Home » BIM e Projeto de construção » O que é LEED no BIM?

O que é LEED no BIM?

O que é a certificação LEED no BIM e qual é sua utilidade no mundo da construção para a eficiência de edifícios existentes ou novos

A sustentabilidade dos edifícios é um tema cada vez mais atual que desperta interesse no mundo da construção. Graças ao BIM, os softwares de análise energética e o sistema de certificação LEED torna esse aspecto muito mais gerenciável.

Neste artigo vamos explicar o que é LEED, para que serve, quais são suas vantagens e como se integra ao BIM.

Vamos ver em detalhes todos os aspectos que caracterizam esses tópicos.

A imagem ilustra o logo do LEED e Sustentabilidade no BIM

LEED e Sustentabilidade no BIM

O que significa LEED na construção?

A sigla LEED, que significa Leadership in Energy and Environmental Design (Liderança em Energia e Design Ambiental), é um programa de certificação reconhecido internacionalmente.

Citando o que está escrito no site oficial da US Green Building Council Itália (USGBC), podemos dizer:

O LEED é um programa de certificação para construção verde de terceiros e o padrão globalmente reconhecido para o projeto, construção e gerenciamento de edifícios e cidades verdes de alto desempenho. A abordagem do sistema de classificação foca na eficiência e liderança para entregar o triplo retorno de “pessoas, planeta e ganhos”.

Este sistema pode ser aplicado a qualquer tipo de edifício para todas as fases operacionais ao longo de toda sua vida útil. Também permite promover a abordagem da sustentabilidade tomando como referência os seguintes aspectos:

  • localização e planejamento;
  • Desenvolvimento sustentável do local.
  • Economia de água.
  • Eficiência energética.
  • Seleção de materiais.
  • Redução de resíduos.
  • Qualidade ambiental interna.
  • Estratégias inovadoras.
  • Questões regionais prioritárias.

O que é o processo LEED?

Seguindo o que foi dito anteriormente, o LEED é um processo de avaliação que leva em consideração diversos parâmetros internos e externos da própria edificação. Baseia-se na atribuição de uma pontuação, com um máximo de 110 pontos que lhe permite atingir determinados objetivos.

Os pontos são “acumulados” em relação a diferentes critérios de avaliação, agrupados em 8 macro categorias, que têm pesos diferentes conforme o tipo.

A certificação é emitida pela Green Building Certification Institute (GBCI) que verifica a conformidade com os requisitos LEED. Isso acontece após o envio:

  • da candidatura do projeto, feita pelo técnico;
  • do pedido de construção, realizado pela empresa.

Ao final da fase de solicitação, ocorre a verificação e, por fim, a certificação por meio do serviço web LEED on-line da GBCI.

Quantos critérios existem para avaliar o LEED?

Os critérios de avaliação para certificação LEED são baseadas na atribuição de alguns créditos, com um máximo de 110, em relação a macro categorias específicas. Podendo haver diferenças dependendo do país, mas, em geral, existem 8 macro categorias.

A avaliação ocorre seguindo um processo articulado e complexo, focado em diferentes áreas do design.

Cada macro categoria possui subcategorias com elementos obrigatórios e outros opcionais e afeta de forma diferente o resultado final, conforme mostrado abaixo:

  • sustentabilidade do site (1 pré-requisito, 10 pontos no máximo): todos os elementos relacionados tanto com o local onde se encontra o edifício como com a relação que o edifício tem com o contexto.
  • Gestão eficiente da água (3 pré-requisitos, 11 pontos no máximo): dados relativos ao uso, gerenciamento e descarte de água em edifícios.
  • Energia e meio ambiente (4 pré-requisitos, 33 pontos no máximo): energia obtida de fontes renováveis ou alternativas, verificando o desempenho energético do edifício.
  • Materiais e recursos (2 pré-requisitos, 13 pontos no máximo): gerenciamento de materiais que vão desde a escolha da instalação até o descarte dos materiais descartados, avaliando o impacto ambiental do transporte.
  • Qualidade do ar interior (2 pré-requisitos, 16 pontos no máximo): dados relativos à salubridade, segurança e conforto de ambientes internos com atenção à energia consumida, a troca e contaminação do ar.
  • Local e transporte (máximo de 16 pontos): redução de danos ambientais devido às operações de desenvolvimento de terras, incentivando viagens eco-sustentáveis (caminhadas, bicicletas, etc.).
  • Inovação (6 pontos): escolhas de projeto que apresentem aspectos inovadores e aplicação de técnicas de projeto que melhorem a sustentabilidade na construção de edifícios.
  • Prioridades regionais (4 pontos): projeto que leva em conta os aspectos característicos do local onde a construção do edifício está prevista.

Além das 8 categorias, que permitem que você aproveite ao máximo 109 pontos, há também o processo integrativo que dá a possibilidade de obter 1 ponto adicional.

A imagem mostra o criterio de avaliacao do LEED e 1650

O criterio de avaliação do LEED e 1650

Quais são os 5 sistemas de classificação LEED?

A certificação LEED inclui 5 sistemas de classificação que agrupam todos os tipos de edifícios, em particular:

  • LEED BD + C (Building Design and Construction)Projeto e construção de edifícios.
  • LEED ID + C (Interior Design and Construction) — Design de Interiores e Construção.
  • LEED O + M (Building Operations and Maintenance) — Operações de construção e manutenção.
  • LEED ND (Neighborhood Development) — Desenvolvimento do bairro.
  • LEED para Cities and CommunitiesCidade e comunidade.

