Home » BIM e eficiência energética » Funcionamento do telhado ventilado

Telhado ventilado

Funcionamento do telhado ventilado

Telhado ventilado: uma visão geral das principais características e benefícios dos telhados frios


O telhado ventilado é uma excelente alternativa para evitar condensação no inverno e promover o resfriamento dos ambientes sob o telhado, no verão. Vamos entender o que é e como funciona o telhado ventilado e como garantir um conforto térmico ideal do edifício, com a ajuda de um software de análise e simulação energética dinâmica.

Telhado frio e telhado quente

Você já deve ter ouvido falar em telhado frio e quente, mas o que isso significa?
Cada telhado é caracterizado por diferentes camadas funcionais, que determinam sua tipologia. Em geral, as coberturas são agrupadas em quatro tipos:

  • cobertura não isolada e não ventilada;
  • cobertura não isolada ventilada;
  • cobertura isolada e não ventilada (também chamada de telhado quente);
  • cobertura isolada e ventilada (conhecida como telhado frio).
Instalação de telhado ventilado

Instalação de telhado ventilado

Uma cobertura não isolada e não ventilada é um tipo de cobertura sem elementos termoisolantes e sem uma camada de ventilação. Essa solução, devido à sua capacidade limitada de isolamento, é utilizada em situações em que o isolamento térmico não é necessário, como em coberturas de edifícios não destinados à permanência de pessoas (por exemplo, edifícios agrícolas, etc.).

A cobertura não isolada ventilada é semelhante à anterior, mas inclui uma camada de ventilação abaixo do elemento de vedação. Essa camada visa melhorar o desempenho da cobertura durante o verão, reduzindo os efeitos do aquecimento causado pela radiação solar.

O telhado quente (ou seja, uma cobertura isolada mas não ventilada) possui uma camada termoisolante, mas sem uma camada de ventilação. Sua composição inclui um elemento estrutural (como uma laje de concreto moldada no local, mista de concreto leve, painéis pré-fabricados de concreto, painéis de madeira, chapas metálicas, etc.), uma barreira de vapor, isolamento térmico, manto impermeável e obras acessórias.

O telhado frio (ou seja, cobertura isolada e ventilada) possui uma composição semelhante à do telhado quente, mas introduz um espaço de ventilação na estratigrafia, separando as camadas entre isolamento e sobreposição.

No telhado quente, o manto impermeável é tipicamente aplicado diretamente sobre o isolamento térmico, que serve como suporte. No telhado frio, o manto impermeável é colocado sobre a sobreposição, muitas vezes feita de madeira. Geralmente, a tipologia de telhado quente é mais comum, enquanto o telhado frio ou ventilado é preferido para coberturas de madeira, telhados inclinados e edifícios residenciais.

Estratigrafia de uma cobertura ventilada

Sob o ponto de vista tecnológico, uma cobertura ventilada deve ser projetada com as seguintes camadas, de dentro para fora:

  • estrutura de suporte;
  • camada de vedação de vapor;
  • elemento termoisolante;
  • camada de ventilação (realizada através da criação de uma câmara de ar com espessura constante entre os elementos de cobertura e a camada subjacente, obtida por meio de dupla ripagem ou uso de painéis pré-fabricados, especialmente projetados);
  • manto de cobertura, com aberturas previstas para ventilação,
  • no cumeeira e no beiral.

No caso do telhado frio, a camada de ventilação melhora significativamente o isolamento térmico, permitindo que a umidade produzida na habitação seja expelida para fora do telhado, prevenindo assim fenômenos de condensação.
A câmara de ar natural, que separa o manto de cobertura da camada isolante subjacente, facilita os “movimentos convectivos ascendentes”. Esses movimentos convectivos retiram grande parte do calor que, de outra forma, seria transmitido às camadas inferiores e permitem que a umidade escape sem comprometer o poder termoisolante das camadas inferiores e da própria câmara de ar.

Para ativar esse mecanismo, o ar externo deve entrar na câmara de ar ao nível do beiral e sair pela cumeeira através de um elemento de exaustão. Esse processo permite manter o material isolante seco durante o inverno, evitando condensação, enquanto no verão o ar fresco que entra pelo beiral se aquece na câmara de ar e sai pela cumeeira, retirando calor da estrutura.

O isolamento de verão do telhado é importante, especialmente com o aumento das temperaturas. Uma camada de ventilação agrega valor aos materiais isolantes, que geralmente têm bom desempenho em reter o calor dentro do edifício, mas podem ter dificuldade em proteger do calor ou resistir a altas temperaturas sob o telhado.

