Home » BIM e facility management » 5 melhores práticas para melhorar a eficiência na manutenção

eficiência na manutenção

5 melhores práticas para melhorar a eficiência na manutenção

A eficiência da manutenção refere-se à capacidade de otimizar a gestão de ativos e minimizar o desperdício de tempo e recursos. Descubra como melhorar a eficiência da manutenção


A manutenção é um aspecto crucial em qualquer contexto que envolva o uso de bens materiais. Sejam edifícios, instalações, maquinaria industrial ou qualquer outro tipo de ativo que exija manutenção periódica, garantir um alto nível de eficiência neste processo é fundamental para assegurar a eficácia, sucesso e sustentabilidade das intervenções.

Aqui, exploraremos juntos a importância da eficiência na manutenção.

Buscaremos compreender profundamente as implicações desse conceito e analisar como as estratégias corretas podem contribuir para melhorar a segurança, reduzir os custos operacionais e prolongar a vida útil dos equipamentos.

Para alcançar os máximos níveis de desempenho na manutenção, você pode contar com o potencial de um software de manutenção de ativos, a solução completa que permitirá planejar, rastrear e gerenciar todas as suas atividades a partir de uma única plataforma centralizada. Ao utilizar este sistema, você poderá melhorar a comunicação com as partes interessadas e tornar cada operação relacionada à manutenção mais eficaz do que nunca.

O que é eficiência da manutenção?

A eficiência da manutenção representa a capacidade de gerir e manter em condições ótimas os recursos físicos de uma organização, reduzindo ao mínimo os desperdícios e maximizando simultaneamente a disponibilidade e o desempenho dos equipamentos.
É um aspecto que está assumindo uma importância crucial em muitos setores, desde a construção até à indústria manufatureira, passando pelos setores de energia e infraestrutura.

O objetivo principal da manutenção é prolongar a vida útil dos ativos e evitar falhas inesperadas e reparos custosos. Saber manter o equilíbrio adequado entre manutenção corretiva e manutenção preventiva é, no entanto, um desafio complexo.

O conceito de eficiência da manutenção concentra-se exatamente em como alcançar esse equilíbrio de maneira ideal, para evitar que as intervenções nos sistemas e ativos físicos de uma estrutura sejam excessivas ou, pelo contrário, insuficientes.

Controle da eficiência na manutenção

Controle da eficiência na manutenção

Como medir

Para gerir os recursos de forma eficaz e garantir que as atividades de manutenção contribuam para o funcionamento ideal dos sistemas e equipamentos de uma organização, é importante alcançar um alto nível de eficiência. Existem várias métricas e KPIs de manutenção que podem ser usados para avaliar o desempenho da equipe de manutenção e fornecer uma estimativa confiável do nível de qualidade e eficiência alcançados em cada processo.

Entre os parâmetros de avaliação mais comuns utilizados por profissionais de gestão de instalações para medir a eficiência da manutenção, encontramos, por exemplo:

  • a disponibilidade de um sistema: essa métrica mede por quanto tempo um sistema, equipamento ou sistema esteve realmente disponível para uso. Uma alta disponibilidade indica uma manutenção eficaz;
  • o Mean Time Between Failures (MTBF): é um indicador estatístico que calcula o tempo médio esperado entre o início de uma falha e o início da próxima falha. Quanto maior o valor desse parâmetro, maior é considerada a confiabilidade do sistema;
  • o Mean Time To Repair (MTTR): é uma métrica que quantifica o tempo médio necessário para reparar um sistema ou equipamento após uma falha. Um valor de MTTR mais curto indica um reparo mais rápido e, portanto, um impacto menor na produção;
  • a Porcentagem de Manutenção Planejada (PMP): mede a porcentagem de tempo dedicado às atividades de manutenção preventiva em comparação com as corretivas, ajudando a avaliar o quão proativa é a manutenção em uma organização. Se o valor desse parâmetro for alto, significa que os planos de manutenção implementados por uma empresa são eficazes;
  • a Conformidade da Manutenção Preventiva (PMC): é um indicador usado para avaliar quantas atividades de manutenção programadas foram concluídas com sucesso e dentro do período de tempo estabelecido. Uma taxa alta de sucesso indica um bom controle da manutenção;
  • o uso de recursos: é um parâmetro usado para avaliar o quanto os recursos, como pessoal e equipamentos, são utilizados de forma eficiente durante as atividades de manutenção.

Fatores críticos que influenciam a eficiência da manutenção

Os processos de manutenção podem ser influenciados por uma série de fatores críticos que variam de acordo com o setor industrial, ambiente operacional e necessidades específicas da organização.

Reconhecer essas criticidades antecipadamente permite adotar estratégias adequadas para otimizar as operações de manutenção.