Projeto e Construção de Edifícios (BD + C)

Refere-se a todas as intervenções de construção nova ou grande reforma em edifícios existentes ou ao controle do projeto e construção de sistema de instalações prediais.

Esta classificação inclui edifícios comerciais ou grandes espaços públicos (escritórios, armazéns, hospitais, espaços comerciais, etc.).

Design de Interiores e Construção (ID + C)

Refere-se a projetos de espaços interiores para torná-los mais eficientes e confortáveis. O alvo a que se destina são edifícios comerciais e instalações de alojamento (hotéis, motéis, etc.).

Operações de construção e manutenção (O + M)

Neste caso estamos orientados para edifícios existentes e ineficientes, com o objetivo de melhorar o existente sem adicionar novos edifícios. Os edifícios referidos são escritórios, escolas, armazéns e outros do sector terciário.

Desenvolvimento de bairro (ND)

O desenvolvimento de bairros gerencia e organiza ambientes ao ar livre em escala urbana, como bairros da cidade. Isso permite analisar problemas e encontrar soluções relacionadas em escala urbana, evitando a expansão descontrolada.

Cidade e comunidade

Neste caso é possível pensar nas cidades e comunidades de uma forma diferente, melhorando a sustentabilidade geral e a habitabilidade. A certificação LEED permite controlar vários aspectos graças aos vários indicadores que afetam o desempenho social, econômico e ambiental.

O que é uma boa pontuação LEED?

Tendo em conta o que foi previamente especificado na atribuição de créditos, podemos identificar os vários níveis de certificação. Isso permite que você entenda a qualidade do edifício ou local sujeito a certificação.

A GBCI prevê 4 níveis de certificação:

  • certificação básica: entre 40 e 49 pontos.
  • Prata: entre 50 e 59 pontos.
  • Ouro: entre 60 e 79 pontos.
  • Platina: mais de 80 pontos.

A partir desta lista pode-se deduzir que para obter a certificação LEED você deve atingir pelo menos 40 pontos (certificação básica), enquanto para obter o nível platina você deve somar pelo menos 80 pontos.

A imagem ilustra os niveis de certificacao LEED

Níveis de certificação LEED

Quais são os benefícios do LEED no BIM?

Antes de se aprofundar no que é o LEED no BIM e quais as vantagens que ele traz, é bom descobrir os muitos benefícios que derivam da certificação LEED. Isso porque, para atingir determinados patamares, é preciso fazer escolhas que tragam vantagens para quem tem a ver com o imóvel.

Para resumir, podemos dizer que os benefícios mais importantes são:

  • melhoria do conforto: os ambientes são mais habitáveis e saudáveis para quem utiliza esses espaços devido à melhoria da qualidade do ar em relação aos edifícios padrão.
  • Redução do consumo de recursos: os materiais utilizados, para os parâmetros LEED, devem ser reciclados, naturais e/ou regeneráveis (em parte ou num todo). Isso leva a uma redução no consumo de recursos.
  • Redução do impacto ambiental: este aspecto parte da escolha criteriosa do local, mantendo todo o ecossistema o mais inalterado possível, minimizando a produção de resíduos e poluição devido ao uso indiscriminado de meios de transporte poluentes.
  • Melhoria de funcionalidade: redução das perdas de calor e aproveitamento (tanto quanto possível) da luz natural e do ar exterior, mantendo sempre a segurança sanitária sob controlo.
  • Benefícios econômicos e maior produtividade dos ocupantes: as precauções a serem adotadas para a certificação LEED levam a economias consideráveis. Além disso, especialmente no local de trabalho, o aumento do conforto interno permite um aumento da produtividade do pessoal.
  • Benefícios para os produtores: a certificação LEED permite dar maior confiabilidade aos produtores durante a fase de venda com consequente publicidade dirigida a eles. Além disso, os fabricantes podem aproveitar incentivos públicos ou aproveitar recursos ecossustentáveis avançados para obter uma margem de lucro maior.

O que é o LEED no BIM e qual a sua utilidade

Para responder à pergunta inicial “O que é o LEED no BIM?” é necessário consultar a utilidade que o BIM tem na certificação LEED.

O BIM (Building Information Modeling) permite obter dados para a certificação LEED de forma muito rápida graças ao uso de determinados softwares BIM. Por exemplo, usando um software de análise energética, é possível obter os parâmetros energéticos de referência para certificação. Além disso, outros softwares BIM podem ser utilizados para integrar o projeto, implementação e gestão da obra.

As vantagens de utilizar o BIM para atender aos requisitos da certificação LEED são muitas, como:

  • verificar e analisar o desempenho energético (e não apenas) dos projetos;
  • fazer simulações em diferentes condições ambientais, a fim de otimizar as escolhas de projeto e torná-los mais adequados para um caso específico;
  • realizar análises de energia e sustentabilidade sobre a obra a ser construída ou reconstruída;
  • gerenciar todas as informações sobre os materiais e elementos utilizados;
  • melhorar e otimizar os processos de projeto, gestão e manutenção dos edifícios sujeitos a certificação.

Na prática, com o BIM você pode gerenciar melhor:

  • o local objeto de intervenção;
  • o isolamento térmico do edifício, identificando aquele que melhor se adapta às suas necessidades;
  • o sistema fotovoltaico, com eventual planejamento e dimensionamento;
  • o sistemas de aquecimento solar, também como possível projeto e dimensionamento;
  • a escolha de materiais;
  • etc.

 

termus-plus
termus-plus