Além disso, o telhado ventilado garante uma maior durabilidade dos elementos do manto de cobertura, que podem secar rapidamente tanto por dentro quanto por fora, reduzindo os riscos de quebras em caso de geada. As coberturas ventiladas podem ajudar a reduzir a temperatura após as horas de exposição intensa ao sol no verão, melhorando o conforto térmico do sótão.

Se a câmara de ar não atende a parâmetros específicos estabelecidos pelas normas, pode-se falar em telhados micro ventilados, caracterizados por uma câmara de ar mais restrita e por uma instalação mais rápida e simples. A micro ventilação sob cobertura é usada para evitar o acúmulo de umidade, a formação de condensação e prolongar a vida útil do sistema de cobertura. Nos telhados micro ventilados, usados principalmente em telhados inclinados em laje de concreto leve, as placas apresentam sulcos especiais na sobreposição para facilitar o movimento ascendente da corrente da beiral para a cumeeira, melhorando o desempenho térmico e higrométrico da estrutura.

Como avaliar o desempenho energético do projeto

Para verificar a eficiência energética do seu projeto, é recomendável usar um software de análise e simulação energética dinâmica. Dessa forma, você modela em 3D todo o edifício, atribui materiais e características a todas as estratificações (cobertura, envoltórios verticais, janelas, etc.), define os parâmetros gerais e os dados climáticos da localidade, programa a simulação energética em regime dinâmico por hora, identifica e resolve automaticamente as pontes térmicas, simula o comportamento energético do edifício e realiza simulações energéticas em regime dinâmico colocando o modelo energético nas condições operacionais reais.
Dessa forma, você conhece os consumos energéticos reais do edifício, os principais fatores que influenciam esses consumos e o desempenho energético de diferentes materiais e soluções de projeto.

A seguir, mostro um breve vídeo que explica como gerenciar as estratificações verticais e horizontais (cobertura e lajes) do seu edifício de projeto, um passo indispensável antes de iniciar o cálculo energético dinâmico do edifício.

Os benefícios do telhado ventilado

Um telhado ventilado oferece vários benefícios, especialmente quando projetado e instalado corretamente. Aqui está um resumo dos principais benefícios de um telhado ventilado:
controle de umidade: a ventilação permite a circulação do ar sob a cobertura, reduzindo o risco de acúmulo de umidade. Isso é especialmente importante para prevenir a formação de mofo e danos relacionados à umidade.

Regulação térmica: a ventilação contribui para manter uma temperatura mais uniforme no ambiente sob o telhado. Isso é útil tanto no inverno quanto no verão, reduzindo o calor excessivo acumulado sob a cobertura.

Aumento da eficiência energética: uma ventilação adequada pode melhorar a eficiência energética do edifício. Reduzindo o acúmulo de calor no verão, pode-se reduzir a necessidade de resfriamento artificial. No inverno, a ventilação pode ajudar a manter o material isolante seco, preservando sua eficiência térmica.

Prolongamento da vida útil: uma boa ventilação pode contribuir para preservar a estrutura do telhado e dos materiais utilizados (isolante, telhas, ripagem, etc.), contribuindo assim para uma maior durabilidade ao longo do tempo. Reduzindo a umidade e as mudanças extremas de temperatura, podem-se evitar danos prematuros.

Melhor conforto habitacional: uma ventilação adequada contribui para criar um ambiente interno mais confortável. Isso é especialmente importante se o espaço do sótão for utilizado como habitação ou espaço de trabalho.

Redução do risco de danos por condensação: a ventilação reduz o risco de formação de condensação dentro da cobertura, especialmente em climas frios. Isso é importante para evitar danos aos materiais isolantes e à estrutura subjacente.

Melhoria da qualidade do ar interno: uma ventilação adequada contribui para manter a qualidade do ar sob o telhado, removendo a umidade e prevenindo a formação de odores desagradáveis ou mofo.

Adaptabilidade a diferentes condições climáticas: as coberturas ventiladas são adequadas para uma variedade de climas, pois podem ser projetadas para se adequar às necessidades específicas de aquecimento ou resfriamento, dependendo da região geográfica.

Sustentabilidade: a eficiência energética e a maior durabilidade podem contribuir para os esforços de sustentabilidade, reduzindo o impacto ambiental dos edifícios ao longo do tempo.

 

 

termus-plus
termus-plus