Home » BIM e facility management » Métricas e KPIs de manutenção: como e quais monitorar

Métricas e KPIs de manutenção: como e quais monitorar

As métricas e KPIs de manutenção são parâmetros e indicadores que se pode monitorar a eficácia dos processos de manutenção. Saiba mais!

Ser capaz de medir o progresso para atingir os objetivos de manutenção é um dos principais fatores que determinam o sucesso de um sistema de produção. As métricas e KPIs de manutenção servem exatamente para isso: proporcionar às empresas e profissionais de Facility Management e os parâmetros e indicadores necessários para avaliar seu desempenho e capacidade operacional ao longo do tempo.

A seguir, veremos mais de perto o significado e a importância das métricas e KPIs de manutenção, tentando entender quais são as características que os diferenciam. Também forneceremos uma lista detalhada das métricas mais importantes que toda organização deve acompanhar para otimizar os processos de negócios e melhorar a eficácia das práticas de manutenção.

Antes de se aprofundar no assunto, sugerimos que você use um software de gestão de manutenção para gerenciar melhor todas as atividades relativas à monitorização de métricas e KPIs,  esta ferramenta, de fato, constitui um apoio indispensável para alcançar os objetivos essenciais da manutenção.

O que são métricas de manutenção?

As métricas de manutenção são métricas bem definidas e quantificáveis que monitoram a atividade de manutenção diária dentro de uma empresa e têm como objetivo ajudar os profissionais de manutenção a avaliar o desempenho de pessoas, máquinas, ativos, processos e muito mais.

Simplificando, essas medições fornecem uma imagem precisa e confiável de como tudo e todos estão operando dentro de uma instalação e são essenciais para orientar os processos de tomada de decisão e melhorar a eficácia das práticas de manutenção continuamente.

As métricas mais comuns podem ser divididas em três categorias diferentes, como segue:

  • métricas de desempenho de recursos, que são usados para monitorar as taxas de falha dos equipamentos e avaliar as condições de operação de cada planta ou maquinário individual;
  • métricas operacionais, que servem para quantificar a eficácia dos programas de manutenção e para analisar o desempenho dos vários departamentos na consecução dos objetivos neles definidos;
  • métricas de inventário, que ajudam a otimizar as estratégias de controle, rastreamento e gestão de estoques e peças de reposição.

A disponibilidade de dados mensuráveis (fornecidos pelas métricas que acabamos de ilustrar) não só facilita a identificação dos pontos fortes, fracos e oportunidades de melhoria dos processos de manutenção, mas, como veremos melhor adiante, constitui um elemento de fundamental importância para quantificar o progresso na consecução dos objetivos finais de uma organização.

A imagem ilustra um exemplo de tipos de manutenção métrica-Métricas e KPIs de manutenção

Tipos de manutenção métrica

O que são KPIs de manutenção (Key Performance Indicators)?

Os indicadores chave de desempenho, conhecido simplesmente como KPIs, são benchmarks vinculados aos objetivos corporativos que têm como objetivo monitorar o andamento e a eficácia dos processos mais estratégicos, além de fornecer informações úteis sobre o desempenho de uma organização como um todo.

Concretamente, os KPIs de manutenção ajudam as empresas e os gestores de facilities a quantificar os progressos alcançados no domínio da manutenção, destacando os resultados já alcançados, os objetivos ainda por alcançar e todas as ações a realizar para alcançar a satisfação de um determinado objetivo.

Se o objetivo final de uma organização é, por exemplo, reduzir os custos de produção em um determinado valor, já que a manutenção é um dos fatores que afetam diretamente o alcance desse objetivo, pode ser útil para uma empresa monitorar índices de desempenho relacionados a despesas departamentais, paradas de equipamentos e gerenciamento adequado de ordens de serviço.

Métricas de manutenção e KPIs: qual a diferença?

Métricas de manutenção e KPIs são métricas muito semelhantes e são geralmente usadas de forma intercambiável porque ambas medem o desempenho de uma empresa em relação a determinados objetivos.

Na verdade, há uma grande diferença entre esses dois conceitos, pois os KPIs de manutenção são números que vinculam os objetivos finais da organização ao desempenho da manutenção, enquanto as métricas de manutenção vinculam o desempenho da manutenção à eficácia dos processos diários de manutenção.

Por outras palavras, os indicadores chave de desempenho permitem definir os objetivos a atingir e dimensionar os resultados obtidos face aos objetivos estabelecidos. As métricas, por outro lado, servem para conectar as ações diárias de manutenção aos desempenhos a serem monitorados e representam os blocos de construção com os quais é possível construir os KPIs.

Querendo dar um exemplo para esclarecer melhor a diferença entre métricas de manutenção e KPIs, digamos que o objetivo final de uma empresa seja aumentar a receita em 20%. As receitas são diretamente afetadas pelas paradas (quanto menos instalações em operação, menos produtos são fabricados e vendidos). O tempo de inatividade do equipamento é, portanto, um dos KPIs de manutenção a monitorar. Em vez disso, todas as ações quantificáveis que podem influenciar o tempo de inatividade, como o tempo médio de reparo (MTTR) ou a porcentagem de manutenção planejada, constituem as métricas de manutenção a serem monitoradas.

