Home » BIM e Arquitetura » Como realizar a modelagem de edifícios existentes

Como realizar a modelagem de edifícios existentes

O que é, para que serve e quais ferramentas usar para modelagem BIM dos edifícios existentes. Venha se aprofundar

Às vezes, as equipes de projeto precisam se debruçar com a modelagem 3D de estruturas ou obras já existentes.

Este modelo pode ser desenvolvido de diferentes formas dependendo dos objetivos e pode ser consultado para conferir informações e dados ao longo do tempo.

Vamos ver em detalhes o que é e como é feito usando as tecnologias mais atuais.

A imagem mostra as etapas para modelagem de edifícios existentes: levantamento, exportação da nuvem de pontos e modelagem BIM com base na nuvem obtida.

Modelagem de edifícios existentes

Modelagem de edifícios existentes

O BIM tem muitas vantagens não apenas para o projeto e construção de novas obras, mas também para desenvolvimento e gerenciamento de edificações já construídas.

A “situação atual” de um edifício diz respeito à conformação atual de uma obra, local ou edificação, conforme ela foi encontrada no momento do levantamento, e antes de ser modificada pelas intervenções previstas no projeto.

Um edifício já existente pode ser modelado seguindo diferentes métodos e com um grau de detalhe que depende da finalidade da representação. Na verdade, não existem modelos detalhados e precisos em absoluto, mas apenas modelos que respondem a necessidades e propósitos específicos.

Os propósitos da modelagem de edifícios existentes podem ser muitos:

  • Dispor de um modelo inicial para projetos de reforma, ampliação ou modificação do existente
  • Dispor de um modelo detalhado para usos futuros
  • Elaborar um plano de manutenção
  • Fazer análises energéticas ou estruturais
  • Estimar os custos das intervenções
  • Elaborar práticas de construção
  • Implementar a documentação
  • Fornecer informações detalhadas sobre o layout

Para realizar o modelo de um edifício existente, o ponto de partida é sem dúvida nenhuma o levantamento, que pode ser realizado com diferentes metodologias lembrando que, também neste caso, será dada maior atenção aos detalhes que atendem aos objetivos estabelecidos pelo profissional.

Por exemplo, se o escopo do levantamento for a análise energética de um edifício residencial, será indispensável coletar informações sobre o tipo de luminárias, a estratigrafia das paredes, sistema de aquecimento, etc. De nada adiantará, ao contrário, deter-se nos acabamentos (presença de rebocos, tipo de piso e revestimento, etc.), no mobiliário, no reforço dos pilares, etc.

O levantamento geométrico pode ser realizado com métodos tradicionais (trilateração com métodos clássicos, medidor de distância a laser, etc.) e com técnicas mais avançadas, altamente eficientes e rápidas (estação total, scanner a laser, tecnologia SLAM, drone, etc.) que permitem obter o modelo 3D/BIM de todo o edifício em poucos passos e com um grau de precisão incrível.

Como é feita a modelagem de um edifício existente

Entre os diferentes métodos atualmente disponíveis, vamos nos concentrar em como realizar a modelagem de edifícios existentes a partir de um levantamento com um scanner a laser, processo conhecido como Scan To BIM .

Para saber mais, sugiro que leia também o artigo “Nuvem de pontos: como criar um modelo 3D“.

O profissional encarregado de realizar um levantamento precisa de:

Realize o levantamento com o instrumento mais adequado (scanner a laser, drone, etc.), exporte a nuvem de pontos resultante nos vários formatos padrão (.LAS, .LAZ, .E57) e a importe em um software que possa processá-la e gerenciá-la. A nuvem assim obtida servirá de base para sua modelagem.

Agora vamos mostrar como proceder usando um software de projeto arquitetônico BIM .

Tendo como base a nuvem de pontos, a modelagem em si será bastante rápida, até graças a várias dicas que podem agilizá-la: por exemplo, gerar cortes da nuvem, gerenciar a visibilidade dos diferentes objetos, gerenciar os níveis e aproveitar os reconhecimentos automáticos de objetos.

Em geral, costuma-se primeiramente definir os níveis e as cotas dos diferentes andares do edifício. Na sequência, opta-se por modelar todas as paredes verticais (paredes de vedação, divisórias, paredes de arrimo, etc.) usando a nuvem como referência, e configurar sua estratigrafia e materiais. Finalmente, adicionam-se as janelas e suas propriedades (tipo de vidro, caixilharia, transmitância térmica).

Em poucos passos, obterá um modelo 3D BIM perfeitamente fiel ao estado real do edifício objeto do levantamento. Ainda será possível exportar o modelo assim obtido para o formato IFC, de modo a trocar todas as informações inseridas (estratigrafias, topógrafos, materiais, etc.) com outros profissionais ou inclusive com outros softwares BIM.

Outro grande diferencial é a possibilidade de obter automaticamente as pranchas gráficas a partir do modelo BIM, com plantas, elevações, cortes e vistas 3D. Finalmente, não se esqueça da possibilidade de gerar renders estáticos e apresentações em vídeo.

 

edificius
edificius