Home » BIM e Projeto de construção » Fluxo de trabalho BIM: o que é e porque faz a diferença

Fluxo de trabalho BIM: o que é e porque faz a diferença

O BIM é um fluxo de trabalho que suporta a criação de dados inteligentes que podem ser usados durante todo o ciclo de vida de um edifício

O BIM não é apenas um software nem simplesmente um modelo 3D: é uma base de dados que contém além dos elementos do modelo também uma grande quantidade de informação que compõem o projeto como um todo.

O processo BIM permite obter um modelo útil para todo o ciclo de vida da obra e, acima de tudo isto, existe claramente um fluxo de trabalho que difere do fluxo de trabalho tradicional pré-BIM.

Neste artigo vamos descobrir juntos as fases do fluxo de trabalho BIM e porque sua aplicação fará a diferença na sua forma de projetar.

Em que consiste um fluxo de trabalho BIM?

O fluxo de trabalho BIM suporta a criação de dados inteligentes que podem ser utilizados durante todo o ciclo de vida de uma obra.

Enquanto os fluxos de trabalho tradicionais “pré-BIM” são baseados em arquivos de vários formatos e processos desconectados uns dos outros — perdendo facilmente a sincronização no momento de uma mudança de projeto —, o fluxo BIM permite uma abordagem muito mais dinâmica e colaborativa que prevê o investimento de uma maior quantidade de tempo na fase de planejamento para então obter uma enorme vantagem em termos de tempo, custos e energia durante todas as fases subsequentes do projeto, até a gestão operacional dos ativos.

Algumas das vantagens de um fluxo de trabalho BIM são:

  • a possibilidade de criação, visualização e simulação do modelo ajudam a garantir que o projeto esteja dentro das diretrizes estabelecidas pelos proprietários, arquitetos, engenheiros e gestores de sustentabilidade;
  • as atividades de documentação e coordenação são realizadas dentro de um conjunto de programas interoperáveis e as informações podem ser compartilhadas com todos os profissionais envolvidos no projeto;
  • as ferramentas de resolução de conflitos garantem uma redução drástica de tempos e custos.

No fluxo de trabalho BIM, mais tempo é gasto na fase de planejamento e na fase esquemática, pois é durante essas etapas do processo que são tomadas uma série de decisões e todas as informações do modelo são implementadas, construindo o edifício digitalmente e não fisicamente. Esta abordagem claramente traz imensos benefícios não só a curto, mas sobretudo a longo prazo.

A imagem ilustra um exemplo rocesso BIM comum -Fluxo de trabalho BIM

Processo BIM comum

Em vez disso, seguindo o fluxo de trabalho tradicional, as fases de planejamento e projeto serão relativamente curtas, mas não haverá informatização do modelo, nenhuma detecção de conflitos e nenhuma avaliação econômica prévia. Isso significa que, muito provavelmente, durante os estágios posteriores do desenvolvimento de projeto e de execução será necessário retocar o projeto e “retornar à prancheta” com consequente perda de tempo, custos e recursos.

A imagem ilustra um exemplo de processo comum pré BIM

Processo comum pré BIM

O fluxo de trabalho BIM permite a construção digital prévia do ativo que permite simular qualquer cenário futuro e gerir a obra durante todo o seu ciclo de vida.

Outro aspecto positivo do fluxo de trabalho BIM que não deve ser subestimado é a maior simplificação da integração de documentos. Sendo um modelo informatizado, os documentos já fazem parte do modelo e são atualizados continuamente conforme você altera o projeto.

Então a fase de revisão de documentos, quando uma mudança é necessária, ela é bastante reduzida, se não eliminada por completo.

O que é um fluxo de trabalho aberto BIM?

Vamos começar dizendo que o openBIM é uma abordagem universal para projeto colaborativo, construção e gerenciamento de edifícios com base em padrões e fluxos de trabalho ‘abertos’.

Um fluxo de trabalho planejado via tecnologia openBIM será, portanto:

  • colaborativo;
  • multidisciplinar;
  • multi usuário.

Em um fluxo de trabalho verdadeiramente openBIM, todos os participantes podem colaborar e trocar informações do projeto usando formatos de arquivo neutros não proprietários, independentemente das ferramentas e aplicativos BIM que usam.

A metodologia BIM portanto, prevê que o projeto seja interoperável e compartilhável em plataformas colaborativas específicas onde for possível:

  • compartilhar seu modelo BIM com outros profissionais, cada um com funções e permissões específicas;
  • gerar o modelo federado do projeto, integrando os vários modelos criados com os diferentes softwares BIM;
  • criar um sistema de dados relacionado;
  • criar fluxos de trabalho de projeto específicos.

Tomemos um exemplo concreto: suponhamos que o arquiteto, o engenheiro estrutural e o instalador desenvolvam cada um seu próprio projeto com um software diferente. Em um fluxo de trabalho tradicional, esse pode ser um cenário desagradável porque softwares diferentes produzem modelos de saída diferentes, resultando em perda de dados.

Ao contrário, uma abordagem openBIM permite a passagem de informações entre as várias disciplinas através do formato IFC: o engenheiro estrutural pode associar os metadados a determinados elementos do projeto para que, ao exportar o IFC, as informações sobre — por exemplo — a posição e os materiais de um pilar estejam no lugar certo quando outros técnicos tiverem que se referir a ele.

O openBIM envolve várias equipes exportando para o IFC para comunicar o status atual de seus projetos. As outras equipes tomam esse arquivo como referência, trabalhando nele para entregar um projeto coordenado.

Afinal, como é feito?

Um fluxo de trabalho BIM é feito de tal forma que todas as etapas são dinâmicas e colaborativas.

No fluxo de trabalho BIM, o modelo 3D clássico é informatizado e compartilhado em plataformas colaborativas específicas. O compartilhamento permite a união dos modelos relacionados às diversas disciplinas, que se coordenam entre si, produzindo um modelo BIM sempre atualizado e cada vez mais completo.

Um fluxo de trabalho baseado na metodologia BIM também permite:

  • incorporar documentos de informação, criando um sistema de dados relacionado;
  • produzir facilmente documentação técnica, sempre atualizada.

A seguir te mostraremos um diagrama de um fluxo de trabalho BIM para entender ainda mais como é:

  • vantajoso;
  • multidisciplinar e multiusuário;
  • transparente e colaborativo.
A imagem ilustra um esboco de um fluxo de trabalho BIM

Esboço de um fluxo de trabalho BIM

Neste ponto, você só precisa experimentar a nova fronteira do design: interdisciplinar, colaborativo, eficiente.

Poderá começar a fazer isso provando um software BIM grátis por trinta dias e comprovar todos os benefícios de uma plataforma colaborativa.

 

usbim
usbim