Home » BIM e facility management » Gestão de manutenção: definição, tipos e objetivos

Gestão de manutenção: definição, tipos e objetivos

A gestão de manutenção é um processo estruturado para garantir que os ativos de uma empresa funcionem eficientemente. Descubra os detalhes!

A gestão de manutenção é um daqueles aspectos da administração de uma empresa que geralmente é negligenciado. Na verdade, eles são de suma importância para garantir a máxima eficiência operacional dos equipamentos e garantir a máxima eficiência no processo produtivo.

Neste artigo analisamos em profundidade o significado de “gestão da manutenção” descobrindo juntos o que são as tipologias, os objetivos e as potencialidades deste importante processo.

Antes de começar, é útil sublinhar como a gestão da manutenção evoluiu consideravelmente nos últimos anos. Transformou-se em um procedimento totalmente automatizado, graças ao uso de sistemas CMMS (Computerized Maintenance Management System). Estes sistemas têm a capacidade de simplificar e otimizar qualquer operação de gestão de manutenção.

Confie em um software de gestão de manutenção profissional e intuitivo para começar a experimentar imediatamente o potencial desses sistemas. Transforme os programas de manutenção mais complexos em atividades muito mais simples, agradáveis, eficazes e produtivas.

O que é gestão de manutenção?

O termo “gestão da manutenção” refere-se ao processo que se pretende planejar, programar e gerenciar atividades de manutenção. Relaciona-se com os bens de capital e patrimônio de uma empresa, controlando tempos e custos de intervenção e garantindo a máxima eficiência em termos de tempo de atividade e produtividade.

O gerenciamento adequado da manutenção envolve a combinação de vários fatores (incluindo sistemas de software avançados, melhores práticas e pessoal qualificado). Isso garante que tudo dentro do sistema de produção esteja funcionando conforme o esperado, evitando desperdício de tempo e recursos devido a falhas repentinas ou paradas não planejadas.

Os programas de gestão de manutenção são altamente personalizáveis e não há uma solução única para todos. Toda empresa que possui ativos tangíveis tem, de fato, um plano de gestão de manutenção específicos, pensados para atender às suas necessidades e voltados para a consecução de alguns objetivos essenciais, que ilustraremos mais adiante neste artigo.

Por que essa gestão é importante?

A manutenção tem um impacto direto no sucesso de longo prazo de uma organização. Ativos e instalações mal conservados sofrem quebras frequentes que podem causar interrupções inesperadas e perdas graves de produtividade e eficiência.

Quando feito corretamente, a gestão de manutenção ajuda a manter os ativos nas melhores condições operacionais. Ele também reduz os efeitos indiretos causados por avarias constantes e paradas não planejadas. Um programa de gestão de manutenção verdadeiramente eficaz ajuda não só a melhorar a confiabilidade e a disponibilidade dos equipamentos. De facto permite também estabilizar a produção com consequente redução de custos e aumento geral da rentabilidade, qualidade e segurança.

A imagem ilustra um exemplo de Inspeção da instalação - gestão de manutenção

Inspeção da instalação – gestão de manutenção

Quais são os diferentes tipos de gestão de manutenção?

A abordagem da gestão de manutenção pode ser do tipo reativo, se ações forem tomadas para corrigir uma falha depois que ela ocorreu, ou de tipo proativo, se uma série de estratégias forem implementadas para evitar erros e mau funcionamento antes que se transformem em problemas mais sérios a serem resolvidos posteriormente.

As abordagens propostas são válidas e frequentemente usadas em combinação umas com as outras. Naturalmente, cada um deles envolve um investimento diferente em termos de tempo e custos de implementação. Cabe, portanto, à organização escolher qual método utilizar de acordo com suas necessidades.

Com a manutenção reativa não é necessário efetuar qualquer intervenção até que ocorra uma avaria e os técnicos sejam chamados a atuar para restabelecer as condições normais de funcionamento o mais rapidamente possível. Este tipo de manutenção pode ser usado para ativos que desempenham um papel secundário, ou seja, para todos aqueles equipamentos que, em caso de avaria, não impliquem a interrupção total do ciclo produtivo.

Ao contrário da manutenção corretiva, a abordagem proativa busca evitar erros e falhas identificando sinais de desgaste no equipamento e intervindo com antecedência com pequenos reparos. Os tipos de manutenção comumente associados ao método proativo são os seguintes:

  • manutenção preventiva: visa resolver pequenos problemas antes que se transformem em falhas, com limpeza regular e programada, lubrificação, calibração, substituição, etc.;
  • manutenção baseada em condições: envolve o uso de sensores e tecnologias inteligentes para monitorar as reais condições de operação dos ativos e permitir que a equipe de manutenção adote as soluções mais adequadas;
  • manutenção preditiva: combina manutenção baseada em condição com sistemas de aprendizado de máquina e outras tecnologias de computador para monitorar as taxas de falha do equipamento (MTBF, MTTF, MTTR) e prever quando ocorrerão erros futuros;
  • manutenção prescritiva: leva a manutenção preditiva para o próximo nível porque, além de prever falhas, também permite o autodiagnóstico e sugere as melhores ações a serem tomadas pelos técnicos.
A imagem ilustra um exemplo de Tipos de gestão de manutenção

Tipos de gestão de manutenção

Quais são os objetivos desse tipo de gestão?

Independentemente do setor de aplicação, da planta a ser gerenciada ou dos serviços oferecidos, as diferentes formas de gestão da manutenção compartilham objetivos semelhantes que podem ser resumidos da seguinte forma:

  • minimizar avarias e tempo de inatividade não planejado;
  • extensão da vida útil dos ativos;
  • alocação eficiente de recursos;
  • planejamento preciso das intervenções de manutenção;
  • controle de custos e orçamentação;
  • desenvolvimento de padrões e procedimentos automatizados;
  • conformidade com os regulamentos e normas do setor;
  • aumento da segurança do trabalhador;
  • melhoria da qualidade do produto final.

As ferramentas essenciais para manter todos os aspectos da gestão de manutenção sob controle

Os processos de gestão da manutenção podem ser extremamente complexos: por isso torna-se importante ser auxiliado por sistemas de software avançados, especificamente concebidos para simplificar as diversas atividades.

Os sistemas CMMS permitem que você coletar, armazenar e organizar todas as informações relacionadas à manutenção de uma empresa em um banco de dados centralizado. São capazes de produzir relatórios detalhados que ajudam a manter sob controle todos os aspectos da gestão de manutenção.

Um sólido sistema CMMS oferece a capacidade de:

  • eliminar o rastreamento manual de dados;
  • monitorar o desempenho dos recursos;
  • planejar manutenções preventivas e preditivas;
  • tomar decisões mais informadas;
  • atualizar automaticamente as ordens de serviço;
  • melhorar a comunicação entre os sujeitos envolvidos;
  • atividades de manutenção
  • melhorar a gestão de estoque.

Descubra todo o potencial que um software de gestão de ativos municipais pode lhe oferecer e você também pode começar a implementar seu programa de gestão de manutenção pessoal em um sistema eficiente, profissional e intuitivo que o ajuda a melhorar e simplificar a gestão das diversas atividades.

 

usbim-maint
usbim-maint