalidades. O risco associado a esse progresso constante é a obsolescência dos dados. Como um projeto iniciado há cinco anos pode permanecer relevante e acessível hoje? É aqui que o IFC entra em ação.

IFC: guardião do tempo e da informação

O IFC atua como guardião do tempo e da informação. Este formato de arquivo, desenvolvido pelo trabalho realizado pela BuildingSMART International (bSI), é neutro e aberto, projetado para ser independente do software utilizado: isso significa que os dados armazenados em um formato IFC podem ser abertos, lidos e manipulados por qualquer aplicativo que suporte o padrão. Não apenas isso.

Também através de diferentes versões do mesmo software. Isso garante que, mesmo que o software original não esteja mais disponível ou tenha mudado radicalmente, os dados não sejam perdidos, mas permaneçam acessíveis e utilizáveis. Em outras palavras, compatibilidade através de diferentes versões de software: um arquivo criado com uma versão anterior de um software pode ser aberto com uma versão mais recente sem perder informações críticas. Essa compatibilidade cruzada garante uma transição suave de dados através das várias fases de um projeto, bem como sua longevidade.

Longevidade IFC

Future-proofing de projetos

O conceito de “future-proofing” é mais do que uma simples precaução no mundo da construção moderna; é uma visão estratégica. Representa a adoção de medidas proativas para garantir que os dados e arquivos de um projeto não sejam apenas uma instantânea temporária, mas uma herança duradoura. Vejamos como o “future-proofing” se manifesta através do uso do IFC e seu impacto significativo na longevidade e utilidade dos projetos ao longo do tempo.

Uma visão além do presente, um investimento no futuro

Planejar para o futuro significa superar as necessidades imediatas e prever e se preparar para mudanças e evoluções que ainda não conhecemos. No contexto da construção, significa garantir que os dados gerados hoje possam sobreviver às mudanças tecnológicas de amanhã.

O IFC está no centro dessa visão, agindo como uma ponte entre o presente e o futuro. Este padrão é projetado para evoluir junto com a tecnologia, mantendo ao mesmo tempo compatibilidade retroativa. Na prática, isso significa que os dados criados hoje não apenas serão acessíveis, mas também utilizáveis nas décadas futuras, independentemente das evoluções do software e das plataformas.

Adotar o IFC como padrão para troca e armazenamento de dados garante não apenas a longevidade dos dados, mas também promove um ambiente colaborativo onde a informação é livremente acessível e compartilhável entre diferentes partes interessadas, independentemente de suas escolhas de software. É um passo em direção a uma indústria mais integrada e sustentável.

As equipes de projeto podem ter a certeza de que, ao adotar o IFC, seu trabalho não será em vão. Mesmo diante de mudanças radicais na tecnologia ou nos fluxos de trabalho, os dados permanecem seguros e acessíveis. Essa confiança liberta os profissionais do peso da incerteza tecnológica, permitindo que se concentrem na criatividade, inovação e qualidade de seu trabalho.

Benefícios do IFC: o valor na interoperabilidade e comunicação

O principal benefício oferecido pelo formato IFC, como mencionado, é a capacidade de permitir colaboração livre entre as várias partes envolvidas no processo de construção, permitindo-lhes trocar informações através de um formato padrão. Isso resulta em redução de tempos, integridade das informações, maior qualidade, redução de erros e, em geral, redução de custos, graças a dados e informações consistentes durante o projeto, construção e manutenção.

Tudo isso, garantindo a livre escolha de software no trabalho de projeto para cada parte interessada envolvida.

A interoperabilidade e integração aplicativa também são fatores-chave para a realização de sistemas de informação abertos e interconectados, necessários para alcançar os objetivos de digitalização do setor da construção.

O futuro do IFC no BIM e na indústria da construção

O desenvolvimento do formato IFC continua inabalável, e já está em andamento o desenvolvimento da nova versão 5, projetada para integrar novas concepções como edifícios inteligentes, cidades inteligentes e gêmeos digitais. O objetivo principal desse desenvolvimento é a modernização e padronização, visando apoiar os novos paradigmas operacionais e progressões no setor da construção, mantendo ao mesmo tempo a integridade semântica de sua iteração anterior. Longevidade dos dados IFC e future-proofing.

Hoje, a estrutura do IFC está focada na definição de um padrão para troca de dados baseado em arquivo; as novas metodologias operacionais exigem que o IFC se adapte a novos requisitos para atender às necessidades de CDEs, gêmeos digitais, IoT e cidades inteligentes. Esse pressuposto antecipa uma transformação significativa em relação às abordagens tradicionais baseadas em arquivo no campo da modelagem.

 

usbim
usbim