Home » BIM e Arquitetura » O que é um Modelo de Informação do Ativo (AIM)?

O que é um Modelo de Informação do Ativo (AIM)?

O AIM é o Modelo de Informação do Ativo criado pela equipe de projeto e coleta todos os dados sobre sua gestão. Descubra como elaborá-lo

A dificuldade que hoje muitas vezes se encontra no controle de uma obra depende principalmente da falta de integração entre programação, projeto, execução e manutenção, o que determina uma “má gestão” da obra.

Você já pensou que o BIM pode orientá-lo a otimizar os procedimentos de gerenciamento de instalações, através da implementação do chamado AIM?

Vamos ver juntos o que é o Modelo de Informações do Ativo e como ele pode ser útil para você.

O que é o AIM, Modelo de Informação do Ativo?

Na sigla AIM (Asset Information Model), o termo asset refere-se a um ativo, um objeto que possui um valor que pode variar ao longo de sua vida.

O AIM é assim o modelo de informação de gestão estratégica dos ativos, que recolhe toda a informação relacionada com as fases de operação, manutenção e gestão e apoia o processo da tomada de decisão durante a vida de um edifício, com o objetivo de maximizar o seu valor e reduzir custos.

Um AIM recolhe todos os conteúdos, validados e verificados, necessários ao funcionamento do ativo:

  • dados gráficos (desenhos e modelos 3D);
  • documentos não gráficos;
  • papéis;
  • ficha de dados;
  • manuais;
  • contratos;
  • informações de prestações;
  • metadados.

A informação contida no AIM, caminhando de mãos dadas com o edifício, está sujeita a atualizações contínuas, devido, por exemplo à:

  • trabalhos de manutenção;
  • reparos ou reformas;
  • mudanças de propriedade.

Um AIM pode se referir a um, dois ou mais ativos ou mesmo todo o grupo de ativos gerenciados por uma determinada organização.

Qual é o AIM de um edifício?

O AIM de uma construção é uma espécie de arquivo digital que contém todo o seu histórico e todas as informações necessárias para sua manutenção futura.

Mas por que um ativo precisa de um modelo de informação para ser gerenciado?

Deparamo-nos hoje com recursos muito complexos com componentes cada vez mais tecnológicos, que geram constantemente inúmeras informações.

Basta pensar em dispositivos de controle como sensores de alarme, termostatos ou dispositivos para regular a iluminação que são parte integrante de uma edificação e requerem determinados procedimentos de manutenção, a serem realizados em momentos específicos de sua vida operacional.

Se não formos céleres nas operações a realizar, podemos acabar com a substituição ou manutenção dos elementos errados, causando uma redução da vida útil dos mesmos e riscos para a segurança de quem os utiliza. Além disso, a redução da vida útil das partes do recurso implica na diminuição do seu valor.

Assim, torna-se imprescindível ter um modelo de informação do ativo que gerencie e mantenha todos os seus processos operacionais atualizados, obtendo melhorias em termos de custos e desempenho e direcionando o Facility Manager para escolhas eficientes.

Para gerir um edifício de forma tão “inteligente”, o AIM deve ser devidamente elaborado e definir imediatamente:

  • os métodos de produção, coleta, manutenção de dados;
  • os métodos de exportação e compartilhamento de dados;
  • os métodos de verificação e controle da precisão e exatidão dos dados;
  • os usuários que terão acesso total ou parcial ao AIM;
  • sistemas de acesso à informação;
  • estratégias de backup.

A partir disso é natural entender que para gerenciar um AIM é essencial trabalhar dentro de um Ambiente Comum de Dados (CDE), que se torna a única fonte de informação para o ativo.

Nesse ambiente de coleta, compartilhamento e gerenciamento, os dados podem ser organizados e vinculados a quatro etapas progressivas:

  • trabalho em progresso: a informação no CDE é assumida e está sendo desenvolvida nas diversas áreas, portanto disponível apenas para as equipes de referência.
  • Compartilhamento: as informações são compartilhadas entre as partes interessadas.
  • Publicação: a informação é verificada e pode ser utilizada.
  • Arquivamento: a informação, na conclusão do trabalho, é mantida.
A imagem mostra as 4 etapas progressivas do CDE

As 4 etapas progressivas do CDE

Para descobrir as vantagens de um CDE e gerenciar melhor sua construção, te convidamos a experimentar uma plataforma de colaboração BIM, que permite trabalhar corretamente de acordo com a metodologia BIM.

O que é o Modelo de Informação do Ativo no BIM?

Para entender completamente o que é AIM em um fluxo de trabalho BIM, leia o artigo ABNT NBR ISO 19650-1.

A norma fornece o guia para direcionar os processos de informação, para que sejam desenvolvidos de acordo com padrões comuns e de forma colaborativa.

A imagem ilustra a hierarquia de requisitos de informação de acordo com a ISO 19650-1- modelo de informação do ativo

Hierarquia de requisitos de informação de acordo com a ISO 19650-1

Ao analisar este esquema é possível compreender que a primeira definição dos pedidos de informação é de responsabilidade da organização, que tem a tarefa de determinar os Requisitos de Informações Organizacionais (OIR).

Este, de acordo com suas necessidades operacionais, terá que definir como:

  • prosseguir com a gestão de um recurso;
  • controlar os riscos associados;
  • desenvolver diferentes intervenções e avaliar o impacto positivo ou negativo;
  • identificar medidas de mitigação para qualquer dano.

A fim de identificar os aspectos gerenciais e os procedimentos técnicos do ativo necessários para atender a esses requisitos, é elaborado o Requisito de Informação do Ativo (AIR).

Por um lado, o AIM coleta informações, relativas ao projeto e execução, úteis para o exercício do ativo; por outro lado, ele realiza o AIR com todos os requisitos de informação relacionados ao uso, gerenciamento e manutenção:

  • listas de equipamentos;
  • ficha de dados;
  • datas e custos de manutenção.

Portanto, é fácil entender como o BIM permite analisar todo o ciclo de vida da construção:

  • ajuda a dar os primeiros passos na concepção da geometria arquitetônica ou dos materiais;
  • segue na construção da estrutura ou sistemas;
  • apoia nas operações de gestão de ativos.

Para controlar o seu edifício, apoiar as fases de gestão e atualizar continuamente os dados relativos ao uso e manutenção, sem cometer erros que poderiam causar maiores custos, recomendamos que obtenha suporte para seu trabalho com um aplicativo de Facility Management integrado com o seu modelo BIM.

Todas as atividades de verificação, controle e manutenção serão realizadas diretamente no aplicativo e sempre que forem atualizadas, a alteração será imediatamente visível no modelo.

Qual é a diferença entre AIM e PIM?

O Modelo de Informação do Ativo (AIM) e o Modelo de Informações do Projeto (PIM) são dois modelos de informação, mas diferem no conteúdo e na fase de referência:

  • AIM — Refere-se à fase de operação de uma obra e contém todas as informações relativas à sua utilização, gestão e manutenção.
  • PIM Recolhe toda a informação relativa à fase de projeto e execução e termina com a entrega da obra.
 A imagem ilustra a diferença entre AIM e PIM -modelo de informação do ativo

Diferença entre AIM e PIM

Em um fluxo operacional BIM para projeto, construção e posterior gestão de uma obra, o PIM é extremamente útil para a elaboração do AIM.

De fato, uma vez identificados os requisitos de informação úteis à gestão e que envolvem imediatamente os procedimentos de gestão das instalações, basta filtrar eficientemente os dados contidos no modelo PIM para dar vida ao AIM.

 

usbim
usbim