Renderização de planta baixa: 6 regras para se criar uma

A renderização de uma planta baixa é o layout realista de uma planta de um edifício. Vamos conhecer como realizá-lo

Durante o desenvolvimento de um projeto, a representação através de uma série de vistas renderizadas sempre foi a forma mais utilizada e eficaz de apresentar todos os detalhes propostos aos clientes:

  • elementos de decoração;
  • revestimentos;
  • fluxo entre os ambientes.

Se você precisa fazer renderizações arquitetônicas e ainda é iniciante, não se preocupe, sugerimos que comece a usar gratuitamente um software de renderização intuitivo que permite fazer belas renderizações mesmo para quem não é especialista.

Neste artigo vamos explorar um tipo particular de renderização, a renderização de planta baixa, e vamos ver suas peculiaridades e como fazer isso acontecer.

O que é uma renderização de planta baixa?

Uma renderização de planta baixa é uma representação gráfica 2D ou 3D da planta de uma casa.

Destina-se a clientes que, sem conhecimentos técnicos específicos, têm a oportunidade de compreender de forma rápida e fácil todos os aspectos e detalhes da edificação, deixando claro o uso humano dos ambientes e evitando mal-entendidos sobre o espaço disponível ou a navegação entre as salas.

Por esta razão, informações técnicas como dimensões ou características de portas e janelas não estão representadas nestes planos, mas deixa-se espaço para:

  • cores;
  • superfícies;
  • texturas;
  • sombras;
  • luzes;
  • móveis.

Existem dois tipos de renderização de plantas:

  • planta 2D: plano ortogonal ao plano de corte enriquecido com móveis e superfícies.
A imagem ilustra uma planta baixa - renderizacao 2D

Planta baixa | Render 2D

  • Planta 3D: quando a visão não é completamente ortogonal, mas acaba sendo tridimensional.
A imagem ilustra uma planta baixa - renderização 3D

Planta baixa | Render 3D

Diferenças entre uma planta tradicional e uma renderizada

Usando um software de projeto de construção é possível criar tanto uma planta tradicional quanto uma renderizada. Elas se diferem na medida em que representam informações diferentes. Vamos ver quais.

Planta tradicional

A planta baixa é um desenho técnico ortogonal em escala que mostra as paredes e cômodos de uma estrutura como se fossem vistos de cima, a partir de um corte imaginário à uma altura capaz de abranger as aberturas (portas e janelas). Pode ser desenvolvido em diferentes escalas, dependendo do nível de detalhe a ser representado.

Recolhe uma série de informações de fácil compreensão para os técnicos do setor:

  • símbolos gráficos: eixos, linhas de corte, cotas de nível.
  • Notas técnicas: legendas, dimensões, superfícies.
  • Detalhes técnicos: estratigrafia de pisos ou paredes, direção e orientação das aberturas.
A imagem ilustra uma renderização de planta baixa tradicional

Exemplo de planta baixa tradicional

Planta renderizada

Uma planta baixa renderizada se livra de tecnicismos e permite que os clientes compreendam completamente o design de todos os espaços.

Se a planta tradicional é em preto e branco, esta é representada em cores e é enriquecida com as mais variadas texturas para recriar os ambientes de forma realista, com móveis, luzes e sombras.

A imagem ilustra um exemplo de uma planta baixa renderizada

Exemplo de uma planta baixa renderizada

Renderização de planta baixa: 6 boas regras para torná-la melhor

Para criar uma boa renderização de planta baixa é necessário:

  1. fazer um bom modelo 3D do ambiente a ser recriado: quanto mais o modelo inicial for estudado em detalhes e imitar ao máximo a realidade, mais realista será o render.
  2. Definir o layout correto dos espaços, através do qual o cliente pode perceber o correto fluxo dinâmico das salas.
  3. Escolher os elementos do mobiliário que se adaptam adequadamente aos ambientes que queremos criar.
  4. Identificar cores e os motivos cromados adaptados aos pedidos do cliente, o que determinará um impacto positivo ou negativo no mesmo.
  5. Gerenciar melhor os parâmetros de luzes, artificiais ou naturais, que devem ser inseridos.
  6. Escolher os materiais e revestimentos, acabamentos sintéticos ou naturais, capazes de valorizar os espaços criados.

Vimos, portanto, que  é uma ferramenta fundamental dentro do projeto se tornando uma ferramenta de comunicação clara para os clientes. Para isso ele deve ser criado corretamente prestando atenção na escolha de materiais, cenas, luzes e sombras.

Para criar renders efetivos das plantas baixas, recomendamos escolher um software de renderização intuitivo e profissional, que é possível baixar e experimentar gratuitamente por 30 dias.

Quais são as vantagens do render de uma planta baixa?

A representação dos espaços através dessa renderização garante:

  • uma visualização imediata à disposição dos espaços;
  • um melhor entendimento das dimensões e dinâmicas dos espaços;
  • uma visualização perfeita de materiais finais e revestimentos;
  • um processo rápido de tomada de decisão do cliente;
  • um controle maior dos erros na fase de execução, detectando rapidamente quaisquer inconsistências.

Além disso, uma renderização de planta é certamente mais cativante do que uma planta tradicional, sendo possível atrair um número maior de clientes.

 

edificius
edificius