6 métricas de manutenção essenciais para monitorar

A escolha das métricas de manutenção a referir está intimamente ligada ao setor de aplicação, aos objetivos a cumprir e ao tipo de recursos a gerir, pelo que nem todas as métricas assumem a mesma importância para todas as empresas.

No entanto, é possível definir uma lista dos parâmetros mais significativos nos quais cada organização deve se concentrar para avaliar os efeitos e a validade de suas estratégias de manutenção. Esta lista inclui:

  • o tempo médio entre falhas (MTBF): é um parâmetro que só pode ser medido para bens reparáveis e é usado para quantificar o tempo médio que decorre entre a ocorrência de uma falha e o início da seguinte, durante o funcionamento normal de um equipamento. Quanto maior o tempo médio entre falhas, maior a capacidade da usina de operar corretamente e sem interrupções. Saber quanto tempo um equipamento específico vai durar permite se preparar com antecedência para eventos de erro e otimizar as estratégias de manutenção preventiva.
  • O tempo médio para reparo (MTTR): é uma medida da manutenibilidade dos elementos reparáveis e é usada para quantificar o tempo médio gasto pela equipe de manutenção para reparar um ativo com falha. Essa métrica tem um impacto significativo nos resultados financeiros de uma organização porque um valor muito alto pode levar a atrasos no atendimento de pedidos ou falha em atingir as metas de negócios. O tempo médio para reparo inclui especificamente o tempo necessário para diagnosticar o problema, o tempo de reparo, o período de teste e o retorno às condições normais de operação. O monitoramento dessa métrica é fundamental para identificar e eliminar ineficiências em processos de manutenção não planejada.
  • A eficácia geral do equipamento (OEE): é uma métrica usada para medir o desempenho geral de uma planta ou, de forma mais geral, de todo o sistema de produção. Existem essencialmente três elementos essenciais envolvidos na quantificação deste parâmetro: qualidade, desempenho e disponibilidade. De fato, uma pontuação OEE de 100% significa que uma empresa é capaz de produzir peças da melhor qualidade, com 100% de desempenho (ou seja, com a maior velocidade de produção possível) e com máxima disponibilidade de equipamentos, garantida por um número reduzido de paradas e interrupções operacionais.

Os três parâmetros que acabamos de ilustrar fazem parte do chamado métricas de desempenho de recursos sobre o qual falamos anteriormente. As métricas operacionais mais comuns incluem, no entanto:

  • a porcentagem de manutenção planejada (PMP): representa a porcentagem de tempo gasto em tarefas de manutenção planejadas em relação a não planejadas. É uma métrica valiosa para rastrear a integridade dos programas de manutenção preventiva e identificar processos ineficientes. Se o valor do PMP for elevado, significa que os planos de manutenção implementados por uma empresa são eficazes e que as várias equipes conseguem minimizar as intervenções de manutenção corretiva. O padrão PMP exigido mundialmente é superior a 90% (valores não inferiores a 70% ainda são considerados aceitáveis).
  • A conformidade de manutenção preventiva (PMC): é outra métrica utilizada para avaliar a consistência dos programas de manutenção preventiva. Mede quantas das tarefas de manutenção programadas foram concluídas em um determinado período. O monitoramento da conformidade do PM é de suma importância para otimizar os cronogramas de manutenção, utilizar os recursos de forma eficaz e garantir que o equipamento esteja sempre fornecendo o máximo de confiabilidade.

Com referência as métricas de inventário, um dos parâmetros mais importantes que toda empresa deve acompanhar é:

  • o índice de rotação: representa a relação entre o valor dos estoques adquiridos e o valor dos estoques atualmente disponíveis. Essa métrica dá uma ideia da rapidez com que as mercadorias estão fluindo pelo depósito e é essencial para medir a eficácia do investimento de uma instalação em diversos ativos e peças de reposição.
A imagem ilustra um exemplo de métricas de manutenção a serem monitoradas-Métricas e KPIs de manutenção

Métricas de manutenção a serem monitoradas

Afinal, como fazer a medição das métricas?

Agora que vimos quais são as métricas de manutenção mais importantes para manter sob controle, vamos tentar entender quais ferramentas realmente permitem calcular e monitorar esses parâmetros.

Um bom CMMS (Computerized Maintenance Management System) certamente representa a melhor solução para coletar informações precisas de cada recurso e obter uma visão completa, contínua e confiável de cada processo de manutenção.

Estes sistemas são especialmente concebidos para simplificar a gestão de diferentes atividades (mesmo remotamente) e para fornecer relatórios totalmente automatizados que ajudam a melhorar a tomada de decisões e a medir o progresso para alcançar seus objetivos finais de manutenção.

Se você também está procurando a ferramenta certa para calcular e rastrear automaticamente métricas e KPIs de manutenção do seu interesse, deixe-se apoiar de imediato por um software de gestão de manutenção, o sistema que ajuda você a analisar o desempenho de seus equipamentos, elimina a necessidade de cálculos manuais complexos e representa uma ferramenta de fundamental importância para monitorar qualquer aspecto, processo ou atividade relacionada à manutenção de seus ativos.

 

usbim-maint
usbim-maint