Home » BIM e Projeto de construção » Tipos de construção: quais são as principais classificações e por que é importante conhecê-las

Tipos de construção

Tipos de construção: quais são as principais classificações e por que é importante conhecê-las

Existem vários tipos de construção, verdadeiras classificações baseadas em características estruturais, materiais utilizados, uso previsto. Aqui estão as principais

Os tipos de construção são classificações que agrupam edifícios e estruturas com certas características estruturais, funcionais, dimensionais, formais, distributivas, etc.

As tipologias de construção também podem se referir às metodologias e abordagens utilizadas na construção de edifícios e estruturas e, portanto, definem o modo como um edifício é projetado e construído. As diferentes tipologias de construção foram estabelecidas ou influenciadas ao longo do tempo com base em fatores diversos como território, cultura, tecnologias e materiais disponíveis, regulamentos vigentes, gosto arquitetônico, necessidades práticas.

Vamos detalhar algumas das principais tipologias de construção, úteis para quem trabalha atualmente na construção civil e tem – ou pretende adquirir – habilidades para lidar com solicitações de todos os tipos (podendo também contar com a disponibilidade de softwares cada vez mais inovadores para projeto de construção integrado).

Tipos de construção: as principais classificações

Aqui estão as principais tipos de construção em que os edifícios podem ser classificados:

  • materiais utilizados para a estrutura de suporte;
  • uso previsto;
  • resistência ao fogo dos vários elementos estruturais.

<yoastmark class=

Classificação dos tipos de construção com base nos materiais de construção utilizados

Uma primeira classificação dos tipos de construção baseia-se nos materiais predominantes utilizados para sua estrutura de suporte. Em particular, temos:

  1. alvenaria: os edifícios em alvenaria estão entre os tipos mais utilizados. Esses edifícios são baseados no uso de tijolos ou blocos de concreto, que são empilhados e conectados por argamassa para criar paredes de suporte. As vantagens dessa tipologia incluem a robustez e a resistência às intempéries. Os edifícios em alvenaria também oferecem excelente isolamento térmico, ajudando a reduzir os custos de energia. No entanto, podem exigir um orçamento significativo e podem ser mais lentos de construir em comparação com outras tipologias.
  2. Madeira: o uso da madeira como material de construção é comum em muitas partes do mundo. Esta tipologia é apreciada por sua eficiência energética e estética natural. A madeira é um material renovável, o que a torna uma escolha sustentável. No entanto, requer manutenção periódica para proteção contra intempéries e pragas.
  3. Aço: os edifícios em aço são conhecidos por sua resistência e flexibilidade estrutural. Esta tipologia é frequentemente utilizada em construções comerciais e industriais. O aço é capaz de suportar cargas pesadas e oferece maior liberdade de projeto devido à sua capacidade de criar grandes vãos sem o uso de colunas de suporte. No entanto, o aço requer um tratamento anticorrosivo adequado para evitar a ferrugem.
  4. Concreto armado: o concreto armado é uma tipologia de construção que combina a resistência do concreto com a força do aço. Este material é amplamente utilizado em edifícios altos, pontes e outras estruturas que requerem alta resistência. O concreto armado é particularmente adequado para enfrentar cargas pesadas e resistir a fortes solicitações sísmicas. No entanto, é importante notar que a produção de concreto tem um impacto ambiental significativo, tornando-o uma escolha menos sustentável.

Neste contexto, gostaria de destacar a possibilidade de experimentar gratuitamente um software de cálculo estrutural de última geração com solucionador FEM integrado e módulos para estruturas em C.A., alvenaria, madeira e aço.

Classificação dos tipos de construção com base no uso previsto do edifício

Outra categorização de edifícios e estruturas é baseada nas atividades e no uso principal para os quais foram projetados e construídos.
A seguir, estão algumas das principais categorias desta classificação relacionadas aos edifícios:

  1. Residenciais: destinados à habitação de pessoas e incluem casas, apartamentos e residências privadas.
  2. Comerciais: utilizados para atividades comerciais como escritórios, lojas, restaurantes e centros comerciais.
  3. Industriais: projetados para fins industriais e de fabricação, incluindo fábricas, instalações industriais e armazéns.
  4. Educacionais: destinados à educação, como escolas, universidades e instituições educacionais.
  5. Saúde: instalações médicas, hospitais, clínicas e casas de repouso.
  6. Públicos: infraestruturas públicas como prédios do governo, prefeituras e bibliotecas.
  7. Religiosos: locais de culto como igrejas, mesquitas, sinagogas e templos.
  8. Recreativos e culturais: utilizados para atividades recreativas e culturais como teatros, museus e arenas.
  9. Transporte: aeroportos, estações ferroviárias, portos e instalações de transporte.
  10. Agrícolas: utilizados na agricultura, incluindo estábulos, silos e armazéns agrícolas.

