Home » BIM e facility management » Dados de manutenção: o que são e como utilizá-los

Dados de manutenção: o que são e como utilizá-los

Os dados de manutenção são os que ajudam a equipe de manutenção a manter os recursos ativos e funcionais. Descubra como usá-lo

Para implementar com sucesso qualquer atividade de manutenção é importante ter dados confiáveis que sejam capazes de descrever o comportamento dos ativos ao longo do tempo e dar uma ideia do trabalho realizado pela equipe de manutenção.

O método mais eficaz de coletar e monitorar esses dados é usar um software de gestão de manutenção. Experimente já esta ferramenta para começar a melhorar a gestão dos seus recursos e obtenha agora mesmo dados precisos, atualizados e completos para configurar os seus processos de manutenção.

Se você ainda não sabe a importância dos dados de manutenção, a seguir você poderá aprofundar seu significado e entender como utilizá-los para melhorar a eficiência operacional de sua organização.

O que são dados de manutenção?

São os dados que são usados pelos gerentes de manutenção para melhorar a confiabilidade e a disponibilidade dos equipamentos dentro de uma empresa.

Estes dados destinam-se a descrever:

  • as condições de operação dos sistemas produtivos;
  • o desempenho de cada aparelho;
  • as taxas de falha dos equipamentos (MTBF, MTTF, MTTR);
  • os resultados do trabalho realizado pela equipe de manutenção (na forma de relatórios, KPIs ou métricas específicas de manutenção).

Por que são tão importantes?

Ter acesso aos dados de manutenção pode ser importante por vários motivos. Esses dados ajudam os profissionais do setor a ficarem parados sempre atualizado sobre o desempenho de cada equipamento.

Isso permite que os problemas sejam identificados bem antes de sua ocorrência e os riscos potenciais sejam tratados a tempo de evitar interrupções operacionais repentinas.

Além de fornecer informações precisas e oportunas sobre a operação do ativo, são essenciais porque têm valor preditivo e ajudam a melhorar a tomada de decisão.

Graças ao suporte desses dados, os gerentes de instalações podem planejar as atividades de manutenção de maneira mais confiável, evitando lacunas e erros no cronograma. A recolha também é útil para permitir aos técnicos e operadores do setor realizar as intervenções necessárias no menor tempo possível e com a máxima eficiência.

A imagem ilustra um exemplo de monitoramento dos dados de manutenção

Monitoramento dos dados de manutenção

Qual é a diferença entre documentação de manutenção e dados de manutenção?

Dados e documentos de manutenção são frequentemente confundidos, mas, na realidade, esses dois conceitos têm uma diferença substancial.

Na verdade, ambos têm o objetivo de fornecer informações úteis para a manutenção. No entanto, enquanto os dados de manutenção estão em constante crescimento e mudança contínua, os documentos de manutenção são caracterizados por uma natureza estática maior.

A documentação de manutenção pode incluir, por exemplo:

  • manuais e livretos de instruções;
  • arquivos CAD e BIM;
  • garantias e apólices de seguros;
  • listas de verificação de inspeção;
  • ordens de serviço atribuídas e/ou concluídas;
  • programas de manutenção preventiva;
  • políticas e procedimentos gerais.

Todos estes documentos, uma vez produzidos, não sofrem alterações e são essenciais para:

  • caracterizar o ativo que está sendo mantido;
  • registrar as intervenções já realizadas;
  • determinar as operações ainda a serem concluídas.

Ao contrário dos documentos que acabamos de ilustrar, os dados de manutenção são muito mais dinâmicos e variam de acordo com a estratégia de manutenção escolhida. A seguir poderemos saber quais são as categorias de dados mais comuns no âmbito da manutenção.

Quais são os tipos mais importantes?

Os dados usados na manutenção são geralmente classificados em três categorias diferentes:

  1. dados sensoriais: são os dados recolhidos pelos vários sensores inteligentes utilizados para monitorizar as condições de funcionamento do equipamento. Empresas e gerentes de ativos usam sensores preditivos e software de análise de dados para detectar quando máquinas críticas estão prestes a falhar e otimizar os processos de manutenção preditiva.
  2. Dados operacionais: consulte os dados necessários para que o pessoal de manutenção possa realizar seu trabalho corretamente. Esses dados envolvem o planejamento e o registro de importantes informações de manutenção preventiva, preditiva e emergencial (informações sobre ativos, estoques, ordens de serviço, relatórios de eficiência, etc.). Os dados operacionais são produzidos por softwares CMMS (Computerized Maintenance Management System) e também são utilizados pelos gerentes e supervisores para alocar recursos e definir suas responsabilidades.
  3. Dados de gerenciamento: referem-se a resultados históricos de dados operacionais. Esses dados podem ser usados para avaliar a eficiência dos processos de manutenção e adotar as medidas de melhoria necessárias. A categoria de dados gerenciais inclui relatórios, análises, indicadores de desempenho, informações orçamentárias, etc.
A imagem ilustra um exemplo de tipos de dados de manutenção

