Home » BIM e Projeto de construção » Usos do BIM: 21 principais casos de uso do BIM

Usos do BIM: 21 principais casos de uso do BIM

Os usos do BIM são atividades para as quais decidimos implementar a metodologia BIM. Descubra agora o que são e conheça os casos principais

Já mencionamos o conceito de uso do BIM quando vimos como criar um mapa de processo BIM.

Neste artigo vamos aprofundar o significado dos usos do BIM, veremos juntos a lista completa dos múltiplos usos do BIM e como escolher os mais vantajosos para o seu projeto.

O que se entende por usos do BIM?

Por usos do BIM queremos dizer aquelas atividades ou processos do projeto para os quais decidimos implementar a metodologia BIM.

A definição de usos do BIM está estreitamente ligada a uma série de variáveis:

  • objetivo do projeto;
  • escopo de trabalho;
  • fase de implementação;
  • nível de desenvolvimento do modelo;
  • disciplina de projeto BIM envolvida para modelagem.

Uma vez analisados o pedido e as necessidades do cliente, para aplicar a metodologia BIM de forma correta e vantajosa, é necessário um planejamento detalhado através da elaboração de um PEB, cujo primeiro passo consiste precisamente na identificação dos objetivos e usos do BIM para o projeto em questão.

Nesta primeira fase do PEB, os objetivos que podem ser alcançados através da metodologia BIM são identificados e analisados e se descreve qual potencial do BIM será explorado para atingir esses objetivos. Uma vez definidos os campos de aplicação de usos do BIM, para cada um deles, identifica-se os integrantes da equipe responsável, indicando o nível de competência, experiência e habilidades.

Com base no uso específico do BIM e na fase do fluxo de trabalho BIM em que é aplicado, as necessidades de informação também variam consideravelmente. As informações solicitadas na fase de projeto, por exemplo, serão muito diferentes daquelas necessárias para a pré-fabricação, gerenciamento de recursos ou outras atividades. A identificação e compreensão do uso do BIM é, em qualquer caso, essencial para otimizar os fluxos de dados.

Para cada uso do BIM são detalhados:

  • descrição;
  • valor potencial;
  • recursos necessários;
  • habilidades exigidas (da equipe);
  • referências bibliográficas;
  • posicionamento do fluxo de trabalho;
  • qualquer informação produzida.

Os benefícios da implementação da metodologia BIM variam de acordo com a fase de desenho onde estamos:

  • fase de planejamento: os usos do BIM pode se relacionar e facilitar o processo de criação de planos.
  • Fase de desenho: a utilização do BIM simplifica a modelação de novas soluções, também do ponto de vista energético.
  • Fase de execução: ajuda na elaboração de planos de trabalho ou análises de custos.
  • Fase de gerenciamento e manutenção: facilita o planejamento de intervenções e a análise de prazos e custos.

Quais são os usos do BIM? Aqui está a lista completa de 21 usos do BIM

As possíveis aplicações do BIM dentro de um projeto no setor AECO são muitas e são abordadas detalhadamente no BIM Project Execution Planning Guide da Penn University.

Vamos ver juntos uma lista completa de 21 usos do BIM identificados após inúmeras entrevistas com especialistas do setor:

