Home » BIM e MEP » Como adotar a manutenção centrada na confiabilidade

Como adotar a manutenção centrada na confiabilidade

A manutenção centrada na confiabilidade (RCM) prevê uma manutenção específica para cada componente do ativo. Conheça seus benefícios

Todo profissional do setor AECO sabe que, embora a fase de projeto seja a primeira entre o ciclo de vida de um ativo, ela não é mais substancial. O primado, tanto em termos de tempo como de custos, pertence à fase de gestão e manutenção.

Para enfrentá-la, é oportuno se auxiliar com software de gestão de manutenção e estratégias corretas: uma delas é a manutenção centrada na confiabilidade. Mas será que realmente sabemos o que é e como implementá-lo em nosso fluxo de trabalho? Vamos descobrir juntos neste artigo!

O que é a manutenção centrada na confiabilidade (RCM)?

O termo “manutenção centrada na confiabilidade” vem do inglês Reliability Centered Manteinance (RCM) e é uma estratégia de manutenção implementada para otimizar a fase de gestão e manutenção de um ativo.

Esta abordagem de manutenção foi introduzida pela primeira vez no setor de aviação e consiste em adotar uma estratégia específica para cada uma das partes da estrutura. O processo consiste em identificar os potenciais problemas associados aos vários componentes do ativo e determinar, para cada um deles, as possíveis soluções de modo a assegurar a continuidade de seu funcionamento .

A manutenção focada na confiabilidade é muitas vezes confundida com a manutenção preventiva, embora haja uma diferença fundamental: a manutenção preventiva tem um nível de seletividade e detalhamento menor que a RCM, e isso também a torna menos eficiente. Quando executada corretamente, a manutenção centrada na confiabilidade reduz a ineficiência examinando cuidadosamente cada recurso individual antes de atribuir tarefas de manutenção.

O objetivo do RCM é, portanto, garantir que as atividades de inspeção e manutenção sejam focadas em melhoria da confiabilidade e segurança de todos os componentes do ativo.

Quais são os quatro princípios básicos de um programa de RCM?

Um bom programa de manutenção centrada na confiabilidade seguirá estes quatro princípios básicos:

  1. projetado e estruturado com o objetivo final de preservar a funcionalidade do ativo;
  2. identifica quais problemas os vários componentes do ativo podem encontrar e como esses problemas podem se manifestar;
  3. estabelece uma ordem de importância das avarias a que, claramente, corresponde uma prioridade de intervenção;
  4. define os vários métodos de intervenção para cada potencial falha e seleciona os mais eficazes.

Como implementar um programa de manutenção centrada na confiabilidade?

Para implementar um programa baseado na manutenção centrada na confiabilidade, bastará seguir três estágios (decisão, análise e ato) dentro das quais se distinguem sete passos. Vamos dar uma olhada mais de perto neste processo.

Fase 1: decisão

Nesta primeira fase, é realizado um planejamento baseado na necessidade, prontidão e resultados desejados. Dentro desta primeira fase, distinguimos três passos :

  1. Análise preliminar
    Esta fase será tanto mais eficaz quanto mais multidisciplinar for a equipa. Uma equipe interdisciplinar e eficaz incluirá funcionários de manutenção, gerentes de projeto, especialistas em assuntos de gestão e manutenção até a liderança executiva. É necessário definir os objetivos organizacionais, os potenciais obstáculos, o orçamento e o cronograma.
  2. Escolha dos equipamentos
    Para selecionar o melhor equipamento para análise RCM, será útil responder a estas perguntas:

    • a falha pode ser difícil de detectar durante as normais operações de manutenção?
    • A falha pode afetar a segurança?
    • A falha pode ter um impacto significativo nas operações?
    • A falha pode ter um impacto significativo nos custos?
  3. Identificar componentes e funções
    Criar uma lista completa das funcionalidades e níveis de desempenho esperados das várias partes da estrutura, incluindo o máximo de dados possível.

Fase 2: análise

Esta segunda fase é usada para garantir que a manutenção centrada na confiabilidade forneça resultados de qualidade. Ela é articulada em três passos onde são i) identificadas as avarias, ii) suas consequências e iii) os modos como elas podem se manifestar.

É oportuno analisar as situações ao redor que podem ter causado a falha. Uma das técnicas mais comuns para lidar com esta etapa é análise do modo e efeito de falha, ou simplesmente FMEA (do inglês Failure Mode and Effect Analysis): ela consiste em uma análise minuciosa de cada componente e de qualquer falha que possa ocorrer em qualquer fase do ciclo de vida dele.

Fase 3: ação

Nesta terceira fase pretende-se atuar com base no que surgiu nas fases anteriores, atualizando os procedimentos e o programa de manutenção. Esta terceira fase verá desenvolver apenas um passo que é o da escolha do tipo de manutenção. Portanto, deve-se elaborar um plano de operação e manutenção com base nos dados coletados nas fases anteriores. É possível responder às avarias tanto com atividades proativas (manutenção preventiva e preditiva para evitar a falha de um equipamento ou de um componente do ativo) como com atividades reativas (manutenção corretiva que intervém após a ocorrência da avaria).

A imagem ilustra um programa de manutenção centrada na confiabilidade (RCM)

Programa de manutenção centrada na confiabilidade (RCM)

Quais são os benefícios da manutenção centrada na confiabilidade?

Quando se trata de escolher qual abordagem de manutenção adotar, muito dependerá das características do ativo específico. No entanto, podemos afirmar que a implementação da manutenção centrada na confiabilidade apresenta as seguintes vantagens:

  • maior disponibilidade de equipamentos;
  • redução dos custos de manutenção.

Um estudo mostra como a adoção do programa RCM leva a uma redução nos custos de manutenção de até 40%. Em geral, portanto, a redução dos custos de manutenção e o risco de falhas e mau funcionamento são fatores que levam à implantação de um programa de RCM.

Uma análise preliminar detalhada do ativo e seus componentes é essencial para determinar a abordagem de manutenção que melhor se adapte ao caso. Igualmente importante é confiar em tecnologias profissionais que apoiam os técnicos com o objetivo de obter sempre o máximo em termos de eficiência e eficácia. Por esta razão recomendamos usar um software de gestão de manutenção profissional que permite simplificar a manutenção de qualquer tipo de instalação, planejando atividades e gerenciando problemas em uma única plataforma.