Esta classificação é essencial para o projeto arquitetônico, pois cada categoria possui requisitos e considerações específicas que devem ser levados em consideração no design. Com um software de projeto arquitetônico integrado, é possível criar projetos de edifícios para diferentes usos.

Classificação dos tipos de construção com base nos critérios estabelecidos pelo International Building Code (IBC)

As tipologias de construção classificadas com base em requisitos estabelecidos pelo International Building Code (IBC) são 5 e são classificadas com base na resistência ao fogo dos vários elementos estruturais de uma construção.
A classificação começa com a análise dos vários elementos construtivos de uma obra, incluindo: paredes externas, lajes e coberturas, vigas e pilares, etc. A construção será então classificada com base na resistência ao fogo de cada elemento do edifício.

Com base nesse critério, o IBC reconhece e distingue as seguintes 5 tipologias de construção:

  1. TIPO I: nesta categoria estão as construções cujos elementos estruturais são feitos de concreto armado e aço. Estamos falando, portanto, de edifícios, como arranha-céus, com resistência ao fogo de 2 a 4 horas, nos quais toda a estrutura é feita com materiais não combustíveis. Dentro desta tipologia de construção, existem duas categorias:
    • TIPO IA, resistente ao fogo: paredes externas e estrutura devem resistir ao fogo por pelo menos três horas;
    • TIPO IB, resistente ao fogo modificado: paredes externas e estrutura devem resistir ao fogo por pelo menos duas horas;
  2. TIPO II: semelhantes aos edifícios do tipo I, os edifícios do tipo II são feitos inteiramente com materiais não combustíveis ou resistentes ao fogo. Embora seus materiais de construção sejam rotulados como não combustíveis, eles oferecem menos proteção contra incêndio do que os edifícios do tipo I porque geralmente não têm revestimento contra fogo, então um incêndio que se propaga pode causar mais danos. Também dentro deste tipo, existem duas categorias:
    • TIPO IIA, alvenaria não combustível: paredes externas, estrutura, lajes e coberturas devem ter 1 hora de proteção contra danos pelo fogo;
    • TIPO IIB, leve não combustível: as construções em material leve não combustível são construções com paredes externas de metal leve ou outros materiais não combustíveis com pisos e coberturas não combustíveis;
  3. TIPO III: os edifícios que se enquadram nesta categoria têm paredes externas de tijolo, alvenaria, blocos de concreto, painéis pré-fabricados ou outros materiais não combustíveis. Mas as estruturas internas e o telhado podem ter uma estrutura de madeira. O principal objetivo da construção do tipo III em caso de incêndio é conter o fogo dentro das paredes externas do prédio e impedir a propagação do incêndio para edifícios vizinhos;
  4. TIPO IV: esta categoria inclui construções de enxaimel com madeira pesada ou componentes de madeira mais largos do que as construções de enxaimel normais. As dimensões dos elementos de madeira utilizados tornam a estrutura mais resistente ao colapso, mais resistente ao fogo (elementos tão grandes levam mais tempo para queimar), mas também mais cara do que uma construção de enxaimel normal do tipo V.
  5. TIPO V: esta categoria inclui construções em que telhado, lajes e estrutura são feitos de materiais combustíveis, geralmente madeira. Ao contrário da madeira utilizada nos edifícios do tipo 4, as estruturas do tipo 5 usam madeira leve ou trabalhada. Este material é certamente mais barato e eficiente, mas não é resistente ao fogo, então os edifícios do tipo V podem entrar em colapso rapidamente após o início de um incêndio.

Os 5 <yoastmark class=

Por que é importante classificar corretamente um edifício?

A classificação correta de um edifício é fundamental por uma série de razões cruciais, incluindo segurança, conformidade regulatória e projeto arquitetônico.
Uma classificação correta ajuda a garantir que o edifício seja projetado, construído e usado de forma segura para sua finalidade específica. Por exemplo, edifícios residenciais devem cumprir diferentes normas em comparação com edifícios industriais ou de saúde para garantir a segurança dos ocupantes. Além disso, as leis e regulamentos de construção variam de acordo com o tipo de construção.

Da mesma forma, uma classificação correta orienta o projeto arquitetônico, permitindo que os arquitetos adaptem o design às necessidades específicas de uso previsto. Por exemplo, um hospital requer um projeto diferente de um shopping center.

A classificação correta de um edifício com base na resistência ao fogo de seus elementos construtivos também é fundamental para garantir a segurança. No caso de um incêndio, é absolutamente importante que o edifício seja construído de acordo com os requisitos da categoria à qual pertence. Isso permitirá entender como o fogo se propaga no edifício e tomar decisões cruciais sobre ventilação, uso de água e rotas de fuga.

 

edificius
edificius