Papel e usos do GIS nas cidades inteligentes

O GIS vem com um documento específico em cada fase do ciclo de vida da cidade. Descubra o GIS nas cidades inteligentes e saiba qual o seu papel


As cidades inteligentes são espaços urbanos que aplicam Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e Internet das Coisas (IoT) para otimizar e melhorar a infraestrutura e os serviços aos cidadãos, tornando-os mais eficiente e sustentável.

No entanto, para uma implementação eficiente de um projeto de cidade inteligente, é necessário desenvolver um sistema digital capaz de gerenciar e exibir dados geoespaciais em um ambiente amigável. A solução para essa necessidade está na implementação do Sistema de Informações Geográficas (GIS) que oferece recursos avançados e fáceis de usar para projetos de cidades inteligentes.

O GIS desempenha um papel primordial nas várias fases do ciclo de vida de uma cidade, inclusive na manutenção onde o uso da tecnologia GIS e software de gestão de ativos da cidade permitem uma gestão mais inteligente na cidade. Então, vamos explorar juntos o papel e os usos de IOTs e GIS nas cidades inteligentes.

O GIS pode ser usado no planejamento da cidade?

Não só a resposta a esta questão é afirmativa, como também podemos garantir que, ao planejar uma cidade, o fator determinante para o sucesso de um projeto tão complexo é precisamente uma plataforma BIM colaborativa que permite a integração, coordenação e funcionamento sinérgico dos vários participantes no ecossistema da cidade inteligente.

Um sistema de informação centralizado baseado em GIS integra não só todas as partes interessadas, mas também todos os aspectos dos processos de cidade inteligente, a partir de conceituação, planejamento e desenvolvimento até a manutenção.

A imagem ilustra um exemplo de fluxograma GIS nas cidades inteligentes

GIS nas cidades inteligentes

Abaixo vemos como o GIS é útil para todas as fases do ciclo de vida de uma cidade:

  • aquisição: nesta primeira etapa, os locais certos para o desenvolvimento da cidade são interceptados e seus limites legais são identificados.
  • Planejamento e design: nesta fase a integração do GIS com as ferramentas de design, entre as quais a Modelagem de Informação da Construção (BIM), oferece análises de projeto maiores e mais poderosos e recursos de estimativa de tempo e custo.
  • Construção: na fase de construção é possível integrar o software de gestão de projetos e finanças com o GIS de forma a disponibilizar um ponto único de acesso a todos os documentos e ficheiros executivos.
  • Manutenção: nesta última fase é possível potenciar a atividade de manutenção integrando a informação técnica do modelo digital georreferenciado, com informação de manutenção e relativa a prazos.

Quais são os usos do GIS nas cidades inteligentes IOT?

Para ter certeza de criar um projeto de cidade inteligente eficiente, sério e visionário, não podemos desconsiderar o uso do GIS e o planejamento integrado, requisitos que sabemos que podem ser encontrados em metodologia BIM. A utilização integrada do GIS e BIM permite tratar todas as fases do ciclo de vida de um ativo urbano, desde o planejamento à manutenção, de forma eficaz e com poupança de tempo e custos.

Os usos integrados do GIS e BIM estão ligados aos requisitos de projeto do ativo urbano e aos componentes do patrimônio municipal a serem geridos posteriormente, esses usos serão, portanto:

Construção de modelos digitais

O primeiro passo consiste na criação do modelo digital da cidade em que são descritos os vários componentes urbanos. A combinação do GIS e BIM fornece uma ferramenta poderosa para construir o modelo urbano digital com dados georreferenciados e visualizar esses dados em um ambiente amigável. Para aproveitar ao máximo os benefícios da integração BIM-GIS no design de cidades inteligentes, sugerimos que você use o software BIM-GIS.

Catalogação de todos os bens urbanos

Graças a um específico software de gestão de ativos municipais é possível identificar e catalogar o patrimônio urbano e fica claro como isso simplificará muito a fase de gestão e manutenção.

Informatização de sistemas urbanos

A integração entre GIS e BIM permite georreferenciar os ativos, incluindo todos os sistemas urbanos, e enriquecer o modelo digital com o conteúdo de informação necessário para gerir a fase de gestão posterior.

Georreferenciamento das atividades de manutenção e locais de intervenção

Em virtude do uso da tecnologia GIS é possível identificar as redes de sistemas urbanos diretamente nos mapas e acessar o conteúdo das informações que lhes dizem respeito, incluindo o georreferenciamento do programa de manutenção.

Qual é o papel do GIS na gestão de cidades inteligentes?

Integrar o GIS na gestão de cidades inteligentes permite empreender iniciativas que favorecem a sustentabilidade, a otimização e a economia de recursos.

Vamos ver em detalhes em quais aspectos o GIS na gestão de cidades inteligentes faz sua valiosa contribuição.

Gestão de energia
A gestão de energia é um tema sempre presente e sob o olhar atento de todos os designers. É claro que quando a questão energética assume uma dimensão tão grande como a de uma cidade, buscar uma gestão inteligente tem uma importância que não deve ser subestimada. A gestão inteligente de energia dentro de um sistema urbano contribui para a redução da poluição luminosa e até 30% de economia nos custos de energia.

Gestão de recursos hídricos
O uso da água é, principalmente hoje com a ameaça premente das mudanças climáticas, um aspecto a ser enfrentado da forma mais responsável e inteligente possível. Estudos demonstraram que aproximadamente 16% da água potável é desperdiçada todos os anos devido a falhas na rede. Uma gestão baseada em GIS certamente ajudaria a reduzir esse percentual.

Gestão do sistema de transporte
Outro serviço urbano em que o GIS pode intervir é o da mobilidade urbana, tanto privada como pública. A gestão da mobilidade baseada no uso da tecnologia GIS converteria o sistema de transporte da cidade em um serviço eficiente, seguro e, acima de tudo, sustentável.

Gestão de resíduos municipais
Não esqueçamos a coleta, transporte e gestão dos resíduos sólidos urbanos, em um cenário onde, à medida que a população e seu desenvolvimento econômico aumentam, aumenta também a quantidade de resíduos gerados, e onde, portanto, sua gestão sustentável está se tornando cada vez mais importante.

Criação de planos de manutenção
Graças à integração do GIS e da metodologia BIM é possível criar planos de manutenção automáticos, ordinários e extraordinários, registar e gerir os pedidos de assistência e manutenção.

 

usbim-maint
usbim-maint