Home » BIM e facility management » Manutenção e confiabilidade: diferenças e objetivos

Manutenção e confiabilidade: diferenças e objetivos

Manutenção e confiabilidade indicam aspectos diferentes, mas compartilham um único propósito: assegurar o funcionamento do bem. Entenda mais!


Se é um profissional do setor AECO, certamente terá gerido ativos e atividades de manutenção através de um software de gestão de manutenção, e também terá se deparado com o conceito de confiabilidade de um ativo.

Manutenção e confiabilidade, embora indicadores de coisas diferentes, estão intimamente relacionados entre si. Mas por que este par é tão importante para nossos ativos? Que objetivos eles compartilham? Vamos fazer um balanço da situação juntos neste artigo!

O que significa manutenção e confiabilidade?

Os dois termos estão estreitamente ligados entre si e por isso acontece que eles são usados um vez do outro. A realidade, porém, é que “manutenção” e “confiabilidade” referem-se a diferentes conceitos.

Para entender a diferença entre esses dois termos, vamos começar com sua definição:

  • para manutenção, entende-se o conjunto de todas as ações destinadas a restaurar ou manter um ativo nas condições que lhe permitem desempenhar sua função. Nem é preciso dizer que a manutenção, em certo sentido, protege a confiabilidade do ativo.
  • Para confiabilidade, em vez disso, entende-se a probabilidade de um ativo desempenhar sua função por um período de tempo específico sem ter que intervir devido a falhas imprevistas.

Embora os dois termos indiquem coisas distintas, relendo as definições, podemos perceber que há um aspecto comum: ambos agem de forma que o ativo possa executar a função para o qual foi projetado. Daí a forte ligação entre os dois conceitos.

Pensando um pouco sobre os vários tipos de manutenção, podemos identificar uma relação entre o tipo de abordagem de manutenção e a confiabilidade do ativo:

  • com a manutenção preventiva evitamos a ocorrência de falhas e mantemos o ativo no estado de confiabilidade com o qual foi projetado;
  • com a manutenção corretiva agimos depois que a falha já ocorreu e permitimos que o ativo recupere a confiabilidade perdida devido à falha, restaurando as condições de confiabilidade planejadas.
A imagem ilustra um exemplo de manutenção e confiabilidade

Manutenção e confiabilidade

Quais são os objetivos comuns?

Dissemos que os dois termos indicam abordagens diferentes do bem, mas eles compartilham o objetivo final. Mais especificamente, eles têm os seguintes objetivos comuns:

  • manter o ativo atualizado: o objetivo da manutenção e confiabilidade é manter os bens atualizados e em bom estado, garantindo que não ocorram problemas durante a produção e que a qualidade do produto final não seja afetada.
  • Minimizar os custos de produção: ao garantir a confiabilidade e a manutenção do ativo, é possível aumentar a eficiência e otimizar os recursos, o que, por sua vez, contribui para a redução dos custos de produção.
  • Aumentar a segurança no trabalho: uma das formas de aumentar a segurança no trabalho e reduzir o número de acidentes é justamente manter seguros e confiáveis todos os veículos e equipamentos, bem como os próprios bens.
  • Usar os ativos durante toda a sua vida útil: a realização de inspeções regulares e intervenções proativas de manutenção ajudam a identificar e corrigir possíveis avarias, prolongando a vida útil do ativo.

Fica claro, portanto, que, embora os dois termos indiquem coisas diferentes, eles compartilham propósitos comuns relacionados à funcionalidade, a custos e, acima de tudo, à segurança.

Quais são os cinco pilares de manutenção e confiabilidade?

É fácil imaginar que o gestor de facilities seja uma função delicada e complexa, que exige um planejamento cuidadoso e prévio. A seguir analisamos os cinco pontos-chave dos dois conceitos que podem auxiliar o gestor de manutenção na organização do processo de manutenção:

  1. negócios e gestão: este primeiro pilar se concentra na criação de metas de manutenção e confiabilidade que suportam as metas gerais de negócios.
  2. Confiabilidade do processo de produção: este segundo pilar conecta as atividades de manutenção e confiabilidade com a melhoria do processo produtivo de uma planta. Por exemplo, se uma instalação gerencia a produção de peças complexas de equipamentos, benchmarks, tarefas e metas de manutenção e confiabilidade devem garantir que essas peças permaneçam em boas condições de funcionamento.
  3. Confiabilidade do equipamento: as atividades relacionadas a este terceiro pilar dizem respeito tanto aos gerentes de planta que devem avaliar as capacidades dos equipamentos e processos produtivos, quanto ao gerente de instalações que deve priorizar aquelas atividades que gerem o máximo retorno mantendo o ativo seguro e funcional.
  4. Organização e liderança: este pilar gira em torno da gestão da equipe de manutenção, das suas competências e formação para que cumpra os objetivos de manutenção e fiabilidade-
  5. Gerenciamento de trabalho: o último pilar envolve todas as habilidades e atividades que determinam a gestão do processo de manutenção, como planejamento, controle de qualidade e gestão de armazéns, necessários para atingir os objetivos de manutenção e confiabilidade. Os gerentes de instalações podem usar software de gerenciamento de manutenção para gerenciar dados, facilitar a análise e agendar ordens de serviço para atingir as metas de manutenção e confiabilidade.
A imagem ilustra um exemplo de 5 pilares da manutenção e da confiabilidade

Os cinco pilares da manutenção e da confiabilidade

Por que a manutenção e a confiabilidade são importantes?

A importância da manutenção e da confiabilidade é bastante evidente, mas vamos ver juntos porque nenhum deles pode ser ignorado e como a interação deles representa a combinação perfeita para o nosso ativo.

A manutenção envolve a resolução de avarias e mau funcionamentos antes e depois da sua ocorrência. A mercadoria e todas as partes que a compõem são mantidas em condições ideais de operação e segurança graças à manutenção.

A confiabilidade, por outro lado, visa estabelecer uma estratégia mais abrangente que aborda as causas principais da falha.

Então, enquanto a confiabilidade caracteriza por quanto tempo um bem pode funcionar sem problemas, a manutenção descreve a probabilidade de que o mesmo ativo possa ser restaurado após a ocorrência da falha.

Em geral, deve-se almejar ter um ativo 100% confiável e ver a manutenção como uma das ferramentas para isso. O objetivo da manutenção é justamente em certo sentido preservar a confiabilidade do bem.

É certo que para poder gerir e manter um ativo de forma a garantir a sua total fiabilidade, é fundamental efetuar um rigoroso planejamento e posterior gestão dos trabalhos de manutenção. Por esse motivo, recomendamos que você experimente o software de gerenciamento de manutenção que permite otimizar o planejamento das atividades de manutenção, reduzindo os tempos e custos de manutenção.

usbim-maint
usbim-maint