A seguir, alguns dos principais fatores que todo profissional deve monitorar e gerenciar adequadamente para melhorar a eficiência da manutenção e garantir um funcionamento confiável dos sistemas e equipamentos de sua organização:

  • planejamento inadequado: um planejamento deficiente das atividades de manutenção pode resultar em atrasos, sobrecarga de trabalho e tempos de inatividade não planejados. Planejar cuidadosamente cada intervenção é crucial para estabelecer prioridades, melhorar a segurança, garantir que os recursos estejam disponíveis quando necessário e minimizar os tempos de inatividade não planejados.
  • Manutenção corretiva excessiva: depender demais da manutenção corretiva, ou seja, resolver falhas apenas após sua ocorrência, pode resultar em aumento dos tempos e custos necessários para a manutenção. A melhor solução para esse problema é promover ações preventivas para identificar antecipadamente as atividades necessárias e criar programas de manutenção baseados na criticidade dos ativos.
  • Treinamento inadequado da equipe: uma equipe pouco qualificada pode comprometer a qualidade da manutenção e causar riscos ou ineficiências. Um treinamento contínuo é essencial para garantir que a equipe de manutenção esteja à altura dos desafios diários.
  • Gerenciamento inadequado de recursos: a escassez de materiais, equipamentos e peças de reposição pode afetar negativamente a eficiência da manutenção. Para evitar atrasos custosos, é importante utilizar um sistema de gerenciamento de estoque adequado e desenvolver procedimentos de suprimento bem definidos;
  • Tecnologias obsoletas: o uso de sistemas tecnológicos obsoletos ou inadequados para a manutenção pode limitar a eficiência e precisão das atividades. Para superar esse problema, é importante investir em tecnologias avançadas que permitam monitorar as condições dos equipamentos por meio de sensores IoT e implementar automaticamente programas de manutenção preditiva;
  • Problemas de colaboração: a falta de colaboração entre os departamentos envolvidos pode resultar em planejamento incoerente e atrasos nas atividades. Para resolver esse desafio, é importante manter uma comunicação aberta entre as partes interessadas e promover estratégias de manutenção colaborativa.
Fatores críticos para a eficiência da manutenção

Fatores críticos para a eficiência da manutenção

5 dicas práticas para melhorar a eficiência da manutenção

Alcançar um alto nível de eficiência na manutenção é essencial para garantir o funcionamento correto dos sistemas, reduzir os custos operacionais, melhorar a segurança e prolongar a vida útil dos ativos.

Aqui estão 5 dicas práticas que você pode usar para tornar seus processos de manutenção mais eficientes e produtivos do que nunca:

  • crie um programa de manutenção preventiva: adotar uma abordagem proativa permite identificar e abordar problemas antes que se tornem graves. Isso é fundamental para minimizar os tempos de inatividade não planejados. Portanto, inspecione regularmente os equipamentos em busca de sinais de desgaste ou falhas iminentes e crie um calendário de manutenção claro para estabelecer prazos e garantir que os sistemas permaneçam sempre em boas condições de funcionamento.
  • Estabeleça prioridades: para reduzir ainda mais os tempos de inatividade e maximizar a produtividade geral, atribua prioridades às tarefas de manutenção com base na importância dos equipamentos para a produção. Você pode realizar uma análise de criticidade para determinar quais problemas devem ser abordados imediatamente e quais podem aguardar.
  • Atribua recursos de forma eficiente: uma alocação eficiente de recursos é crucial para evitar atrasos na manutenção. Certifique-se de ter pessoal, equipamentos e materiais suficientes para realizar cada tarefa sem interrupções prolongadas. Considere a carga de trabalho da sua equipe e os equipamentos necessários para cada operação.
  • Documente todas as atividades: um processo de documentação preciso é essencial para rastrear o progresso da manutenção ao longo do tempo. Registrar o histórico das atividades, acompanhar os materiais utilizados e monitorar os custos ajudará a identificar padrões e tendências e a tomar decisões mais informadas. O uso de um sistema de gestão da manutenção computadorizado (CMMS) permitirá controlar as diversas operações e simplificar a consulta de dados.
  • Promova a formação da equipe: uma equipe bem treinada e competente é fundamental para garantir a qualidade das atividades de manutenção. Invista em treinamento contínuo para melhorar as habilidades técnicas e a segurança da equipe, e garanta a todos os seus operadores uma atualização constante sobre as melhores práticas e novas tecnologias.

Implementar todas as etapas necessárias para melhorar a eficiência da manutenção se torna impossível sem a ajuda de soluções de software especializadas. Confie desde o início nas potencialidades de um software de gestão de facilidades. Utilizando este sistema, você poderá manter o controle total do funcionamento e desempenho de seus ativos ao longo do tempo e gerenciar, de uma posição centralizada, todas as questões relacionadas à manutenção para garantir sua máxima eficiência!

 

usbim-maint
usbim-maint