  1. programação preventiva de manutenção predial — Processo no qual a funcionalidade do edifício é mantida ao longo de seu ciclo de vida. Um programa de manutenção eficaz gerido através da metodologia BIM que melhora o desempenho do edifício, reduz as intervenções e os custos gerais de manutenção.
  2. Análise de sistemas de construção — Aplicar o BIM a esta fase significa analisar de forma eficiente e eficaz aspectos como: consumo de energia, análise de iluminação, análise CFD, análise de exposição, etc.
  3. Gestão de ativos — A gestão de ativos eficaz que satisfaça o proprietário e os usuários com o menor custo e com a maior qualidade possível.
  4. Gerenciamento e rastreamento de espaço — Um modelo BIM permite que a equipe de gestão de instalações analise e gerencie adequadamente as mudanças nos clientes, no uso do espaço e quaisquer mudanças futuras durante todo o ciclo de vida do ativo.
  5. Planejamento de desastres— O BIM forneceria informações críticas de construção aos socorristas que melhorariam a eficiência da resposta e minimizariam os riscos de segurança.
  6. Modelagem para rastreamento (modelo “As-built”)— Processo em que o modelo BIM 3D contém uma representação precisa e informatizada dos principais elementos arquitetônicos e MEP enriquecidos com documentação como códigos de série, garantias, programa de manutenção, etc.
  7. Planejamento de utilização do local — Processo no qual um modelo 4D é usado para representar graficamente estruturas permanentes e temporárias no local, com o programa de atividades de construção.
  8. Projeto do Sistema de Construção — Processo no qual o software de projeto de sistemas 3D é utilizado para projetar e analisar a construção de um sistema construtivo para aumentar o planejamento.
  9. Fabricação digital — Processo que utiliza tecnologia de maquinário para pré-fabricar objetos diretamente de um modelo 3D.
  10. Controle e planejamento 3D — Processo que utiliza um modelo 3D informativo para a criação de layouts digitais baseados em pontos de controle referentes ao espaço real e úteis para o monitoramento espacial de elementos e sistemas construtivos. Ao conectar os elementos do projeto à posição real no espaço, são reduzidos os erros que de outra forma ocorreriam durante a fase de construção e o tempo dedicado ao levantamento em campo é reduzido.
  11. Coordenação 3D— O uso de um software BIM para detecção de interferências permite identificar e corrigir eventuais erros de projeto quando o canteiro de obras ainda não existe, portanto grande economia em termos de tempo e custos.
  12. Autoria de projeto— Processo em que um software 3D é usado para desenvolver um modelo BIM baseado em critérios importantes para a tradução do projeto do edifício.
  13. Análise de engenharia (estrutural, iluminação, energia, mecânica, outros) — Processo em que o software de modelagem inteligente utiliza o modelo BIM para determinar o método de engenharia mais eficaz com base na especificação do projeto.
  14. Avaliação de sustentabilidade (LEED) — Processo em que o BIM permite executar uma avaliação da sustentabilidade ambiental do projeto.
  15. Validação de código Processo em que se usa um software de validação BIM para a verificação dos parâmetros do modelo em relação aos códigos específicos do projeto.
  16. Avaliações de design  Processo em que o modelo 3D é utilizado para mostrar o projeto aos interessados e avaliar o cumprimento do programa.
  17. Programação — O modelo BIM desenvolvido permite à equipe de projeto analisar o espaço e compreender a complexidade das normas e regulamentos.
  18. Análise do local — Processo em que as ferramentas BIM/GIS são usadas para avaliar propriedades em uma determinada área.
  19. Planejamento de fase (Modelagem 4D) — Processo em que um modelo é usado para planejar efetivamente as fases de uma reforma/construção e os requisitos de espaço em um canteiro de obras. Isso permite uma simulação baseada no espaço e no tempo para estruturas permanentes e temporárias. As equipes podem então avaliar possíveis problemas onerosos e encontrar soluções antes de começar no mundo real.
  20. Estimativa de custos — Processo no qual um modelo BIM é usado para gerar uma estimativa precisa de quantidades e custos.Uma vez que as quantidades com um item de cálculo tenham sido conectadas, quaisquer alterações no modelo são refletidas na quantidade e no cálculo de custos e a estimativa é sempre atualizada para o modelo.
  21. Modelagem de condições existentes — Processo no qual uma equipe de projeto desenvolve um modelo 3D das condições existentes de um local ou de uma área específica.

Esta é a lista completa de 21 usos do BIM; entre estes há alguns que são indiscutivelmente vantajosos para qualquer projeto. Então, aqui estão os 5 principais casos de uso do BIM:

  • avaliações de projeto.
  • Estimativa de custo (5D).
  • Coordenação 3D.
  • Planejamento temporal (4D).
  • Modelagem de registros (As-Built).

Como é descrito um uso de BIM?