Tipos de dados de manutenção

Conheça 5 maneiras de usá-lo de forma eficaz

Para resolver os problemas de manutenção com mais eficiência, é importante obter o máximo de informações possível no momento exato em que elas precisam ser usadas. Os dados em manutenção são um elemento-chave para atingir esse objetivo. Usar esses dados efetivamente significa:

  • certificar-se de que a manutenção correta seja realizada no momento certo: se identificarmos as ordens de serviço associadas a cada ativo, e filtrá-las pelo tipo de manutenção realizada, poderemos definir quais recursos são afetados por um pequeno número de ações corretivas. Esses recursos provavelmente estão sujeitos a manutenções preventivas muito frequentes. Portanto, pode ser adequado reduzir as intervenções de manutenção programadas para evitar desperdícios e obter maior economia em termos de tempo e custos de manutenção. Os recursos a que se associam numerosas intervenções de emergência serão, pelo contrário, aqueles caracterizados por insuficiente manutenção preventiva.
  • Entender como a manutenção afeta o desempenho do equipamento: os dados de tempo de inatividade ajudam a classificar os ativos por tempo de inatividade planejado e não planejado. Esta classificação, cruzada com dados de custo, ajuda a definir os recursos para os quais é necessário modificar as estratégias de manutenção adotadas. O equipamento com mais tempo inativo é, de facto, aquele que mais impacta negativamente na sua empresa e consequentemente apresenta maiores oportunidades de melhoria.
  • Organizar o armazém para que o equipamento seja facilmente acessível: pedidos de emergência e dados de ativos ajudam a organizar equipamentos e peças sobressalentes para que sejam facilmente acessíveis quando necessário. Esses dados devem ser constantemente atualizados e monitorados para entender quais peças são usadas com mais frequência e avaliar sua relação com as intervenções de manutenção corretiva.
  • Entender onde alocar o orçamento de manutenção: a recolha de informação relativa aos trabalhos executados num determinado período pode ser útil para compreender como gastar o orçamento de manutenção e justificar as várias rubricas de despesa. As estatísticas de custo, por exemplo, ajudam a determinar se é mais apropriado aumentar o número de funcionários internos ou contratar terceirizados para lidar com uma emergência ou concluir parte da carteira de manutenção de uma instalação.
  • Identificar quais obstáculos os técnicos encontram: ter dados desatualizados ou incompletos pode ser um sério obstáculo para os técnicos de manutenção. Uma maneira de lidar com esse obstáculo é realizar auditorias periódicas para identificar ordens de serviço com informações ausentes ou notas de conclusão desatualizadas. A verificação regular dessas inconsistências pode fazer toda a diferença para aumentar o desempenho dos funcionários e melhorar a eficiência de uma instalação como um todo.

Como um CMMS ajuda você a obter bons dados que você pode aproveitar para uma melhor manutenção

Eles podem ser coletados, arquivados e compartilhados manualmente e com sistemas automatizados.

Os procedimentos manuais são certamente os menos eficazes porque não permitem manter os dados seguros, garantir uma partilha fácil ou garantir a todos a versão mais atualizada.

O uso de soluções de software CMMS ajuda a evitar todos os tipos de problemas. Esses sistemas são especialmente projetados para fornecer aos usuários um banco de dados centralizado para manter todos os dados seguros, sempre protegidos e facilmente acessíveis. Uma vez configurado, um sistema CMMS permite:

  • automatizar a coleta de dados e tornar os procedimentos de entrada de dados muito mais simples, confiáveis e eficazes;
  • simplificar os procedimentos de atualização de ordens de serviço (que podem ser realizadas diretamente no local e em tempo real);
  • transformar dados brutos em informações e insights que podem ser utilizados em diversas operações de manutenção;
  • realizar a manutenção proativamente e maximizar a eficiência e produtividade dos recursos;
  • reduzir o número e a frequência de quebras de máquinas;
  • melhorar a qualidade do planejamento das atividades de manutenção;
  • permitem uma melhor gestão de pessoal.

Os que acabamos de ilustrar são apenas algumas das potencialidades que um bom sistema CMMS pode lhe oferecer. Se você quer descobrir todas as vantagens, experimente agora mesmo o software de gestão de manutenção e comece você também, como outros profissionais do setor, a aprimorar as estratégias de coleta e também de gerenciamento.

 

usbim-maint
usbim-maint