É possível descrever os usos do BIM do nosso projeto através de uma tabela que analisa os seguintes pontos:

  • descrição geral do uso específico do BIM;
  • análise de potenciais benefícios;
  • habilidades necessárias dentro da equipe do projeto;
  • quaisquer recursos adicionais que você possa consultar para obter mais informações sobre o uso do BIM.

Abaixo, relatamos como exemplo uma tabela descritiva do uso Cost Estimation, ou seja, estimativa de custos:

A imagem mostra a descrição de um uso do BIM

Descrição de um uso do BIM

As descrições dos usos do BIM fornecem uma breve visão geral dos objetivos, benefícios e requisitos de aplicação aos membros da equipe do projeto que podem não estar familiarizados com o uso do BIM e fornecem informações adicionais que a equipe do projeto pode achar valiosas durante o processo de seleção.

Como identificar o uso do BIM correto para o seu projeto?

Até agora vimos todos os possíveis usos do BIM, mas como escolher os usos do BIM mais adequados para o nosso projeto?

A resposta a esta questão reside no estudo cuidadoso da encomenda e da finalidade que a informação irá abranger ao longo do ciclo de vida do ativo. O conhecimento sobre a aplicação futura da informação nos traz muitos benefícios, ajudando-nos a:

  • desenvolver uma estratégia de fluxo de dados no modelo;
  • entender quais informações são aplicadas repetidamente e quais apenas uma vez;
  • desenvolver uma estratégia ótima e focar apenas nas informações importantes.

Para nos ajudar na seleção dos usos do BIM, é útil aplicar ferramentas comprovadas como a planilha de seleção BIM, que é uma planilha que inclui:

  • os potenciais usos do BIM;
  • o valor de cada uma delas dentro do projeto;
  • o responsável;
  • as funcionalidades;
  • as notas adicionais;
  • a decisão da equipe sobre a implementação do uso do BIM.
A imagem mostra o BIM-Selecao-Folha de Trabalho

BIM-Seleção folha de trabalho

Com esta planilha, a escolha dos usos do BIM para o projeto é muito mais fácil e segura e segue 5 passos:

  • coluna 1 “BIM Use”: inserimos todas as potenciais aplicações do BIM em nosso projeto. Ao preencher esta coluna, devemos sempre nos perguntar se a implementação do BIM nos aproximará de alcançar o objetivo do projeto.
  • Coluna 3: especificamos quem está envolvido na implementação desse uso do BIM.
  • Coluna 4: determinamos o prioridade de responsabilidade para cada interessado.
  • Coluna 5: especificamos competências e habilidades de cada grupo de trabalho em relação ao uso específico do BIM. Para nos ajudar a preencher esta coluna nos fazemos perguntas como: eles são especialistas? Eles já fizeram isso antes? Os membros da equipe têm habilidades adequadas? Eles têm recursos adequados para aplicar o BIM em uma determinada área? Vamos responder a essas perguntas com um escala de 1 a 3, onde 1 indica falta de competência e 3 indica profissional.
  • Coluna 6: inserimos todos as deficiências relacionadas à implementação da aplicação específica do BIM. Ao analisar o passo 3, já sabemos onde nossas habilidades são insuficientes. Neste ponto, vamos escrever onde está exatamente o problema. Se for falta de competência na equipe ou se não tivermos o software adequado. Pode haver várias razões: nossa tarefa é identificá-los e encontrar a solução.
  • Como último passo avaliamos se vamos ou não aplicar o BIM em uma determinada fase do projeto. As colunas compiladas até agora nos fornecem todas as informações necessárias para  tomar uma decisão. A equipe então discute os benefícios mensuráveis da implementação de certas soluções versus os custos incorridos e leva um decisão sobre implementar ou não o BIM nessa fase.

Ao selecionar os usos do BIM no projeto, uma frase é a mestra: Begin with the end in mind (“Comece pensando no fim”).

Esta é a filosofia para aplicar também à sua forma de desenhar. Para isso, sugerimos fazê-lo gratuitamente durante 30 dias com um software BIM.

usbim
usbim